Posts Tagged ‘mobilizações’

Neste post publicamos o chamado do grupo anarquista de Patras Dissinios Ippos (Cavalo Indomável) a duas manifestações contra a instalação de armas nucleares na base aérea de Araxos, perto da cidade de Patras.

Contra a instalação de armas nucleares na base aérea de Araxos.

As crises generalizadas do Estado e dos chefes no mundo conduzem com precisão matemática a uma via, se não for formada uma frente de luta e de resistência internacional ampla: a das sociedades em guerra, da generalização e agudização dos antagonismos geopolíticos e das operações militares, inclusive de uma grande guerra e da consolidação do estado de emergência, como uma rede inflexível de controle e de repressão de todas as facetas das atividades sociais.

Luta internacionalista contra a guerra, a indigência e o totalitarismo moderno.

Concentrações, marchas: segunda-feira, 6 de novembro de 2017, às 6h30, Praça Georgiou (Patras), domingo, 12 de novembro de 2017, às 11h, Araxos.

Grupo anarquista Dissinios Ippos (Cavalo Indomável) – membro da Organização Política Anarquista

Tradução: Agência de Notícias Anarquistas.

O texto em grego, castelhano.

Segue o comunicado da Coordenadora de Ierissós contra a extração de ouro e cobre, emitido por causa do anúncio da empresa mineradora Eldorado Gold da celebração da inauguração de uma fábrica em Olimpiada, Calcídica, sem licença de funcionamento. Como se denuncia no texto do comunicado, o governo esquerdista (que quando era Oposição estava contra a extração de ouro) prometeu à empresa mineradora dar-lhe esta licença, fazendo a vista grossa ante as consequências desastrosas que terá a extração para o meio ambiente e a vida humana, e ante as sucessivas violações por parte da empresa da legislação da democracia burguesa.

Nós não temos as ilusões falsas que tem os partidários do regime da democracia burguesa e os que creem que possam mudar algo pela via institucional. As leis são feitas para servir aos interesses do Capital. Seus títeres políticos tem duas opções quando em algum momento uma lei não é de todo concordante com estes interesses: Fazer a vista grossa ante sua violação ou mudá-la segundo como sejam estes interesses nesse momento. Os de baixo tem uma opção se querem derrocar e eliminar totalmente este regime: Lutar sem nenhum tipo de mediadores e hierarquias. Isto não é nada claro para uma boa parte dos explorados. Tampouco é claro que esta maioria compartilha nossas aspirações ou sonhos. Isto é algo que muito pouco tem preocupado a quase todos os coletivos anarquistas, antiautoritários ou libertários neste país. Ao contrário, está preocupando muito à maioria das pessoas anarquistas e libertárias, que por uma série de razões que não tocaremos nesta postagem se abstém de tudo o que abarca o termo “movimento”.

A empresa mineradora Eldorado Gold, depois de chantagear e enganar reiteradas vezes o Estado grego e a todos os que estavam dispostos a ser enganados, deu um passo mais, incluindo esta vez em suas vítimas a seus próprios acionistas. Ao mesmo tempo que o valor de sua ação na Bolsa de Nova York vai caindo, havendo chegado a seu nível histórico mais baixo, um pouco menos de dois dólares, está anunciando uma festa para o 15 de setembro, convidando a toda a chusma dos políticos interconectados e os “jornalistas subvencionados”, para inaugurar, como sustenta, a fábrica de Olimpiada, a qual, desde logo o governo não lhe deu permissão (licença) de funcionamento ou Estado grego. Read the rest of this entry »

Em 13 de julho de 2017 realizou-se nas ruas do centro de Atenas a marcha que havia sido convocada pela “Coordenadora de ação contra a abolição do domingo como dia festivo e contra os horários ‘liberalizados'”. Esta mobilização aconteceu três dias antes da greve a nível nacional convocada no setor do comércio para o domingo 16 de julho.

A marcha durou duas horas e meia e percorreu uma boa parte do centro de Atenas, passando pelas ruas mais comerciais, informando às pessoas e os trabalhadores nas lojas sobre a greve, oralmente ou com folhetos distribuídos. Terminou na praça do bairro turístico de Monastiraki. Além dos membros da Coordenadora, na marcha participaram membros de sindicatos de base, coletividades e assembleias. Segue o texto que liam por megafone, os membros da iniciativa de trabalhadores no setor do comércio “Orthostasía” em cada parada realizada durante a marcha.

“Colegas,

A nova lei sobre os 32 domingos ao ano de lojas abertas, não concerne só ao setor do comércio. Concerne a todos os trabalhadores, seu objetivo é eliminar nosso tempo livre e nossos direitos. Read the rest of this entry »

Informação sobre as mobilizações recentes em Tessalônica contra a abolição do domingo como dia festivoInformação sobre as mobilizações recentes em Tessalônica contra a abolição do domingo como dia festivoInformação sobre as mobilizações recentes em Tessalônica contra a abolição do domingo como dia festivoInformação sobre as mobilizações recentes em Tessalônica contra a abolição do domingo como dia festivo
Em Tessalônica no domingo 16 de julho de 2017, no marco da greve convocada no setor do comércio a nível nacional, a “Coordenadora de ação contra a abolição do domingo como dia festivo e contra os horários ‘liberalizados'” procedeu a piquetes e bloqueios de lojas na avenida mais comercial do centro da cidade. A mobilização começou um pouco antes das 11h e terminou por volta das 14h. Muitas lojas não abriram durante a realização dos bloqueios. Entre elas várias lojas de marca, como Zara, Benetton, H&M, Marks & Spencer, Massimo Dutti, Stradivarious, etc.

Os trabalhadores nas lojas do centro reagiram positivamente à mobilização, no entanto, muito poucos foram os que participaram nela. Não faltaram os casos de “consumidores indignados”, ou seja de consumistas lobotomizados, aos quais fizemos várias referências em postagens anteriores. Vale a pena mencionar que em 16 de julho pela primeira vez se realizaram mobilizações semelhantes em várias cidades provincianas.

A União de Trabalhadores no Setor do Comércio de Tessalônica se viu obrigada a participar nas mobilizações, realizando bloqueios em várias lojas comerciais e grandes armazéns (Public, Notos, H/M, Attica). Evidentemente, este sindicato vertical (assim como a fração sindical do autodenominado Partido “Comunista”) nem propõe a organização horizontal e desde baixo, nem tem a intenção de levar alguma luta combativa contra os interesses dos patrões, pequenos e grandes. Read the rest of this entry »

Cartaz do Comitê de Luta de Megali Panaguiá, chamando para participar no acampamento de luta contra as minas de ouro em Calcídica, de 27 julho a 6 agosto de 2017. O cartaz foi publicado no site do Comitê.

Acampamento de luta em Skuriés com ações, reações e interações

Nada acabou, tudo continua

A vida vencerá, El Dorado vai embora

Nós, o povo do nordeste de Calcídica, o Comitê de Luta de Megali Panaguiá e aqueles que continuam interessados e estão cientes sobre este tema, declaramos categoricamente que nada acabou. Como se segue a imposição da arbitrariedade e da mania catastrófica e arrasadora de El Dorado, através da podridão governamental das “licenças secundárias”, da mesma forma segue, com a mesma intensidade, a luta dos indígenas do nordeste de Calcídica e dos solidários por uma vida decente e digna de ser vivida.

Comitê de Luta de Megali Panaguiá

Tradução: Agência de Notícias Anarquistas.

O texto em castelhano.

Segue o comunicado da coletividade anarquista “Ciclo do Fogo” sobre as mobilizações contra a cúpula do G20 em Hamburgo.

A cúpula do G20 na cidade alemã de Hamburgo se converteu em um evento mundial para as resistências dos de baixo, graças à presença combativa de milhares de manifestantes nas ruas da cidade. A seleção de uma cidade grande da Alemanha para esta cúpula constituiu desde o princípio uma tentativa dos soberanos de ostentar seu Poder. Segundo a chanceler da Alemanha: “Não podemos dizer que haja lugares nos quais não se possa celebrar este evento”. Os responsáveis da indigência e da opressão de milhões de pessoas se reuniram próximo de um bairro de simbolismos históricos de luta, e muito próximo da okupa Rote Flora, por um lado para ratificar sua ofensiva e elaborar planos para continuá-la, e por outro lado para declarar que ganharam a guerra contra os plebeus. Escolhendo este lugar para sua reunião e expressando sua vontade de celebrá-la sem estorvos, dentro do possível, pretenderam apresentar a resistência como um assunto marginal e sem nenhuma importância política.

Foram desmentidos da pior maneira, já que o fato político mais importante (central) dos últimos dias não foram as reuniões e os banquetes luxuosos da elite política mundial, celebrados sob a custódia de um exército repressivo de 20.000 policiais. (O fato político mais importante) foram os enfrentamentos, as barricadas e as manifestações, demostrando que a ditadura estatal e capitalista reina, não governa, e que a vontade dos soberanos do mundo se impõe por poderem exercer a violência com seus exércitos. Os disparos ao ar, os ataques selvagens contra os manifestantes que resistem, as detenções e os manifestantes lesionados, nos exasperam e por sua vez constituem uma derrota política grande para os soberanos do mundo, já que estropiaram a falsa imagem do consentimento a sua vontade, e ridiculizaram sua cara democrática. Read the rest of this entry »

Neste post publicamos um texto da Assembleia de anarquistas pela emancipação social e de classe sobre as contínuas tentativas das elites econômicas e sociais de eliminar o caráter festivo do domingo.

Nenhum domingo com lojas abertas. Contra-ataque social e de classe contra o Estado e o Capital

No marco da reestruturação capitalista a ofensiva do Estado e do Capital está se intensificando. Os gestores políticos continuam a ofensiva contra a sociedade sem parar, demonstrando a continuidade do Estado, não apenas apoiando e materializando as medidas no marco dos memorandos impostos por seus predecessores, mas impondo um quarto memorando e intensificando a indigência e o empobrecimento dos explorados e dos oprimidos, rebaixando constantemente os salários e as pensões, impondo a precariedade, o desemprego e a privatização da riqueza pública e dos recursos naturais.

Depois de várias tentativas de legislar a abolição do domingo como dia festivo, ou seja abolindo um direito trabalhista conquistado com duras lutas, recentemente foi votada a lei que prevê a abertura das lojas todos os domingos desde maio até outubro, ou seja 32 domingos ao ano. A abertura das lojas aos domingos vem a legalizar-se em nome do cobiçado desenvolvimento, do aquecimento da economia nacional e da criação de novos postos de trabalho, no entanto, não é nada mais que a continuação do agravamento das condições de exploração. Vem se somar à mudança violenta das condições de trabalho nas quais se inclui o trabalho remunerado, os horários de trabalho flexíveis, os contratos de trabalho individuais, a reciclagem dos desempregados através dos denominados programas de trabalho de interesse social, o trabalho sem seguro social, etc. Esta mudança conduz à continuação da desvalorização da força laboral, sempre beneficiando o Capital. Está integrada na tentativa de impor (consolidar) um modelo laboral mais flexível, no qual os trabalhadores terão que estar constantemente dispostos, segundo as necessidades dos patrões. No mesmo marco estão integradas as chamadas “Noites Brancas”, com os dependentes sendo obrigados a trabalhar até uma ou duas da madrugada. Read the rest of this entry »

Mobilizações em protesto contra os "acidentes de trabalho" mortais de entregadoresMobilizações em protesto contra os "acidentes de trabalho" mortais de entregadoresMobilizações em protesto contra os "acidentes de trabalho" mortais de entregadores
Durante os últimos tempos os entregadores de Atenas e de vários coletivos auto-organizados estão realizando mobilizações por causa das mortes-assassinatos de vários trabalhadores neste setor durante o seu trabalho. Notamos que os sindicatos amarelos e os partidos não convocaram qualquer mobilização visibilizando este problema, e os meios de desinformação e lavagem cerebral silenciaram completamente as mortes e mobilizações.

Na quinta-feira, 18 de maio de 2017, foi realizada uma marcha motorizada pelas ruas de vários bairros de Piraeus, em protesto contra os chamados “acidentes de trabalho”, especificamente pelos acidentes-assassinatos de entregadores (fotos). A marcha foi chamada por vários coletivos anarquistas, antiautoritários e trabalhadores destes bairros e por uma Assembleia de bairro. Na marcha participaram também membros da Assembleia de Base de Trabalhadores Motorizados. Foram desfraldadas faixas, feitas pichações e gritadas palavras de ordem, espalhados e distribuídos folhetos em pontos de ônibus e praças onde os manifestantes pararam para informar as pessoas. Também foram distribuídos folhetos aos entregadores que naquele momento estavam trabalhando.

Em 25 de maio a Assembleia de Base de Trabalhadores Motorizados convocou uma greve de trabalhadores neste setor. No cartaz da Assembleia se pode ler algumas das demandas da Assembleia: A moto usada tem que ser da empresa que contrata o trabalhador, a empresa tem de fornecer meios de segurança, o trabalho dos entregadores deve ser incluído nos serviços insalubres e perigosos, e o setor dos entregadores de todos os tipos deve ser considerado unitário. A concentração será às 10h, no Campo de Marte, Atenas. Read the rest of this entry »

Cartaz e comunicado do coletivo anarquista de Tessalônica “Negro e Vermelho”, publicados em sua página web.

O texto do cartaz:

“A humanidade deixou-se bastante tempo, muito tempo, governar e que a fonte dessas infelicidades não reside em tal ou qual forma de governo, mas no princípio e no próprio fato, qualquer que seja, do governo”.

Mikail Bakunin

Nenhum governo quer ou pode defender os interesses dos plebeus. Lutas sociais combativas, sem líderes, contra as planificações do Estado e do Capital.

Marcha de solidariedade e apoio à luta dos trabalhadores de Viomijanikí Metaleftikí, quinta-feira 11 de maio de 2017, às 18h, em Kamara.

Greve contra a votação do quarto memorando, o dia da greve geral, quarta-feira 17 de maio de2017, às 10h, em Kamara.

Coletividade pelo anarquismo social “Negro e Vermelho”, membro da Organização Política Anarquista/Federação de Coletividades

O texto do comunicado:

A votação que aprovou o quarto memorando intensifica a barbárie estatal e capitalista que os oprimidos estão sofrendo. A partir desta acepção notamos que a coalizão governamental, estando em plena concordância com sua trajetória e não surpreendendo a ninguém, reforça o aprofundamento da crise, cujas consequências afetam uma vez mais as classes sociais mais baixas, tornando insuportável seu cotidiano. Claro, esta ofensiva tem tantas interpretações e facetas como as pretensões dos soberanos. Read the rest of this entry »

Texto da coletividade antiautoritária de Ioannina Xeironimia-Movimento Antiautoritário sobre a instalação de antenas de celular nos bairros da cidade.

No dia 28 de janeiro de 2017 a coletividade Xeironimia-Movimento Antiautoritário realizou uma ação (intervenção) na praça principal de Ioannina contra a instalação de antenas de celular, distribuindo panfletos e abrindo faixas. O motivo do protesto foi a instalação em dois bairros da cidade de antenas de celular pela companhia Cosmote. Em ambos os casos, as antenas foram colocadas na casa de uma pessoa, que fica situada a pouca distância de duas escolas primárias. Segue o texto distribuído no protesto.

No dia 24 de dezembro de 2016 os habitantes de Lakkomata viram os membros de uma conhecida companhia de celular colocar (instalar) uma antena de telefonia que contêm altos níveis de radiação eletromagnética. Esta antena foi instalada a pouca distância do terreno da 4ªescola primária, dando para o pátio e para as salas de aula, da creche e do jardim de infância do bairro.

Confirma-se neste caso, que o legal não é necessariamente o correto, dado que a caótica autorização jurídica sobre o funcionamento das antenas não protege a população local, nem sequer os grupos sociais vulneráveis, legalizando a radiação destas antenas. O resultado é viver esta situação desumana com a instalação de uma antena ao lado de uma escola. Read the rest of this entry »

Arquivo