Posts Tagged ‘o que (não) é que estamos vivendo’

 

Neste post, publicamos o terceiro dos três cartazes publicados no site classwardogz.wordpress.com, intitulado “O que é que estamos vivendo”. Todos os cartazes da série podem ser vistos aqui.

O que estamos vivendo não é algum parêntese desagradável, ou qualquer pesadelo que, quando acordarmos, tudo estará bem.

É uma profunda derrota de classe, de quarenta anos, mental, politica e cada vez mais a nível material.

Quanto mais cedo entendermos e deixarmos de reproduzir contos esquerdistas estatais e nos organizarmos adequadamente, melhor para nós.

Fonte: classwardogz.wordpress.com.

O texto em castelhano.

 

Neste post, publicamos o segundo dos três cartazes publicados no site classwardogz.wordpress.com, intitulado “O que é que estamos vivendo”. O primeiro cartaz da série pode ser visto aqui.

 O que estamos vivendo não é “uma ofensiva contra a classe média”.

 Nesse país, há 25 anos, a classe média tem vivido e crescido não só com o apoio do Estado, mas também com a exploração do trabalho dos trabalhadores nativos e sobretudo dos imigrantes, como conseqüência da ofensiva contra a classe trabalhadora.

Quanto mais cedo entendermos e deixarmos de reproduzir contos esquerdistas estatais e nos organizarmos adequadamente, melhor para nós.

Fonte: classwardogz.wordpress.com

O texto em castelhano.

 

Neste post, publicamos o primeiro dos três cartazes publicados no site classwardogz.wordpress.com, intitulado “O que é que estamos vivendo”. Em dois próximos posts, publicaremos os outros dois cartazes desta série.

O que estamos vivendo não é “uma ofensiva da Troika¹ e da União Europeia contra o povo grego.

É a ofensiva da patronal e do Estado grego contra a classe trabalhadora.

Quanto mais cedo entendermos e deixarmos de reproduzir contos esquerdistas estatais e nos organizarmos adequadamente, melhor para nós.

Fonte: classwardogz.wordpress.com.

[1] União Europeia, Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional.

O texto em castelhano.

 

Arquivo