Posts Tagged ‘volos’

Nos dias 15 e 16 de setembro de 2017, o “Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água” organiza um festival na cidade de Stagiates, com projeções de filmes e documentários, debates e concertos. O tema do festival é a luta contra o saque e a mercantilização dos recursos naturais e da água em particular. Em alguns posts anteriores, você pode ler notícias sobre esta luta na província de Magnesia, especificamente no povoado de Monte Pelion, onde o Capital e as autoridades locais estão tentando cortar o acesso às fontes de água da montanha e de privatizar o abastecimento de água.

Resistências ao saque sem fronteiras: Projeções de documentários sobre os movimentos ambientais e sociais da América Latina. Debates com a participação de movimentos e coletividades da Grécia contra extrações, barragens, turbinas eólicas e privatização da água.

Sexta-feira, 15 de setembro de 2017, às 18 horas: Debateremos sobre a ofensiva do desenvolvimento “verde”. Participam os grupos Aqueloo-Mesojora SOS, Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água.

Sábado, 16 de setembro de 2017, às 20 horas: Debateremos sobre a criminalização das lutas das sociedades locais com a participação de representantes e solidários do movimento contra a extração de ouro em Calcídica, e com o Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água. Read the rest of this entry »

Boletim de imprensa da Aliança pela Água (da província de Magnésia), publicado na página web WaterVolo, movimento de habitantes de Pelion e Volos pela água.

Na terça-feira, 27 de junho, a Aliança pela Água realizou uma assembleia. Os temas debatidos foram o aumento do fitoplâncton às margens do golfo Pagasético, o funcionamento da planta da depuradora biológica, a cloração das águas dos mananciais (fontes) dos povoados de Monte Pelion, a política da Empresa Municipal de Águas de Volos sobre as dívidas dos consumidores, os cortes de fornecimentos de água, assim como os aumentos das tarifas de fornecimento de água, como resultado da aplicação da decisão interministerial sobre a nova tarificação do serviço de água.

Com respeito ao fitoplâncton, (nas águas do golfo da província) ultimamente aconteceram duas coisas que ninguém pode pôr em dúvida. O primeiro é a contaminação durante vários meses do golfo Pagasético com dejetos urbanos e com toneladas de amoníaco, por causa do funcionamento deficiente da planta da depuradora biológica. O segundo é que este ano este fenômeno se viu mais marcado e se deu em várias zonas geográficas. Isto não havia passado nos anos anteriores. No entanto, não há necessidade que seja especialista para entender que os comunicados das sociedades e empresas envolvidas no tema da privatização da água sejam contraditórios: A contaminação em fevereiro superou os limites aceitáveis e ao mesmo tempo o golfo Pagasético se limpou como por passo de mágica. Não nos explicaram quais foram as medidas tomadas que contribuíram à redução dos problemas. Tampouco as medições (dos níveis de contaminação) foram publicadas. Read the rest of this entry »

Texto da Assembleia aberta em solidariedade com os acusados por defenderem o caráter público da água e sobre o julgamento de um dos lutadores contra a privatização das águas do monte Pelión e da província de Magnesia. O título do texto em grego é “A água não é futebol, jogo de azar e lucro”.

A ofensiva que as populações locais estão recebendo por parte da autoridade municipal, cujo fim é a repressão e o silenciamento do movimento de defesa da água pública, culmina-se com o julgamento do agricultor lutador, membro do movimento pelas águas de Volos e do Monte Pelión. No dia 13 de março de 2015 centenas de moradores de Pelión e da cidade de Volos reuniram-se na frente do edifício da Empresa Municipal de Águas da cidade de Volos, com o fim de assistir ao debate da direção da empresa sobre o regulamento do uso e da distribuição da água de irrigação. O debate dirigia-se aos agricultores, que se veem forçados a abandonar os seus povos e terras, devido aos preços exorbitantes da água de irrigação, a deterioração da qualidade da água potável devido à cloração e a tentativa de privatizar a água de irrigação.

Beos, prefeito de Volos naquela altura, bloqueou a entrada do edifício com um cordão policial. Os policiais estavam plenamente equipados, e ao seu lado estavam alinhados os guardas de segurança e os “valentões”. Beos demonstrou que a sua intenção era aplicar de maneira fascista as decisões que se concluíssem no debate. Os manifestantes ao tentarem romper o cordão policial, puseram a sua integridade física em perigo e, alguns até se lesionaram. Um dos manifestantes quebrou uma costela ao receber um ataque coordenado e foi levado ao hospital. O lugar da concentração parecia um campo de batalha. Read the rest of this entry »

Recentemente o governo tomou a decisão de privatizar as companhias de águas de Atenas e Tessalônica, passando-as ao chamado “super fundo de privatizações”. Na realidade, o governo executou uma vez mais as ordens de seus amos políticos e econômicos, ou seja da União Europeia, do Fundo Monetário Internacional e do Banco Central Europeu, cujo fim é concretamente controlar a distribuição de água, e em geral eliminar os serviços públicos e privatizar os recursos naturais, transformando-os em um negócio lucrativo, segundo as normas do neoliberalismo.

A privatização da água, no entanto, não se limita às duas cidades maiores no país. Na província de Magnesia, os habitantes dos povoados do monte Pelion estão há anos lutando pela água. Os movimentos que se desenvolveram nesta zona abundante de mananciais e fontes de água, estão lutando contra os planos das autoridades locais de ficar com o controle dos muitíssimos mananciais da montanha. O objetivo das autoridades municipais é criar as condições para vender a exploração das águas do monte Pelion ao Capital local ou transnacional, privando aos habitantes da província do acesso à água.

Durante muitos séculos a gestão das águas potável e de irrigação da montanha estiveram a cargo das comunidades locais. Elas velavam pela manutenção das fontes, das cisternas e da rede de abastecimento de água. Em 2011 se fundiram os municípios do Estado grego, diminuindo notavelmente o número deles. Como consequência desta fusão a gestão dos mananciais passou às mãos da Empresa Municipal de Águas local. Read the rest of this entry »

YouTube Preview Image

 

Na quarta-feira 23 de novembro, um grupo de uns 40 antiautoritários, gritando lemas, entraram no auditório da Universidade de Tessália em Volos e jogaram tinta no presidente da empresa petroleira grega Petróleo Grego, que ia ser o orador em uma conferência organizada pela Universidade. A seguir, o texto com o qual este grupo assumiu a responsabilidade da ação. Read the rest of this entry »

O dezembro de 2008 é uma imagem do futuro

 

Cartaz dos anarquistas de Volos, chamando para uma manifestação no dia 6 de dezembro de 2013, cinco anos após o assassinato do estudante de 15 anos Alexis Grigoropoulos pela Polícia.

O Estado assassina com a máscara do policial, do revisor, do fascista…

O dezembro de 2008 é uma imagem do futuro

Contra o “Divide e vencerás” do Poder, todos juntos para o ataque, pela dignidade, pela liberdade, pela anarquia

Marcha, 6 de dezembro de 2013, às 17h.

Anarquistas

"Quando o Estado matar seus filhos, então você vai sair de sua jaula"“Quando o Estado matar seus filhos, então você vai sair de sua jaula”. Faixa pendurada numa praça da cidade de Volos, chamando para uma manifestação no dia 6 de dezembro de 2013, cinco anos após o assassinato do estudante de 15 anos Alexis Grigoropoulos pela Polícia grega. A frase escrita na faixa refere-se ao velho lema anarquista “Quando os policiais matarem seus filhos, então você vai sair de sua jaula”.

Em 17 e 18 de maio, vários moradores de Nea Ionia, um bairro de Volos, bloquearam o supermercado Lidl demandando a distribuição gratuita de alimentos aos pobres em um bairro vizinho ao supermercado, que estão em estado de indigência. A Direção do supermercado chamou a Polícia, e todas as forças policiais da prefeitura de Magnésia se mobilizaram e foram até o supermercado para intimidar e reprimir as pessoas que estavam protestando.

O número de policiais que se alinharam ao redor do supermercado era o dobro daqueles que participaram do protesto. Mesmo após o término da ação, vários veículos da Polícia com policiais à paisana estiveram vigiando os manifestantes quando eles regressavam às suas casas.

Os membros da Assembleia Aberta de Magnésia declararam que vão continuar sua luta, cujo principal lema é “comida de graça a todas as pessoas”. O comunicado divulgado pela Assembleia Aberta aludiu que “é impensável que os supermercados permaneçam cheios de comida e as pessoas fiquem morrendo de fome, que estejam procurando alimentos nos contentores de lixo, que os nossos filhos desmaiem nas escolas por falta de nutrição. Exigimos os artigos de primeiras necessidades, limpeza e alimentos básicos, para atender as necessidades dos nossos concidadãos que estão em situação de extrema pobreza, que estão afetados pelos contínuos “pacotes de resgate” que nos são impostos sem nosso consentimento, e que nos condenam à miséria e extrema pobreza”. Read the rest of this entry »

Greece Financial CrisisGreece Financial CrisisGreece Financial CrisisGreece Financial CrisisNo 577104Thousands of people take part in an anti-austerity demonstration in AthensA protester sprays riot police with a fire extinguisher during violent anti-austerity protests in AthensÅÐÅÉÓÏÄÉÁ ÓÔÏ ÓÕËËÁËÇÔÇÑÉÏ ÔÇÓ ÃÓÅÅ ÊÁÉ ÔÇÓ ÁÄÅÄÕ ÓÔÏ ÓÕÍÔÁÃÌÁ ÊÁÔÁ ÔÏÕ ÍÅÏÕ ÌÍÇÌÏÍÉÏÕ (EUROKINISSI / ÌÐÏËÁÑÇ ÔÁÔÉÁÍÁ)A petrol bomb explodes near riot police during a huge anti-austerity demonstration in Athens4444443oatenas
Atenas, defendendo a dignidade

Desde as 16h30 as pessoas começaram a chegar a Praça Syntagma, para a manifestação das 17h. Aos poucos, as pessoas de todos os bairros de Atenas, bem como membros das assembléias de bairros e coletivos foram chegando ao centro, marchando ou caminhando. O Regime tinha fechado todas as estações do centro. Isso não impediu que mais de 500.000 pessoas permanecessem durante toda a tarde e à noite protestando contra a barbárie que nos tem reservada a Soberania se não resistirmos a seus planos.

É uma das poucas vezes que o número de participantes numa manifestação é extremamente difícil de calcular. O povo ateniense entupiu todo o centro de uma cidade de aproximadamente 5 milhões de pessoas. As praças de Syntagma, Omonia e Monastiraki, assim como todas as ruas do centro de Atenas foram palco de uma e ao mesmo tempo de muitas manifestações, de numerosas frentes e pontos de enfrentamentos contra as hediondas tropas de choque. Foi tanta a quantidade de pessoas que tomaram as ruas de Atenas, foi tanta raiva contra o Regime e contra tudo o que estão nos impondo, que por pouco não se esgotaram os gases lacrimogêneos e os perigosos produtos químicos utilizados pela Polícia em cada manifestação. A Polícia usou balas de borracha contra os manifestantes, especialmente contra os anarquistas ocupantes da Faculdade de Direito. Note-se que de acordo com várias testemunhas, entre os policiais gregos havia vários reforços dos regimes totalitários da União Européia. Read the rest of this entry »

Nos aniversários “nacionais”, o desfile de caráter e inspiração fascista é obrigatório para todos os alunos dos seis cursos das escolas secundárias do país, assim como para seus professores. Apesar disso, em 28 de outubro, em muitas cidades de toda Grécia, os desfiles foram cancelados e se converteram em manifestações, quando numerosos grupos de manifestantes e cidadãos vaiaram e insultaram os parasitas da representação, que estão tirando-nos a vida, dia após dia, em benefício do Estado e do capital.

Em Atenas, o desfile escolar de caráter e inspiração fascista foi celebrado com muita pressa na Avenida Amalia, que passa em frente ao Parlamento, na presença da Ministra de Educação, Diamantopulu. Durante o desfile muita gente gritava lemas contra o governo e as medidas de austeridade; os alunos de várias escolas se negaram a saudar a Ministra e às demais autoridades, passando por sua tribuna (outro resquício do protocolo fascista). Outros, ao passar pela tribuna de autoridades, viraram a cabeça para o outro lado da avenida, enquanto alguns optaram por agitar lenços negros. Os músicos da Banda Filarmônica de Atenas colocaram fitas de cor preta em seus instrumentos musicais. Assim, de maneira coletiva, responderam às ameaças da prefeitura de Atenas, que havia advertido/ameaçado os músicos da banda municipal que demitiria aos que prosseguissem com este ato de protesto (vídeo mais abaixo). Read the rest of this entry »

Arquivo