Posts Tagged ‘regime’

Nós estamos do lado dos estudantes secundaristas e de suas ocupaçõesPôster do centro social autogestionado de Galatsi (Atenas) Stegastro (Telhado).

A “nova escola secundária” das discriminações econômicas

Ensino privado (“escolas” privadas de aulas de apoio) e exames de admissão nos últimos três cursos da escola secundária. “Banco de temas” para os exames e plano de estudos demasiadamente grandes. Aqueles que não puderem atender às demandas econômicas do ensino privado ficarão excluídos do sistema de ensino, e no futuro do trabalho qualificado.

Ficha, “mySchool”

Registro eletrônico em um banco de informações central dos dados e das sanções dos estudantes secundaristas, e de suas necessidades especiais, dos dados do seu ambiente familiar, dos tratamentos médicos que foram submetidos e dos medicamentos tomados, e da participação dos professores em greves ou paralisações.

Repressão, intimidação

Policiais vigiando as escolas 24 horas por dia, e de vez em quando detendo os alunos ou os pais deles (Lamía) ou atirando contra estudantes (Kesarianí, Atenas). Diretores de escolas difamando, colocando os alunos em ponto de mira e os delatando (Nikea, Atenas). Promotores esperando na esquina para colocar em marcha procedimentos de perseguição. Ministro ameaçando aulas aos sábados e no Natal. Read the rest of this entry »

Calcídica: Brutal repressão de massiva manifestação antimineradoraCalcídica: Brutal repressão de massiva manifestação antimineradoraCalcídica: Brutal repressão de massiva manifestação antimineradoraCalcídica: Brutal repressão de massiva manifestação antimineradoraCalcídica: Brutal repressão de massiva manifestação antimineradoraCalcídica: Brutal repressão de massiva manifestação antimineradoraCalcídica: Brutal repressão de massiva manifestação antimineradoraCalcídica: Brutal repressão de massiva manifestação antimineradora
Após as manifestações dos estudantes secundaristas, dos estudantes universitários, dos grevistas, dos lutadores sociais, e dos anarquistas, desta vez a guarda pretoriana do Regime reprimiu brutalmente a manifestação dos habitantes de Calcídica e dos solidários com sua luta contra a instalação de uma mineradora de ouro em suas terras.

No domingo, 23 de novembro de 2014, uns dois mil manifestantes chegaram em marcha ao monte Kákavos (primeiro vídeo), no lugar onde o Capital transnacional (a empresa mineradora multinacional Eldorado Gold e sua filial na Grécia chamada Ouro Grego) com o respaldo do Estado grego estão tratando de instalar uma mineradora de ouro, sem se importar nem um pouco com as consequências desastrosas desse projeto para a vida humana e o meio ambiente da província.

Os manifestantes que haviam chegado de todos os rincões do território do Estado grego se juntaram com os habitantes dos povoados da região aos pés da montanha (vídeo da caravana de carros). Em seguida começaram a marchar até o local das obras. Esta foi a primeira manifestação antimineração massiva após o verão passado, as perseguições e a repressão contra os habitantes da província, que dia após dia vêem o monte Kákavos sendo destroçado pela voragem capitalista. Read the rest of this entry »

Comunicado de denúncia do “Movimento Antiautoritário (Corrente Antiautoritária) de Atenas”, emitido após a manifestação de 17 de novembro de 2014.

A marcha “habitual” deste ano no aniversário da revolta da Escola Politécnica em 1973 demonstrou manter certas características que tiram o seu caráter de “aniversário”. O novo totalitarismo estatal, cristalizado na criação de prisões de alta segurança, nos campos de concentração para imigrantes, e na existência de mais de cinquenta presos políticos, demonstra a continuidade histórica da repressão do Estado, bem como dos movimentos sociais que, em vão, estão tentando eliminá-lo.

O bloco do Movimento Antiautoritário (Corrente Antiautoritária) marchou com duas faixas: “Delegação e representação: Renúncia/Democracia Direta pelo contrapoder social” e “Contra a repressão e o estatismo/Universidade: Pública, gratuita, social”. A presença maciça de pessoas no bloco do Movimento Antiautoritário incomodou, por isso este bloco recebeu duas vezes a arremetida policial. Sem nenhuma razão, sem nenhum pretexto… Read the rest of this entry »

“O Estado nos mostrou seus dentes: Estão podres!”Comunicado de denúncia da Iniciativa Anarcosindicalista Rocinante, escrito em razão da orgia repressiva da polícia grega na manifestação de 17 de novembro, realizada segundo um plano premeditado e organizado.

“Loucura pode ser abandonar nossos sonhos (…) E a maior loucura de todas, é ver a vida tal como é e não como deveria ser (…) Mudar o mundo, amigo Sancho, não é uma loucura, nem utopia, senão justiça!”

Don Quijote de Miguel de Cervantes (1605 – 1615)

O Estado grego, cumprindo com suas piores tradições, na tarde de segunda-feira, 17 de novembro, quis ter mais um morto. O ataque criminoso, assassino, injustificado e premeditado ao bloco da Iniciativa Anarcosindicalista Rocinante, recordou dias de 1980 e de 1985, e foi um logro dos manifestantes evitar o pior, só graças a sua atitude sensata, determinante e valente. O mesmo é válido para a presença noturna da Polícia na praça do bairro de Exarchia, onde com sua prática habitual, a de um exército de ocupação, ameaçava aos moradores e aos transeuntes, maltratou a uma mulher jornalista, pegou um colega seu que protestou (como resultado de tudo isso os dois foram transferidos a um hospital), e destroçou uma banca de jornal.

De nossa parte, tivemos a sorte de confirmar as intenções da Polícia desde o começo. Já desde o início da manifestação, sem nenhum motivo em absoluto, nosso bloco foi rodeado por esquadrões da chamada Polícia antidistúrbios e por vários dos seus aliados, que impediam de uma maneira provocativa e sistemática a tarefa de nossa equipe de salvaguarda, a qual era forte e organizada. Próximo do Parlamento, segundo nos informaram testemunhas oculares e de ouvido, quando o líder do esquadrão que estava naquele local, o notório neonazi da Aurora Dourada Darío Lykiardópulos, informou a seu batalhão de assalto uniformizado que ”dobra a esquina a faixa da Rocinante, põe as máscaras e preparam-se”, a pressão em ambos os lados do bloco se voltou asfixiante. Read the rest of this entry »

Em 11 de setembro foi publicada a sentença do Conselho de Estado que suspende até o próximo mês de novembro a ordem ministerial do governo neoliberal que abolia o domingo como dia festivo durante todo o ano no centro de Atenas, Tessalônica e em outros oito municípios do território do Estado grego.

A suspensão da execução desta ordem ministerial estará em vigor até ao final do ano. Até meados de novembro, o Conselho de Estado vai se reunir para definir a sentença sobre a abolição do domingo como dia festivo. A publicação da sentença será feita até o final de 2014.

A “Coordenação de ação contra a abolição do domingo como dia festivo” relaciona esta sentença temporária do Conselho de Estado com a luta inflexível contra esta medida neoliberal durante muitos meses, apontando que esta luta não deve parar. Ao mesmo tempo, lembra que ainda está em vigor a lei que permite que uma parte dos negócios comerciais permaneçam abertos sete domingos por ano. Read the rest of this entry »

Depois de várias tentativas fracassadas para fechar o Atenas Indymedia contando com os aparatos repressivos do Estado, desta vez, o Regime conta com a ajuda dos aparatos repressivos dos EUA. Há alguns dias, o FBI, através do Ministério da “Justiça” dos EUA, exigiu os dados pessoais dos membros do coletivo administrador do Atenas Indymedia. A seguir, publicamos o comunicado do Atenas Indymedia, expressando a nossa solidariedade com eles, e pedindo a todas as mídias livres e independentes a divulgação da notícia.

Na sexta-feira, 12 de setembro, o coletivo May First (Primeiro de Maio), que abriga uma parte da infraestrutura do Atenas Indymedia, nos informou que tinha recebido uma intimação do Ministério da Justiça dos Estados Unidos, no marco de uma investigação realizada pelo FBI. Especificamente, o FBI exigiu a cessão dos dados pessoais dos assinantes que utilizam os endereços IP do Atenas Indymedia (ou seja, dos seus administradores), sem dar qualquer explicação das razões para tal demanda, e sem mencionar se realizaria uma investigação no futuro sobre o conteúdo do servidor. Óbvio, a demanda não foi aceita pelo coletivo May First, apesar de que seus membros são conscientes dos riscos que essa negação implica para seus membros e para a sua infraestrutura.

Para nós, essa demanda revela em grande parte a implicação das autoridades gregas sobre este assunto. Os aparatos repressivos são bem conscientes de que qualquer investigação ou a apreensão dos nossos equipamentos não colocariam em perigo os usuários do Atenas Indymedia nem interromperia o seu funcionamento. Eles não conseguiram fazer isso em mais de 14 anos que vem funcionando este projeto. Acreditamos que este novo ataque que está recebendo o movimento, juntamente com a desinformação, é um exemplo da estratégia escolhida pelo Estado. Colocando na mira especificamente os administradores do coletivo Atenas Indymedia, o aparato do Estado deixa claro que ele quer controlar e criminalizar a informação (a liberdade de expressão) e a divulgação do discurso e da ação da resistência social. Read the rest of this entry »

Continuam os protestos contra a abolição do domingo como dia festivoContinuam os protestos contra a abolição do domingo como dia festivoContinuam os protestos contra a abolição do domingo como dia festivoContinuam os protestos contra a abolição do domingo como dia festivo
No domingo, 24 de agosto de 2014, a “Coordenação de ação contra a abolição do domingo como dia festivo e os horários de trabalho flexíveis”, a iniciativa “Trabalhadores/as do setor de comércio” e diversos sindicatos de base, realizaram no centro de Atenas várias ações contra a decisão do governo neoliberal de eliminar o domingo como dia festivo.

As ações ocorreram na rua mais comercial do centro de Atenas, com a finalidade de anular os planos políticos e econômicos do governo e dos patrões de converter-nos em escravos modernos. A mobilização começou às 11h e terminou três horas depois, às 14h.

Na mobilização, textos foram distribuídos dentro e fora das poucas lojas que estavam abertas, faixas foram abertas do lado de fora delas, foi lido várias vezes através de um megafone o chamado dos “Trabalhadores/as do setor de comércio” para uma assembleia na tarde do mesmo dia, assim como o comunicado emitido pela “Coordenação de ação contra a abolição do domingo como dia festivo e os horários de trabalho flexíveis”, e em várias ocasiões foram estabelecidas conversas com os funcionários que estavam trabalhando. Read the rest of this entry »

Informações sobre as mobilizações de 13 julho contra a abolição do domingo como dia festivoInformações sobre as mobilizações de 13 julho contra a abolição do domingo como dia festivoInformações sobre as mobilizações de 13 julho contra a abolição do domingo como dia festivoInformações sobre as mobilizações de 13 julho contra a abolição do domingo como dia festivoInformações sobre as mobilizações de 13 julho contra a abolição do domingo como dia festivoInformações sobre as mobilizações de 13 julho contra a abolição do domingo como dia festivo
Como parte da greve convocada no setor comercial contra a tentativa do governo neoliberal de abolir o domingo como dia festivo, neste domingo, 13 de julho, em Atenas e em cidades de todo o território do estado grego, foram realizadas manifestações, concentrações, bloqueios de lojas e piquetes.

No centro de Atenas, a “Coordenação de ação contra a abolição do domingo como dia festivo” e vários sindicatos de base realizaram uma passeata combativa, assim como vários bloqueios de lojas e piquetes do lado de fora das empresas das ruas comerciais Ermú e Stadíu.

As manifestações realizadas no centro da capital foram muito bem sucedidas. Muitas lojas e grandes magazines não abriram suas portas, enquanto outras que abriram, fecharam logo após a chegada dos manifestantes contra a abolição do domingo.

Durante a manifestação houve a distribuição de panfletos, cujo texto foi lido por megafone, desde os escritórios da Associação de Professores do Ensino Secundário. A próxima greve e mobilização contra a abolição do domingo como dia festivo será no domingo 20 de julho. Read the rest of this entry »

Domingo, 13 de abril: Manifestação no distrito mais comercial de Atenas contra a abolição do domingo como dia festivoDomingo, 13 de abril: Manifestação no distrito mais comercial de Atenas contra a abolição do domingo como dia festivoDomingo, 13 de abril: Manifestação no distrito mais comercial de Atenas contra a abolição do domingo como dia festivoDomingo, 13 de abril: Manifestação no distrito mais comercial de Atenas contra a abolição do domingo como dia festivoDomingo, 13 de abril: Manifestação no distrito mais comercial de Atenas contra a abolição do domingo como dia festivo
No domingo, 13 de abril, mais de 600 pessoas realizaram uma manifestação na rua de pedestre mais comercial de Atenas, próximo da praça maior de Sintagma, contra a eliminação do domingo como dia festivo com a última lei anti-trabalhadores, a qual foi aprovada no verão passado e entrou em vigor em novembro de 2013. Os manifestantes bloquearam o acesso às poucas lojas que estavam abertas, espalhando e distribuindo panfletos.

A maioria das pessoas respondeu de uma maneira positiva à manifestação, já que se informou de que “quem sai para comprar aos domingos, tem que se preparar para trabalhar aos domingos”. Não faltaram os que por vários motivos não se mostraram de acordo com isso: uma minoria de consumistas lobotomizados (por acaso só eles saíram em reportagens dos meios de desinformação sobre o evento…) e os donos de alguns negócios, que trataram de abri-los, mas ante a massividade e combatividade da manifestação, repensaram e mudaram de opinião.

Umas três horas após o começo do protesto, chegaram as chamadas forças antidistúrbios. Primeiro com granadas de efeito moral e gases lacrimogêneos, depois com sucessivas investidas, dissolveram temporariamente os manifestantes. Ao reunirem-se eles de novo, marcharam ao longo da rua de pedestres, até a praça turística de Monastiraki. Das investidas da Polícia, resultaram duas pessoas feridas. Read the rest of this entry »

Calcídica: Nova brutalidade policial contra manifestantes antimineradorasCalcídica: Nova brutalidade policial contra manifestantes antimineradorasCalcídica: Nova brutalidade policial contra manifestantes antimineradorasCalcídica: Nova brutalidade policial contra manifestantes antimineradorasCalcídica: Nova brutalidade policial contra manifestantes antimineradorasCalcídica: Nova brutalidade policial contra manifestantes antimineradoras
Na quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014, na localidade de Megali Panaguiá, ao noroeste de Calcídica, realizou-se uma manifestação de protesto contra a instalação de uma mineradora de ouro em Skuriés, a pouca distância da localidade. Concretamente, os/as manifestantes, que em sua grande maioria eram mulheres, bloquearam o caminho até o lugar em que o Estado grego e o Capital transnacional pretendem instalar a mineradora, para impedir o translado ilegal de contêineres a este lugar.

Em seguida a unidade antidistúrbios da Polícia grega atirou contra os/as manifestantes que estavam sentados/as no chão. Os mercenários das forças armadas do Regime se puseram a arrastar, pegar e insultar aos/as manifestantes, dizendo às mulheres que atirariam contra elas ainda que fossem suas mães… Chegaram a golpear inclusive a uma pessoa com insuficiência cardíaca e outros graves problemas de saúde, ainda que um familiar seu tenha informado de seu estado de saúde. Durante mais de meia hora, esta pessoa esteve tombada na rua, esperando que chegasse uma ambulância, apesar de que o centro de saúde mais próximo está a cinco quilômetros… Além dessa pessoa, duas mulheres ficaram feridas da surra que receberam. A Polícia deteve duas pessoas.

Esta nova brutalidade da Polícia em Calcídica vêm um dia depois de que o prefeito do município local, declarou que é possível que haja vítimas no caso em que nas próximas eleições municipais seja eleito um prefeito que se oponha às atividades mineradoras. Read the rest of this entry »

Arquivo