Posts Tagged ‘luta contra a mercantilização da água’

Nos dias 15 e 16 de setembro de 2017, o “Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água” organiza um festival na cidade de Stagiates, com projeções de filmes e documentários, debates e concertos. O tema do festival é a luta contra o saque e a mercantilização dos recursos naturais e da água em particular. Em alguns posts anteriores, você pode ler notícias sobre esta luta na província de Magnesia, especificamente no povoado de Monte Pelion, onde o Capital e as autoridades locais estão tentando cortar o acesso às fontes de água da montanha e de privatizar o abastecimento de água.

Resistências ao saque sem fronteiras: Projeções de documentários sobre os movimentos ambientais e sociais da América Latina. Debates com a participação de movimentos e coletividades da Grécia contra extrações, barragens, turbinas eólicas e privatização da água.

Sexta-feira, 15 de setembro de 2017, às 18 horas: Debateremos sobre a ofensiva do desenvolvimento “verde”. Participam os grupos Aqueloo-Mesojora SOS, Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água.

Sábado, 16 de setembro de 2017, às 20 horas: Debateremos sobre a criminalização das lutas das sociedades locais com a participação de representantes e solidários do movimento contra a extração de ouro em Calcídica, e com o Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água. Read the rest of this entry »

Boletim de imprensa da Aliança pela Água (da província de Magnésia), publicado na página web WaterVolo, movimento de habitantes de Pelion e Volos pela água.

Na terça-feira, 27 de junho, a Aliança pela Água realizou uma assembleia. Os temas debatidos foram o aumento do fitoplâncton às margens do golfo Pagasético, o funcionamento da planta da depuradora biológica, a cloração das águas dos mananciais (fontes) dos povoados de Monte Pelion, a política da Empresa Municipal de Águas de Volos sobre as dívidas dos consumidores, os cortes de fornecimentos de água, assim como os aumentos das tarifas de fornecimento de água, como resultado da aplicação da decisão interministerial sobre a nova tarificação do serviço de água.

Com respeito ao fitoplâncton, (nas águas do golfo da província) ultimamente aconteceram duas coisas que ninguém pode pôr em dúvida. O primeiro é a contaminação durante vários meses do golfo Pagasético com dejetos urbanos e com toneladas de amoníaco, por causa do funcionamento deficiente da planta da depuradora biológica. O segundo é que este ano este fenômeno se viu mais marcado e se deu em várias zonas geográficas. Isto não havia passado nos anos anteriores. No entanto, não há necessidade que seja especialista para entender que os comunicados das sociedades e empresas envolvidas no tema da privatização da água sejam contraditórios: A contaminação em fevereiro superou os limites aceitáveis e ao mesmo tempo o golfo Pagasético se limpou como por passo de mágica. Não nos explicaram quais foram as medidas tomadas que contribuíram à redução dos problemas. Tampouco as medições (dos níveis de contaminação) foram publicadas. Read the rest of this entry »

Texto da Assembleia aberta em solidariedade com os acusados por defenderem o caráter público da água e sobre o julgamento de um dos lutadores contra a privatização das águas do monte Pelión e da província de Magnesia. O título do texto em grego é “A água não é futebol, jogo de azar e lucro”.

A ofensiva que as populações locais estão recebendo por parte da autoridade municipal, cujo fim é a repressão e o silenciamento do movimento de defesa da água pública, culmina-se com o julgamento do agricultor lutador, membro do movimento pelas águas de Volos e do Monte Pelión. No dia 13 de março de 2015 centenas de moradores de Pelión e da cidade de Volos reuniram-se na frente do edifício da Empresa Municipal de Águas da cidade de Volos, com o fim de assistir ao debate da direção da empresa sobre o regulamento do uso e da distribuição da água de irrigação. O debate dirigia-se aos agricultores, que se veem forçados a abandonar os seus povos e terras, devido aos preços exorbitantes da água de irrigação, a deterioração da qualidade da água potável devido à cloração e a tentativa de privatizar a água de irrigação.

Beos, prefeito de Volos naquela altura, bloqueou a entrada do edifício com um cordão policial. Os policiais estavam plenamente equipados, e ao seu lado estavam alinhados os guardas de segurança e os “valentões”. Beos demonstrou que a sua intenção era aplicar de maneira fascista as decisões que se concluíssem no debate. Os manifestantes ao tentarem romper o cordão policial, puseram a sua integridade física em perigo e, alguns até se lesionaram. Um dos manifestantes quebrou uma costela ao receber um ataque coordenado e foi levado ao hospital. O lugar da concentração parecia um campo de batalha. Read the rest of this entry »

Recentemente o governo tomou a decisão de privatizar as companhias de águas de Atenas e Tessalônica, passando-as ao chamado “super fundo de privatizações”. Na realidade, o governo executou uma vez mais as ordens de seus amos políticos e econômicos, ou seja da União Europeia, do Fundo Monetário Internacional e do Banco Central Europeu, cujo fim é concretamente controlar a distribuição de água, e em geral eliminar os serviços públicos e privatizar os recursos naturais, transformando-os em um negócio lucrativo, segundo as normas do neoliberalismo.

A privatização da água, no entanto, não se limita às duas cidades maiores no país. Na província de Magnesia, os habitantes dos povoados do monte Pelion estão há anos lutando pela água. Os movimentos que se desenvolveram nesta zona abundante de mananciais e fontes de água, estão lutando contra os planos das autoridades locais de ficar com o controle dos muitíssimos mananciais da montanha. O objetivo das autoridades municipais é criar as condições para vender a exploração das águas do monte Pelion ao Capital local ou transnacional, privando aos habitantes da província do acesso à água.

Durante muitos séculos a gestão das águas potável e de irrigação da montanha estiveram a cargo das comunidades locais. Elas velavam pela manutenção das fontes, das cisternas e da rede de abastecimento de água. Em 2011 se fundiram os municípios do Estado grego, diminuindo notavelmente o número deles. Como consequência desta fusão a gestão dos mananciais passou às mãos da Empresa Municipal de Águas local. Read the rest of this entry »

Arquivo