Posts Tagged ‘ouro grego’

Em 25 de abril de 2016 o Observatório de Atividades Mineiras apresentou uma denúncia ao ministro do Meio Ambiente contra a exploração ilegal de ouro e prata pela empresa mineira Ouro Grego (Elinikós Jrisós), filial da multinacional Eldorado Gold. Dita empresa é a que está realizando as obras de extração de ouro em Skuriés, Calcídica, tendo causado graves danos ao ecossistema local.

A denúncia foi apresentada depois da declaração de departamento competente do ministério de Meio Ambiente que a atividade mineira é “particularmente rentável para a economia nacional”. Da nossa parte deixamos claro que tais termos são totalmente falsos e enganosos, e que tais projetos são desastrosos tanto para o meio ambiente como para a vida humana, independentemente se são rentáveis ou não para os de cima. Publicamos esta not&iac ute;cia, não obstante, para pôr em manifesto a hipocrisia do Capital transnacional e o papel de seu títere, o Estado (neste caso o grego).

Dos comunicados da própria empresa se deduz que desde 2007 se exportou 14.050 quilos de ouro e 90.939 quilos de prata. O Observatório de Atividades Mineiras denuncia que as quantidades destes metais se exportam ilegalmente à China não como metais preciosos, mas sim como matéria-prima barata (material não precioso). Read the rest of this entry »

Texto da coletividade anarquista “Anarquistas pela liberação social” (AKA), publicado na sua página web.

A ameaça da empresa de extração de ouro pelo governo que, não recebendo uma resposta positiva até ao próximo mês de março, parará o seu funcionamento em Calcídica, leva a vários temas para debater e refletir. Também leva a uma conclusão fixa. Os meios de desinformação massivos começam a publicar os primeiros “super dramas” sobre os postos de trabalho que se vão perder. Se o partido governamental Syriza não assume uma posição fixa sobre este tema (independentemente das suas promessas eleitorais), todos os demais partidos estão a favor do funcionamento das minas. Só uma pequena parte da esquerda extraparlamentar tem opinião diferente sobre o tema (1). Como anarquistas estamos contra esta “inversão” desastrosa.

As minas de ouro provocaram até ao momento uma destruição ecológica enorme. Se no final a fábrica avança, os danos serão irreversíveis, ao mesmo tempo que os juros econômicos dos exploradores, locais ou não, serão imensos. Habitantes da zona, grupos anarquistas e solidários do movimento radical, têm travado uma luta enorme contra esta obra durante os últimos anos e continuam a batalhar. Somos solidários com eles. Read the rest of this entry »

Em um evento organizado pela coletividade “SOS Calcídica”, Nikos Mosjudis, professor de Engenharia Química na Universidade de Tessalônica, e Sarantis Dimitriadis, professor de Geologia na mesma Universidade, explicaram porque a extração de ouro em Calcídica é perigosa para os ecossistemas da província, e por sua vez explicitaram quais são as violações realizadas pela empresa mineradora Elinikós Jrisós (Ouro Grego), filial da multinacional Eldorado Gold, a qual está realizando as obras. Ambos sustentaram seus argumentos e suas conclusões em dados científicos, assim como nas conclusões tiradas pelos inspetores do meio ambiente. Durante o evento comentaram várias vezes que os relatórios com estas conclusões estão em mãos do fiscal designado para o caso da mineradora de ouro em Calcídica.

O professor de Geologia da Universidade de Tessalônica Sarantis Dimitriadis fez referência a uma decisão ministerial recente que anulava temporariamente as obras. A decisão da anulação temporária das obras se baseou no método de soldagem rápida utilizada pela empresa mineradora. Como assinalou, este método não foi utilizado em nenhum país no mundo, exceto com fins experimentais. Ao mesmo tempo, faz três anos que a empresa não realiza nenhuma prova de campo (sobre o terreno) de caráter semi-industrial para demostrar que este método pode aplicar-se ao caso da mina de Skuriés, Calcídica.

Ambos científicos sustentaram que as obras de extração de ouro em Calcídica contaminam as águas superficiais e subterrâneas da zona com substâncias tóxicas, e o meio ambiente com resíduos e dejetos sumamente perigosos. Também, ambos denunciaram que Ouro Grego oculta que os materiais que utiliza na extração são de alto nível de risco para a vida humana e o equilíbrio do meio ambiente. Concluíram dizendo que tudo isto está mencionado também nos relatórios dos inspetores do meio ambiente, os quais estavam a muitas semanas “descansando” fechados nas gavetas do Ministério do Meio Ambiente. Read the rest of this entry »

Há alguns dias, uns altos executivos da empresa multinacional Eldorado Gold visitaram o arcebispo da Grécia (foto). Trata-se do diretor executivo e do vice-presidente da empresa, assim como do diretor executivo de sua empresa filial na Grécia, Elinikós Jrisós (Ouro Grego). Dita empresa é a encarregada das obras desastrosas de extração de ouro no noroeste de Calcídica, as quais causaram uma onda de protestos por parte dos habitantes da província e de milhares de solidários em toda Grécia.

Segundo lemos nos meios desinformativos, os altos executivos da multinacional informaram ao arcebispo, “do estado de saúde dos mineiros” que estavam há vinte dias nas minas protestando pela decisão ministerial que anulava as obras de extração no bosque de Skuriés. Os meios desinformativos querem fazer com que acreditemos que os títeres engravatados da multinacional que cobram 18 milhões de dólares ao ano, ou seja, uns 75.000 dólares por cada dia de trabalho, se preocuparam com a saúde dos mineiros, e cruzaram o Atlântico para informar ao… chefe da Igreja grega… Como veremos mais adiante a coisa não é exatamente assim.

Nos mesmos meios lemos que o arcebispo “manifestou sua preocupação pelo estado de saúde dos mineiros”, mencionando que “apoia sua luta”. Trata-se da mesma pessoa que jamais manifestou sua preocupação pelo estado de saúde dos milhares de habitantes da província que estão sofrendo as desastrosas consequências do processamento com cianeto de milhões de toneladas de terra, pela contaminação dos aquíferos ou pela destruição total dos ecossistemas da zona, por não falar da repressão brutal que há anos estão sofrendo por parte das forças repressivas do Regime. O arcebispo apoia (com uns anos de atraso) a “luta” de um punhado de mercenários, mas não se inteirou da luta antimineradora dos habitantes dos povoados da província e do movimento antimineiro em toda Grécia. Read the rest of this entry »

Calcídica: 10 dias de resistência antimineraçãoDe 24 de julho a 2 de agosto de 2015, na floresta de Skuriés, nordeste de Calcídica, os comitês de luta antimineração realizarão um acampamento livre com a celebração de vários eventos e ações contra a instalação de uma mineração de ouro nesta floresta. A seguir, publicamos o cartaz e o breve texto do chamado.

90 crimes, 350 perseguidos. O nordeste de Calcídica segue resistindo contra toda lógica de delegação. Não temos nenhuma confiança na delegação, lutamos nós mesmos.

Desde o 12 de julho de 2015 (data em que expirou o prazo que tinha recebido a empresa de mineração Ouro Grego para apresentar todos os dados necessários para a extração de ouro), a empresa Ouro Grego (Eldorado Gold) é totalmente ilegal, ignorando de uma maneira provocativa todas as condições restritivas que lhe foram impostas pelo Ministério, como se ela fosse um Estado dentro do Estado grego.

As evoluções recentes não permitem-nos que fiquemos à espera, nem que tenhamos ilusões falsas de que haverá qualquer resultado delegando a expulsão da empresa de mineração ao governo. Quando se diz resultado é para se referir à retirada da empresa antes da conclusão do seu plano inversivo. De qualquer forma, a única razão para anular a destruição ambiental é (e deve ser) a presença combativa do movimento antimineração. Read the rest of this entry »

Atenas, 3 de junho de 2015: Mobilizações contra a extração de ouro em CalcídicaNeste post publicamos um chamamento a duas concentrações contra a extração de ouro em Calcídica, na quarta-feira, 3 de junho, em Atenas.

A atividade da empresa mineradora de interesses canadenses Ouro Grego (Elinikós Jrisós) teria que ter parado faz muito tempo. Porque é destrutiva, ilegal, sem benefícios sociais e sem o consenso da sociedade. Em vez disto, a empresa segue destruindo rapidamente o monte Kákavos. É óbvio que a empresa se aproveita de tudo para criar fatos consumados que tornaria inevitável a destruição de Calcídica. Ao mesmo tempo, mais de 350 lutadores são perseguidos, sendo a única acusação substancial contra eles sua resistência à lógica das “inversões a qualquer custo” e exerceram seu direito a proteger sua terra.

A responsabilidade desta situação recai no governo e no poder judiciário. Os juízes devem fazer justiça baseando-se na legislação, no interesse público social, e no senso comum da justiça, e não sobre a base dos interesses dos “investidores”. O governo tem que deixar de ser um espectador do crime que está sendo cometido, e deve assumir a responsabilidade política e moral que acarreta a destruição de toda uma região. Deve mostrar a vontade política adequada – e que antes das eleições havia ficado clara – de resolver de imediato esta questão de uma vez por todas. Read the rest of this entry »

Contaminação multinacionalContaminação multinacionalContaminação multinacional
Faz uns dias na página web do Observatório de Atividades Mineiras foram publicadas várias fotos e um vídeo do rio Kokkinólakkas no noroeste de Calcídica, onde a empresa mineradora Ouro Grego (Elinikós Jrisós), filial da multinacional Eldorado Gold, começou as obras de construção de uma mega-mineradora de ouro.

O rio passa por Skuriés, a zona de duas minas subterrâneas no monte Kákavos, no noroeste de Calcídica. No rio derramam vários líquidos ácidos, metais pesados e outros resíduos industriais. Estes derrames são os refugos da extração de minerais sulfurosos. Sua cor é devido a sua exposição ao ar e à reação com a água do rio.

As imagens que se pode ver nas fotos e no vídeo são diárias. Supõe-se que a empresa grega Ouro Grego havia resolvido o fenômeno do escoamento ácido preenchendo as galerias de extração subterrânea de terra. No entanto, a empresa mineradora usa os mesmos escoamentos sulfurosos para o preenchimento das galerias. Como consequência o escoamento e a contaminação é muito maior. De todas as formas, ainda que, quando se preencham as galerias subterrâneas após a extração, não se evitaria a contaminação. Agora, no entanto, é ainda maior. Read the rest of this entry »

Massiva manifestação antimineração obriga mercenários de empresa mineradora a antecipar saída de Atenas  Massiva manifestação antimineração obriga mercenários de empresa mineradora a antecipar saída de Atenas  Massiva manifestação antimineração obriga mercenários de empresa mineradora a antecipar saída de Atenas  Massiva manifestação antimineração obriga mercenários de empresa mineradora a antecipar saída de Atenas  Massiva manifestação antimineração obriga mercenários de empresa mineradora a antecipar saída de Atenas  Massiva manifestação antimineração obriga mercenários de empresa mineradora a antecipar saída de Atenas
Hoje, 16 de abril de 2015, Atenas se manifestou em solidariedade com a luta antimineração em Calcídica. Mais de 3.000 pessoas, a maioria anarquistas, antiautoritários e membros de grupos e partidos esquerdistas extraparlamentares, participaram da manifestação que aconteceu no centro de Atenas, alçando a voz contra a mineração de ouro no norte de Calcídica.

A concentração da manifestação foi realizada no pátio dos Propileus da velha Universidade, no centro de Atenas. Atualmente, o edifício neoclássico da velha Universidade abriga a Reitoria da mesma, que está ocupada há 18 dias por solidários com a greve de fome de alguns presos políticos. O edifício da Reitoria está sob o cerco policial já faz alguns dias.

A manifestação começou com confrontos entre policiais e ativistas que tentaram romper o cordão policial em torno do edifício da Reitoria (vídeo). Os manifestantes marcharam quase uma hora pelo centro, atravessando a praça principal de Síntagma (Constituição), onde o Parlamento está localizado, antes de retornar ao local da concentração, ali a maioria dos manifestantes se dispersou. Um pequeno grupo foi para o bairro vizinho de Exarchia, onde, por um tempo, surgiram confrontos entre este grupo e os policiais. Read the rest of this entry »

16 de abril de 2015: Atenas se manifesta contra a mineradora de ouro em CalcídicaNeste post publicamos o cartaz e o chamamento do Comitê de Solidariedade com Caldídica (de Ática) a uma manifestação anti-mineradora na sexta-feira, 16 de abril de 2015, em Atenas, contra a extração de ouro no noroeste de Calcídica. Ao mesmo tempo esta manifestação será uma resposta combativa à concentração de mercenários, valentões e de um punhado de mineiros que trarão à Atenas a empresa mineradora Ouro Grego (Elinikós Jrisós), filial da multinacional Eldorado Gold.

Continua de forma intensiva a destruição do bosque de Skuriés em Calcídica. Nós todos já temos uma ideia clara da catástrofe que está se realizando. Entretanto, o que vimos até agora é tão só uma pequena parte do que está sendo planejado com o fim de realizar um dos investimentos mais desastrosos das últimas décadas, o da mineração (extração) de ouro no nordeste de Calcídica. Sabemos também como conseguiram para chegar até aqui: Com licenças baseadas em dados falsos e com estudos fraudulentos. Com a corrupção e a chantagem de uma parte da comunidade local. Com a violência, a repressão e a perseguição aos que resistem. Com o consentimento de uma Justiça “cega”. E, por último, com o pleno apoio dos governos dos últimos anos.

Com tudo isto, a Eldorado Gold (empresa multinacional canadense), os que a apoiam e seus patrocinadores (protetores) políticos, pensaram que resolveriam o problema de forma permanente. E que poderiam proceder sem problemas à inversão desastrosa em Calcídica. Se equivocaram. Em parte por causa da mudança de política nos últimos meses, e muito mais por causa da luta tenaz da maioria dos habitantes da região, começaram de novo a espalhar o pânico e recorrer à repressão da pior maneira, pondo na frente os trabalhadores na empresa, tal como ocorreu faz uns dias na manifestação de 5 de abril: Fizeram concentrações contra as manifestações anti-mineradora, realizaram ações de violência, vários lutadores, habitantes da região, ficaram feridos, e aconteceram muitas agressões contra habitantes dos povoados vizinhos. E tudo isso outra vez com o respaldo da Polícia, e outra vez com a desinformação massiva dos canais televisivos dos contratistas, ou seja os canais televisivos que eles controlam. Read the rest of this entry »

Calcídica: Polícia, mineiros e valentões da empresa mineradora atacam a manifestantes antimineraçãoCalcídica: Polícia, mineiros e valentões da empresa mineradora atacam a manifestantes antimineraçãoCalcídica: Polícia, mineiros e valentões da empresa mineradora atacam a manifestantes antimineraçãoCalcídica: Polícia, mineiros e valentões da empresa mineradora atacam a manifestantes antimineraçãoCalcídica: Polícia, mineiros e valentões da empresa mineradora atacam a manifestantes antimineração
No domingo, 5 de abril de 2015, centenas de manifestantes antimineração, em sua grande maioria habitantes dos povoados do noroeste da província de Calcídica, se concentraram aos pés do monte Kákavos para realizar uma marcha antimineração até o lugar onde a empresa mineradora Ouro Grego (Elinikós Jrisós), filial da multinacional Eldorado Gold, está tentando instalar uma mineradora de ouro.

A manifestação antimineração havia sido anunciada faz uns dias por vários comitês de luta antimineração locais e por iniciativas de habitantes da província, que resistem a destruição dos ecossistemas de sua terra. Ao mesmo tempo a empresa mineradora e seus capangas haviam chamado a uma concentração contra esta manifestação.

Os manifestantes que se concentraram a pouca distância da Polícia foram testemunhas da atitude dos policiais, que não só não bloquearam os mineiros e os valentões da empresa, senão que quando eles passaram por entre as filas dos policiais e atacaram os manifestantes antimineração atirando pedras, ajudaram aos valentões disparando gases lacrimogênios nos manifestantes antimineração. Apesar de que estes últimos receberam o ataque coordenado de mineiros, valentões e policiais, não se dissolveram nem retrocederam. Enfrentaram a todas estas escórias que atuaram em comum de uma maneira coordenada e organizada. Read the rest of this entry »

Arquivo