Posts Tagged ‘manifestação antifascista’

Em 24 de outubro de 2017 os neonazis do Aurora Dourada e alguns grupúsculos fachas haviam convocado uma concentração no centro de Atenas contra a nova lei sobre a mudança de sexo. Umas três horas antes da hora programada da concentração, centenas de antifascistas, em sua maioria anarquistas, antiautoritários e esquerdistas da Esquerda extra-parlamentar, se reuniram na maior praça de Atenas (Sintagma) com o fim de anular a concentração racista.

A polícia havia fechado as entradas das estações de metrô mais próximas à praça, pensando que desta maneira desanimaria as pessoas de ir à manifestação antifascista. Os quase duzentos antifascistas que naquele momento estavam reunidos na praça não puderam aproximar-se do lugar no qual uns trinta fascistas haviam estendido uma faixa, pois eles estavam protegidos por centenas de policiais. Um pouco mais tarde os aproximadamente quatrocentos antifascistas que estavam concentrados na praça naquele momento estavam rodeados por fortes forças policiais. Vários esquadrões estavam alinhados diante dos cinquenta fascistas encurralados na parte superior da praça.

Naquele momento um grupo de manifestantes se separou da manifestação e entrando nos becos das zonas vizinhas da praça, conseguiu chegar a pouquíssima distância dos fascistas, pegando a polícia desprevenida. Eles responderam com granadas de efeito moral e com gases lacrimogêneos disparados até este grupo de antifascistas. Ao mesmo tempo, evacuaram os fascistas, levando-os ao interior dos jardins nacionais, um lugar totalmente isolado. Read the rest of this entry »

Informação sobre a manifestação antifascista de 18 de setembro em PatrasInformação sobre a manifestação antifascista de 18 de setembro em PatrasInformação sobre a manifestação antifascista de 18 de setembro em Patras
Nos dias 16 e 18 de setembro, quatro anos depois do assassinato do músico antifascista Pavlos Fyssas por neonazistas, manifestações antifascistas ocorreram em várias cidades do território do Estado grego. A seguir, o boletim informativo do grupo anarquista de Patras Dissinios Ippos (Cavalo Indomável) sobre a manifestação realizada nesta cidade.

Na segunda-feira, 18 de setembro de 2017, uma manifestação antifascista ocorreu em Patras quatro anos depois do assassinato de Pavlos Fyssas pelos batalhões de assalto do Aurora Dourada. Durante a manifestação realizada na praça principal da cidade, no teatro municipal Apollo foi desfraldada uma faixa que dizia: “Pavlos está vivo. Esmague os nazis. Capital e Estado engendram o fascismo”.

A manifestação foi sucedida por uma marcha pelas ruas do centro da cidade de Patras, na qual muitas pessoas participaram. No bloco anarquista, formado pelo grupo anarquista Dissinios Ippos (Cavalo Indomável) após várias convocatórias (chamados) da Organização Política Anarquista, participaram aproximadamente 80 pessoas. A faixa principal dizia: “Da Europa à América… esmagar o Estado, o Capital e os fascistas”. No geral, a manifestação foi combativa, especialmente quando a marcha passou muito perto dos escritórios do Aurora Dourada, que estavam protegidos por numerosas forças policiais. Read the rest of this entry »

A seguir, publicamos o chamado do grupo anarquista de Patras Dissinios Ippos (Cavalo Indomável) e da Organização Política Anarquista a uma concentração e marcha nesta cidade, em 18 de setembro, quatro anos depois do assassinato do músico antifascista Pavlos Fyssas por um batalhão de assalto neonazista em um bairro de Pireus. Várias manifestações antifascistas serão realizadas entre os dias 16 e 18 de setembro em Atenas e em várias cidades do território do Estado grego.

Quatro anos depois do assassinato de Pavlos Fyssas pelos batalhões de assalto do Aurora Dourada…

O julgamento do Aurora Dourada ainda está em andamento, sendo seu principal objetivo a imposição da “normalidade democrática” e a consolidação da teoria dos dois extremos. Ao mesmo tempo, está sendo preparado o reaparecimento dos batalhões de assalto paraestatais, o assassino Rupakiás saiu da prisão, e se pretende ilegalizar e reprimir a luta social e antifascista nas ruas, com os ataques e acusações contra várias mobilizações antifascistas e com constantes perseguições de ativistas anarquistas e antifascistas. Read the rest of this entry »

Na quarta-feira, 23 de agosto de 2017, uns deputados do partido neonazi Aurora Dourada chegaram à ilha de Creta para celebrar um evento em Heraklion, capital da ilha. Como sucedeu no passado em casos semelhantes, a data e a hora da celebração do evento foram divulgadas dois dias antes, pensando que desta maneira se evitaria a realização de uma manifestação antifascista.

No entanto, apenas os antifascistas da ilha se inteiraram da chegada dos deputados neonazis, uns 130 deles realizaram uma concentração no bairro de Alicarnaso, onde se celebraria o evento fascista. A concentração durou umas três horas. Segundo o comunicado que emitiram os antifascistas de Heraklion, as pessoas deste bairro reagiram de maneira positiva ao verem os antifascistas manifestando-se contra a presença dos nazis na cidade, em uma ilha que sofreu muitíssimo durante sua ocupação pelas tropas alemãs na segunda guerra mundial.

Quatro esquadrões das chamadas forças antidistúrbios, uns vinte policiais motorizados e mais alguns vestidos à paisana, se alinharam em torno ao local em que estavam reunidos os fascistas. Apesar de que não foi possível que os antifascistas se aproximassem deste lugar, sua presença na praça do bairro desalentou a participação de muitos neonazis no evento organizado por seu bando criminoso. Uma vez mais os deputados neonazis (que viajaram desde Atenas só para assistir a este evento) se viram forçados a celebrar um evento sem gente, na presença apenas de um punhado de lacaios, esbirros seus e outras escórias e mercenários. Read the rest of this entry »

A seguir, texto informativo da Organização de Antifascismo Combativo sobre a manifestação antifascista de 26 de abril no centro de Pireu, em razão da qual foi dissolvida uma concentração neonazi.

Na quarta-feira 26 de abril de 2017 a organização criminosa Aurora Dourada realizou mais uma tentativa lamentável de reaparecer nos bairros de Pireu. A concentração bateu o recorde da participação, com treze pessoas. A concentração fascista começaria às 15h30 (o chamado foi publicado 24 horas antes da concentração). Os fascistas apareceram na praça Koraí e permaneceram alguns minutos e fugiram às 13h quando chegaram os manifestantes antifascistas.

Uma vez mais o movimento antifascista mostrou reflexos incríveis, anulando uma tentativa mais de concentração pública dos neonazis. Ao mesmo tempo, no entanto, se revelou a total incapacidade organizativa da cúpula do Aurora Dorada, já que o “bastião” do Pireu conseguiu reunir uma dezena de imbecilizados.

Vale a pena assinalar que a concentração do Aurora Dorada havia sido convocada com o pretexto da participação do município de Pireu no projeto europeu “CITIGE: CITIzen and refuGEes”. Claro, o município participará neste projeto, no entanto, Aurora Dorada teve que inventar uma desculpa sobre um centro de internamento inexistente para desaparecer o quanto antes do centro de Pireu. Read the rest of this entry »

Atenas, 8 de abril de 2017: Manifestação antifascista em resposta à agressão neonazi contra estudanteAtenas, 8 de abril de 2017: Manifestação antifascista em resposta à agressão neonazi contra estudanteAtenas, 8 de abril de 2017: Manifestação antifascista em resposta à agressão neonazi contra estudante
Segue o texto da Organização de Antifascismo Combativo sobre a manifestação antifascista realizada no sábado 8 de abril no bairro de Ampelokipi, próximo do centro de Atenas, por causa da agressão que havia realizado uns dias antes um batalhão de assalto neonazi contra um estudante universitário.

Em 8 de abril de 2017, pela manhã, milhares de lutadores se manifestaram no bairro de Ampelokipi contra a organização criminosa Aurora Dourada. Expressaram sua indignação pela surra dada por um batalhão de assalto fascista a um estudante, em 31 de março, e pela tentativa dos fascistas de semear o terrorismo no bairro.

Uma vez mais vimos a cara dura do fascismo. Enquanto estão desaparecidos durante os últimos tempos, tendo recebido uma série de golpes por parte dos antifascistas, não duvidaram em pôr no ponto de mira a um cidadão inocente, tratando de jogar o papel dos combativos, tanto como resposta às queixas que há em seu interior, como para mostrar seus “dentes” a nosso grupo político. Fracassaram uma vez mais, e se afundaram em sua inexistência.

Estão tratando de tirar partido do ambiente internacional que promove a extrema-Direita como uma alternativa à crise política e econômica a nível mundial. No entanto, na realidade política grega as coisas são diferentes. O movimento antifascista de classe não só não foi esmagado, senão que está reivindicando e está marcando vitórias. Anulou todas as tentativas do Aurora Dourada de aparecer na rua, e constantemente surgem oportunidades de seguir fazendo-o. Read the rest of this entry »

Komotini, 6 de novembro de 2016: Manifestação antifascista motivada pela inauguração da sede do Aurora DouradaKomotini, 6 de novembro de 2016: Manifestação antifascista motivada pela inauguração da sede do Aurora DouradaKomotini, 6 de novembro de 2016: Manifestação antifascista motivada pela inauguração da sede do Aurora DouradaKomotini, 6 de novembro de 2016: Manifestação antifascista motivada pela inauguração da sede do Aurora Dourada
O texto a seguir foi baseado em dois textos informativos, um do coletivo pelo anarquismo social “Negro e Vermelho” e outro do Movimento Antiautoritário de Komotini, sobre uma manifestação antifascista realizada em 6 de novembro de 2016 nesta cidade, motivada pela inauguração da sede do partido neonazista Aurora Dourada, assim como o texto que acompanha o vídeo (publicado por esse último coletivo) que linkamos ao final deste post.

A manifestação antifascista na praça de Komotini, contra um evento programado do Aurora Dourada, no qual falou o deputado Lagós, foi realizada com êxito. Desde a manhã do dia 6 de novembro uns 150 antifascistas haviam bloqueado o acesso à sede dos fascistas, que só conseguiram acessá-la quando a Polícia intercedeu contra a manifestação antifascista. Apesar das reiteradas tentativas da Polícia de dissolver a manifestação, os antifascistas permaneceram durante nove horas na praça, desde a manhã até o fim da manifestação (21h15), e não deixaram de gritar palavras de ordem.

Uns 15-20 fascistas conseguiram acessar sua sede, no quarto andar de um edifício, e não se atreveram a sair de lá, mesmo estando protegidos por quatro divisões policiais. O bloco dos manifestantes permaneceu massivo e combativo até o fim da manifestação. Em seguida, se retirou realizando uma marcha pelo centro da cidade. Read the rest of this entry »

Texto da Assembleia de anarquistas-comunistas pelo contra-ataque de classe contra a União Europeia, publicado em sua página web.

No sábado 8 de outubro o bando de nazis interconectados com o Corpo Nacional de Espionagem Aurora Dourada inaugurou seus escritórios”sindicais” no bairro de Pangrati. Após uma iniciativa de companheiros e companheiras dos bairros vizinhos foi convocada uma manifestação antifascista na mesma hora (que o evento fascista), com o fim de anular a festinha fascista. Ao chamado responderam coletividades do âmbito anarquista e antiautoritário, sindicatos de base, organizações esquerdistas e antirracistas, individualidades, assim como habitantes dos bairros vizinhos. Mais de 1.000 antifascistas se manifestaram para não deixar nem um centímetro quadrado de terra aos esbirros do Capital, e para impedir com sua presença a difusão do veneno fascista.

Como Assembleia de anarquistas-comunistas pelo contra-ataque de classe contra a União Europeia, optamos por participar na informação sobre as características da mobilização, reforçando ao mesmo tempo com nossa participação sua salvaguarda da violência policial e as provocações fascistas. Durante a marcha, ao chegar a duas maçãs (quadras) antes do cordão policial, um grupo de poucas pessoas, as quais marchavam encapuçadas pela calçada, em paralelo à marcha (apesar de que os organizadores e a salvaguarda lhes pedissem que se incorporassem à marcha), começou a armar-se quebrando pedras. Read the rest of this entry »

Há uns dias no bairro de Pangrati, em Atenas, aconteceu uma manifestação antifascista com o fim de anular a inauguração dos escritórios do partido neonazi Aurora Dourada neste bairro. A maioria dos manifestantes eram anarquistas, no entanto, não faltaram os blocos esquerdistas. A marcha não chegou aos escritórios dos fascistas por causa das forças policiais alinhadas em suas zonas adjacentes, entretanto, bloqueou o acesso a elas durante muitas horas. O resultado deste bloqueio foi que o evento fascista aconteceu com a presença de uns poucos antropoides isolados em uma rua e rodeados por centenas de policiais.

Durante a manifestação não faltaram os conflitos entre a salvaguarda da manifestação constituída por membros de vários coletivos anarquistas, e uma quadrilha que atuou (como sempre) à margem da manifestação de maneira contrária às decisões tomadas em (pela) assembleia que havia convocado a manifestação, sobre o seu caráter. É a enésima vez que algo semelhante acontece. Em um prefácio nosso publicado há seis meses explicamos porque já não publicamos notícias sobre incidentes provocados por tais quadrilhas.

A seguir, publicamos uns comentários sobre o ocorrido à margem dessa manifestação, quando os membros da custódia reagiram à tentativa desta quadrilha de atuar de uma maneira arbitrária e alterando o caráter da manifestação, o qual havia sido determinado em uma assembleia com processos horizontais uns dias antes. Consideramos que esta reação à atitude arbitrária e perigosa de dita quadrilha, assim como seu rechaço em um debate público na Internet, foram mais importantes que a própria manifestação. Por isso, publicamos aqui alguns comentários sobre este tema, publicados em um debate em Atenas Indymedia. Read the rest of this entry »

“Tinha que haver sacado a navalha antes que a serpente aparecesse, ou antes de que trepasse na árvore”.

No dia 28 de setembro de 2016, na prefeitura de Réthimno ocorreu uma sessão do conselho municipal, com a finalidade de debater sobre a questão dos refugiados que vão se instalar na ilha. Em razão disso, há alguns dias se publicou um chamamento anônimo para um protesto fora da prefeitura, com o fito de impedir o conselho de tomar uma decisão a favor de mencionada instalação. O chamamento xenófobo falava, de maneira inteligível, de nações, pátrias, genocídios e expulsão dos gregos e cretenses pelos “estrangeiros”. Os protagonistas de tal propaganda, assim como dos incidentes de 28 de setembro, eram membros da “Associação de ajuda mútua entre os devedores de Réthimno”, que acabou por se tornar um núcleo ultradireitista na cidade. Depois do fiasco total em consolidar o [partido] Aurora Dourada em nível local, os nazis locais tem buscado uma maneira de penetração nas estruturas locais como “cidadãos indignados”, que esperaria que protegesse o direito à moradia, independente de nação, sexo, pele ou religião. Mas andavam difundindo mentiras, enviando mensagens a celulares afirmando que as casas expropriadas dos gregos são entregues para estrangeiros.

Os protagonistas do incidente foram vários dirigentes do Aurora Dourada, os quais estando acompanhados por neonazis de outras cidades, proxenetas, provocadores e vários “chefes de clãs familiares” de Réthimno e Sfakiá, que além de ameaçar vários antifascistas lançaram contra os mesmos extintores, paus e cadeiras. Read the rest of this entry »

Arquivo