Tessalônica: Intervenção do Movimento Antiautoritário do lado de fora do Consulado do Canadá contra Eldorado Gold e a extração de ouro em CalcídicaTessalônica: Intervenção do Movimento Antiautoritário do lado de fora do Consulado do Canadá contra Eldorado Gold e a extração de ouro em CalcídicaTessalônica: Intervenção do Movimento Antiautoritário do lado de fora do Consulado do Canadá contra Eldorado Gold e a extração de ouro em Calcídica
Na quinta-feira, 21 de setembro de 2017, o Movimento Antiautoritário de Tessalônica procedeu a uma intervenção do lado de fora do Consulado do Canadá em Tessalônica (aparentemente a empresa de mineração Eldorado Gold é canadense) contra Eldorado Gold e a extração de ouro em Calcídica. A intervenção foi realizada antes da realização, do lado de fora dos tribunais da cidade, de uma concentração em solidariedade com os processados pela luta antimineração em Calcídica. Queremos informar que nesse primeiro julgamento dos ativistas antimineração, todos os acusados foram absolvidos. A seguir, o comunicado do Movimento Antiautoritário.

É a terceira vez que Eldorado Gold suspende as obras (de extração de ouro) e joga o papel da tática, a fim de se converter no soberano absoluto das extrações desde Calcídica até Trácia. Com o pretexto da arbitragem (inventado pelo governo para dourar a pilula e tratar de convencer de que não tem nenhuma responsabilidade, dado que este governo não apenas concedeu várias licenças à empresa, senão que também durante seu mandato se iniciaram as perfurações e o bombeamento das águas residuais), Eldorado Gold parece que não está disposta a aceitar nenhuma regra que não seja a sua.

Vamos falar claro: Eldorado Gold é a nova Camorra do desenvolvimento e das intervenções. Desde que pisou seus pés em Calcídica, se interessou em fazer alianças mais rápido que destruir o meio ambiente. Não teve dificuldades em encontrar porta-vozes e lacaios, não apenas na sociedade local mas também nos centros do Poder. Esta frente midiática, empresarial, política e social dos “dispostos” saiu de novo à superfície para pôr em marcha a série dos favores mútuos e das chantagens: Alafuzos, Bóbolos, Mitsotakis, os sindicatos mineiros vendidos à patronal, e todas as fundações bem conhecidas e as pessoas favorecidas política e economicamente pela máfia do ouro já tomaram assento na orquestra da Eldorado Gold.

Além do mais, como a nova máfia do ouro entrou no jogo do Poder político, todos seus sócios e lacaios não apenas não perderam a oportunidade, senão que a agarraram. Ao governo do Syriza não o exasperou a extração, mas sim a colaboração aberta a nível de tática entre o partido Nova Democracia e Eldorado Gold. Por isso, os três fazem todo o possível para protagonizar esta obra, a qual, segundo vai avançando pretende silenciar todos os elementos autênticos e espontâneos que vai surgindo da luta dos de baixo contra a extração.

Por isso, os movimentos e as lutas que emanam da paixão pela vida e pela liberdade não são nem expectadores nem colaboradores do Poder em seus jogos, senão que, com sua ação direta, intervém para dissolver (anular) estes jogos, dissolvendo também todas as narrativas de delegação. Concretamente falando, ao mesmo tempo que o governo aprovou o funcionamento da represa hidroelétrica de Mesojora, deixando aberto o tema do desvio do rio Aqueloo, e ao mesmo tempo em que está privatizando o abastecimento de água, parece que está lutando por Skuriés.

Os movimentos da vida moderna estão fora e contra as narrativas dos gestores do Poder, do Estado e dos mercados. Lutam por derrubar os planejamentos do desenvolvimento, cuja pedra angular é o aumento constante, com todas as consequências sociais e ambientais catastróficas que isso inevitavelmente implica.

Hoje em dia a pergunta chave não é: “desenvolvimento, como e para quem?” senão “por quê desenvolvimento?”. E a resposta a essa pergunta não está entre as explicações deficientes da Direita e da Esquerda, senão nas mãos e no diálogo aberto entre os movimentos pela vida e pela liberdade. Seu fôlego se encontra dentro das comunidades de luta pela defesa dos bens comuns e pela defesa dos que estão sendo acusados por esta luta.

A luta em Calcídica começou nas ruas e nas ruas será determinado seu desfecho. Não nos concerne o conflito entre os gestores do Poder. Nos concerne o fim da extração de ouro, nos concerne o fim do estado de cativeiro, e o fim das perseguições aos ativistas.

A solidariedade é nossa arma. Os acusados pela luta antimineração não estão sós.

Movimento Antiautoritário de Tessalônica

Tradução: Agência de Notícias Anarquistas.

O texto em grego, castelhano.

Leave a Reply

*

Arquivo