Posts Tagged ‘heraklion’

Na quarta-feira, 23 de agosto de 2017, uns deputados do partido neonazi Aurora Dourada chegaram à ilha de Creta para celebrar um evento em Heraklion, capital da ilha. Como sucedeu no passado em casos semelhantes, a data e a hora da celebração do evento foram divulgadas dois dias antes, pensando que desta maneira se evitaria a realização de uma manifestação antifascista.

No entanto, apenas os antifascistas da ilha se inteiraram da chegada dos deputados neonazis, uns 130 deles realizaram uma concentração no bairro de Alicarnaso, onde se celebraria o evento fascista. A concentração durou umas três horas. Segundo o comunicado que emitiram os antifascistas de Heraklion, as pessoas deste bairro reagiram de maneira positiva ao verem os antifascistas manifestando-se contra a presença dos nazis na cidade, em uma ilha que sofreu muitíssimo durante sua ocupação pelas tropas alemãs na segunda guerra mundial.

Quatro esquadrões das chamadas forças antidistúrbios, uns vinte policiais motorizados e mais alguns vestidos à paisana, se alinharam em torno ao local em que estavam reunidos os fascistas. Apesar de que não foi possível que os antifascistas se aproximassem deste lugar, sua presença na praça do bairro desalentou a participação de muitos neonazis no evento organizado por seu bando criminoso. Uma vez mais os deputados neonazis (que viajaram desde Atenas só para assistir a este evento) se viram forçados a celebrar um evento sem gente, na presença apenas de um punhado de lacaios, esbirros seus e outras escórias e mercenários. Read the rest of this entry »

Anteontem realizou-se uma marcha antifascista em dois bairros da capital da Ilha de Creta, Heraklion. A marcha foi uma resposta às recentes aparições de neonazis e outros fascistas em vários lugares do território do Estado grego. Esta marcha realizou-se em bairros da cidade e não no centro, como tradicionalmente acontece com as marchas de eventos principais em Atenas, consideramos que é significante esta presença antifascista na ilha (fora da linha partidária e institucional), que sofreu muitíssimo com a ocupação das tropas nazis, durante a segunda guerra mundial.

Na sexta-feira 3 de março de 2017 foi realizada uma marcha antifascista na cidade de Heraklion, nos bairros Poros e Pateles. 80 companheiros e companheiras marcharam de maneira combativa pelas ruas centrais e ruelas do bairro, distribuindo um folheto a moradores e transeuntes, enquanto gritavam lemas de solidariedade com os imigrantes e lemas antifascistas, como os seguintes: ” Anogeia, Vianno, Kándano foram incendiados pelos nazis. Não cabem fascistas nesta ilha” e ” Agora e sempre, como em 1940: Sempre estaremos lutando contra o fascismo e a pobreza”.

Para além do fato que não temos a intenção de deixar em nenhum lado espaço para a propagação do micróbio fascista no pântano da crise, consideramos que é muito importante que estas mensagens cheguem aos bairros da cidade e não só ao centro. Já que despertam a memória coletiva dos habitantes da ilha e o nosso dever histórico de lutar contra o fascismo. Read the rest of this entry »

O transporte urbano é uma das principais necessidades para a população de Heraklion, já que é usado diariamente por milhares de cidadãos, por estudantes que vão à universidade, por pacientes que vão ao hospital, inclusive por trabalhadores que pegam o ônibus para ir ao trabalho. Esta necessidade básica foi convertida em mercadoria, que é explorada de maneira monopolista pela empresa privada Ktel de Heraklion. Na verdade, a passagem para a segunda zona custa 0,80 euros. Isto significa que um estudante para ir da universidade ao hospital tem que pagar 1,60 euros ao dia. Ainda pior, é a situação para os estudantes que vivem na residência estudantil, em Cnoso, já que os itinerários não são nada frequentes, e muitas vezes se veem forçados a pegar ônibus para chegar a universidade. Além do grupo social vulnerável dos estudantes, a situação é quase a mesma para toda a sociedade de Heraklion, pois se alguém quer ir ao hospital tem que pagar mais de 3 euros por um trajeto onde muitas vezes se vai em pé e cheio. O abono é caríssimo em comparação com outras cidades gregas, já que o abono mensal custa 70 euros e o reduzido para estudantes custa 45 euros, ou seja, que não sai a conta apenas se vamos a universidade cada dia, inclusive os fins de semana!

Nos últimos anos os estudantes tentaram melhorar a situação. No entanto, estas tentativas não tiveram nenhum êxito, pois o único fator que determina os preços dos bilhetes é a especulação da empresa que tem em suas mãos a exploração do transporte em massas. O presidente da empresa, Kalergos Vulgarakis, que muitas vezes se negou a reduzir o preço do abono mensal, enquanto que por dois meses foi a única empresa Ktel em Creta que de maneira arbitrária não queria integrar-se em um programa da periferia para poder facilitar abonos gratuitos aos estratos sociais inferiores. Como resultado disto durante esses dois meses estes estudantes se viram forçados a comprar bilhetes por algo que lhes pertence, e milhares de euros encheram os bolsinhos dos donos da empresa. Vale a pena mencionar que dita pessoa é presidente da Ktel durante os últimos doze anos, enquanto não deixou de meter-se nos assuntos políticos locais, sendo presidente da Comissão Administrativa de Hecraklion do partido Nova Democracia. Por outro lado, durante todo este tempo a única atitude que tiveram os encarregados da Universidade de Creta foi a indiferença ou o encobrimento descarado. Esta situação é parte de um marco mais amplo de subfinanciamento constante, ao mesmo tempo que a Universidade de Creta nos é apresentada como uma universidade de “estândares internacionais”. Read the rest of this entry »

Em 1º de dezembro de 2016 uns estudantes da Universidade de Heraklion, Creta, se mobilizaram contra a mercantilização do transporte urbano e interurbano. Como ocorre em todo o território do Estado grego, na cidade de Heraklion o Estado concedeu a exploração dos meios de transporte de massas a uma empresa privada. Os preços dos bilhetes simples e dos abonos mensais não são acessíveis nem para os estudantes, nem para os trabalhadores com salários baixos ou os desempregados.

Publicamos esta notícia (esperamos poder publicar em próximas posts os comunicados relativos da coordenadora estudantil) porque a iniciativa dos estudantes não se limitou à reivindicação da redução dos preços dos bilhetes e os abonos, senão que colocou o tema da mercantilização do transporte supostamente “público”.

Uns 40 estudantes foram aos escritórios da empresa privada que tem em suas mãos a exploração do transporte de massas na cidade de Heraklion. Ao entrar, se enfrentaram com o chefe da empresa. Depois de uma discussão curta, deixaram o texto da decisão de sua assembleia e marcharam à praça principal da cidade. Ali todos juntos entraram em um ônibus sem picar bilhete. Durante o itinerário distribuíram o mesmo texto aos passageiros, tanto estudantes como habitantes da cidade. Read the rest of this entry »

Heraklion, 2-4 de dezembro de 2016: Terceira Feira do Livro LibertárioA seguir, o programa da Terceira Feira do Livro Libertário, que será realizada em Heraklion, Creta, de 2 a 4 de dezembro de 2016.

Sexta-feira, 2 de dezembro: Evento-debate: Os momentos históricos e a perspectiva atual de ação conjunta entre marxistas e libertários. O debate acontece por ocasião da publicação do livro “Afinidades revolucionárias: Nossas estrelas vermelhas e negras” (Edições Akyvérnites Politeies). Orador: Kostas Palukis, historiador.

Após o debate será aberto o café da okupa Evangelismos.

Sábado, 3 de dezembro: Evento-debate: A corrente política do Anarquismo Social e sua necessidade na atualidade. O debate acontece por ocasião da publicação do livro “Contra o Estado: A transição aberta para a libertação social” (Edições Náutilos). Orador: Panagiotis Drakos, escritor.

Após o debate começará a noite de jazz na okupa Evangelismos.

Domingo, 4 de dezembro: Evento-debate: A crise capitalista e os deveres revolucionários modernos. O debate acontece por ocasião da publicação do terceiro volume da revista política Molot (Edições Molot). Oradores: Membros da Assembleia de anarquistas e comunistas pelo contra-ataque contra a União Europeia.

Todos os eventos serão realizados na okupa Evangelismos, c/Theotokopoulou 18, às 19h00. Na okupa haverá uma exposição de livros da biblioteca a partir das 17h00. Read the rest of this entry »

Enquanto em Corinto uns professores de uma escola secundarista optaram por encarregar-se com a repressão das mobilizações estudantis, em várias outras cidades foram realizadas massivas manifestações de estudantes secundaristas.

Em Corinto, uma pequena cidade perto de Atenas, o diretor e alguns professores de uma escola secundarista trancaram dentro dela seus alunos, para impedir a participação deles na manifestação que aconteceria hoje (13 de novembro de 2014) no centro da cidade. Contudo, os estudantes desta escola avisaram os colegas de outras escolas da cidade, que chegaram em massa fora da escola isolada, gritando lemas de solidariedade e exigindo o fim do cativeiro de seus companheiros.

O diretor da escola chamou a Polícia, e prontamente a escola foi cercada por um bom número de policiais. No entanto, os jovens que estavam dentro e fora da escola não se curvaram ante as ameaças e o terrorismo dos professores e dos policiais. E continuaram se manifestando, e logo os alunos que estavam trancados conseguiram abrir as portas da escola, sair dela e participar na manifestação, juntamente com os jovens de outras escolas da cidade. Read the rest of this entry »

Duas pessoas jovens, de 18 a 20 anos de idade, são as novas vítimas da brutalidade neonazista. A razão é simples: a resposta dos imigrantes à pergunta “de onde você é?” foi: “do Paquistão”.

Outro ataque violento cometido pelos nazistas do partido Aurora Dourada contra imigrantes ocorreu na noite da última segunda-feira (12) em Heraklion, na ilha de Creta. O ataque revela a compreensão do Ministro da Proteção Cidadã acerca de políticas antiracistas (para as quais ele alega ser comprometido), ao mesmo tempo em que assassinos da ultradireita circulam livremente e impunes, enquanto as vítimas não podem confiar na polícia ou mesmo nos serviços de saúde pelo medo de serem deportadas.

Desta vez foram dois imigrantes adolescentes de 18 a 20 anos de idade que se tornaram vítimas da brutalidade neonazista em um incidente que ocorreu em Heraklion, onde um grupo de partidários do Aurora Dourada se reuniu para celebrar o aniversário de um ano desde a abertura dos primeiros escritórios do partido na cidade. A reunião ocorreu momentos antes do ataque, contando com a presença de Christos Pappas, dirigente do Aurora Dourada. Read the rest of this entry »

Comunicado:

Desde terça-feira, 4 de junho de 2013, o anarquista preso Kostas Sakkas está em greve de fome exigindo a sua libertação imediata. 4 de junho era a data em que, de acordo com o atual sistema legal, o limite máximo de sua prisão preventiva expirava.

Desde o primeiro momento estamos em solidariedade com sua luta, e com sua decisão de arriscar sua própria vida por sua liberdade.

Como anarquistas de Heraklion estamos em solidariedade com a greve de fome e decidimos ocupar os escritórios da organização de turismo grego e do departamento local do Ministério do Turismo em Heraklion.

Nestes tempos que as menores liberdades são sacrificadas no altar do lucro para a sobrevivência de um sistema cruel em colapso, nestes tempos em que todos os esforços de resistência são reprimidos e difamados, os planos de todos aqueles que nos dominam agora parece claro. A maioria das pessoas está à beira da miséria e não há nenhuma possibilidade do Estado dar uma solução para o povo. Então ele usa a esperança como desculpa.  Uma esperança que não é baseada em nenhum elemento da realidade. Esperança para a recuperação e o crescimento da economia, esperança de voltar aos bons velhos tempos quando os outros eram… para a nossa própria prosperidade. Read the rest of this entry »

Um professor de 45 anos cometeu suicídio no sábado, 21 de abril, em um armazém de sua casa, na cidade de Stavrúpoli, no norte da Grécia. Savvas Metiquidis foi enforcado, deixando um bilhete que explica que as razões para sua ação eram políticas. Em um manifesto de várias páginas faz uma crítica feroz ao memorando e seu impacto na sociedade grega. Refere-se à situação política e social na Grécia e à crise econômica e sistêmica, que o levaram ao suicídio.

É um dos muitos suicídios acontecidos recentemente na Grécia devidos à situação econômica e social que leva as pessoas ao desespero, e um dos que tem um caráter político. Após o suicídio público de Dimitris Jrístulas em frente ao Parlamento, três outras pessoas escolheram a data de 21 de abril para acabar com sua vida. O 21 de abril de 1967, outra Ditadura, a dos coronéis, com um golpe de Estado estabelecendo um regime ditatorial que durou 7 anos. Ontem, 21 de abril de 2012, duas pessoas cometeram suicídio na cidade de Heraklion, na ilha de Creta. Um dos dois, um homem de 57 anos, deixou um bilhete dizendo: “Não gosto da vida que nos forçam a viver. Desculpe por causar transtorno”.

Savvas Metiquidis era profundamente politizado, um ativista social. Havia participado da rebelião de dezembro de 2008 e em todas as lutas sociais contra a barbárie capitalista nos últimos 30 anos.

Uma sociedade e um sistema social que cheiram a morte, regidos pela morte, que conduzem seus membros à morte, não podem e não devem ter outro destino que a morte.

Comunicado dos antifascistas de Heraklion sobre o que aconteceu na sexta-feira, 02 de março, após a aparição de um grupo fascista nas instalações do canal Creta TV, onde seu chefe tinha sido convidado para discutir a sua “ideologia”.

Na sexta-feira, 02 de março, por volta das 15h, um grupo de companheiros atacou uns fascistas do grupo Jrisí Avgi (Amanhecer Dourado) que estavam reunidos na zona industrial de Heraklion, na Ilha de Creta, após ter recebido algumas informações sobre o local da reunião dos fascistas. A presença do bando facha na cidade já era conhecida desde o início da semana. Os fascistas estavam nas instalações do canal Creta TV, visto que o líder local deste grupelho iria dar uma entrevista neste canal televisivo. Depois de um pequeno conflito, os nazistas correram para se esconder em um restaurante situado nas instalações do canal. Então, a partir de seu esconderijo viram a porta do restaurante arrebentada pelos companheiros que tentavam invadir o lugar, e a destruição de um carro de um deles. A reação dos partidários de Hitler se limitou a ameaças verbais desde uma distância segura, enquanto ao mesmo tempo colocavam coisas por trás da porta para bloqueá-la e chamavam a polícia.

A aparição dos fascistas deste grupelho nas instalações do canal Creta TV, vem a somar a sua presença provocativa no povoado de Vianno, cerca de duas semanas atrás, quando os membros de seu partido – legal como eles sustentam – agrediram e ameaçaram com uma arma um imigrante. Read the rest of this entry »

Arquivo