Posts Tagged ‘greve’

Informação sobre a greve dos entregadoresInformação sobre a greve dos entregadoresInformação sobre a greve dos entregadores
O 25 de maio foi um dia de greve no setor dos entregadores. A greve veio depois de uma série de acidentes (alguns deles mortais) que sofreram vários entregadores em Atenas. As demandas dos entregadores em greve são as seguintes: A moto usada tem que ser da empresa que contrata o trabalhador, a empresa tem de fornecer meios de segurança, o trabalho dos entregadores deve ser incluído nos serviços insalubres e perigosos, e o setor dos entregadores de todos os tipos deve ser considerado unitário.

Desde às 7h30 começaram as concentrações do lado de fora dos escritórios de seis empresas de correio e transporte expresso. O proprietário uma delas (ACS Courier) é o presidente da Associação de Empresários da Grécia. Durante a concentração realizada do lado de fora de uma loja desta empresa, um dos esbirros do proprietário insultou e ameaçou os grevistas, que permaneceram calmos.

Depois de concluídas as concentrações matinais, os manifestantes grevistas se dirigiram para o Campo de Marte, no centro de Atenas, onde aconteceu uma manifestação combativa, com a participação de centenas de grevistas e solidários com sua luta. A manifestação foi sucedida por uma marcha motorizada pelo centro de Atenas (vídeo). Na tarde do mesmo dia aconteceram mais concentrações-piquetes em frente dos escritórios de mais empresas do setor de entregadores. Read the rest of this entry »

O cartaz da União Sindical Libertária, que reproduzimos aqui foi publicado por causa da convocatória de uma greve de um dia pelos sindicatos amarelos, na quarta-feira 17 de maio de 2017.

Reduções das pensões, redução do mínimo isento de impostos, redução do subsídio por desemprego, trinta domingos laborais por ano, “liberalização” das demissões, falta de convênios coletivos:

Quando ouvimos falar de governos “lutando” contra os maus, de chefes sindicais “interessados” em nós, de partidos tratando de “salvar-nos” das novas medidas contra os trabalhadores, e quando vemos os patrões sorridentes…

Sabemos que chegou o tempo de organizar-nos, de lutar contra as medidas, de lutar por mais conquistas trabalhistas, de convocar greves, de sair às ruas como classe obreira e de enfrentarmos nossos opressores.

União Sindical Libertária de Atenas, Emacia, Tessalônica, Ioánnina, Réthimno

O texto em grego, castelhano.

A seguir, chamada da Assembleia de anarquistas pelo contra-ataque social e de classe para uma manifestação no dia 3 de dezembro de 2015, dia de Greve Geral.

Onze meses depois da tomada do Poder pela coalizão governista Syriza e Anel, a ofensiva do Estado e do Capital segue a todo vapor. A coalizão de governo, servindo fielmente aos patrões locais e transnacionais e estando totalmente submetida a eles, tem sido responsável pela continuação desta ofensiva, através da implementação de novas leis e velhos memorandos. Já cortou pensões, já aumentou o IVA, continua com o imposto imobiliário, aumentou os anos de contribuição para se aposentar, e está vendendo a riqueza pública: Esta lista é infindável.

Frente à pilhagem que está ocorrendo, a única barricada que pode ser erguida é a do desenvolvimento de um movimento de massas entre todos de baixo, entre todos os oprimidos e os explorados, que não conta com a mediação, mas que se encarregue de defender seus interesses, resistindo abertamente aos planos da Soberania. Mais uma vez, a Confederação Geral dos Trabalhadores Gregos (GSEE) foi forçada a chamar uma greve de 24 horas sob a pressão dos sindicatos, enquanto ela apoia o memorando e se alinhou com o bloco burguês do “Sim” (no último referendo), por isso não pode ser considerada como representante da classe obreira. Read the rest of this entry »

O seguinte texto foi publicado na pagina web da coletividade anarquista de Corfu Cumulonimbus por causa da greve geral de 12 de novembro. O texto em grego esta intitulado “Chamado a marcha da greve”.

Pela greve geral de 12 de novembro. Pela volta a rua.

A primeira convocatoria de uma greve geral depois da aprovacao do terceiro memorando e as recentes eleicoes e um fato. Outro fato e que esta convocatoria se parece mais com uma representacao teatral mal montada pelos executivos dos sindicatos obreiros, com o fim de criar impressoes a curto prazo, e nao para opor-se determinadamente ao memorando e ao novo governo. Depois de despertar violentamente do sonho da “esperanca” e da aterrizagem nas “formas realistas da saida da crise”, todas as resistencias sociais tem que ter uma data de validade e um carater simbolico. Para isso existe a coalizao governamental entre a esquerda e a extrema-Direita: Para escutar (atender) as peticoes dos suditos, para absorve-las com seus sensores particularmente sensiveis ao patriotismo e ao “realismo”, e em ultima instancia para adapta-las a uns marcos institucionais, “realistas” e patrioticos. Nao importa que o resultado do referendo se tenha revertido, que as “duras negociacoes” e a “abolicao dos memorandos” tenham conduzido a assinatura de um novo memorando, ainda pior que os anteriores, e que a propriedade publica continue sendo vendida sem cessar. O que importa e que a plena normalizacao do sistema financeiro va por bom caminho. Read the rest of this entry »

Informações sobre as mobilizações de 3 de maio, dia de greve no setor do comércioInformações sobre as mobilizações de 3 de maio, dia de greve no setor do comércioInformações sobre as mobilizações de 3 de maio, dia de greve no setor do comércioInformações sobre as mobilizações de 3 de maio, dia de greve no setor do comércioInformações sobre as mobilizações de 3 de maio, dia de greve no setor do comércio
No domingo 3 de maio, dia de greve no setor do comércio, a “Coordenadora de ação contra a abolição do domingo como dia festivo”, a “Associação Sindical de Trabalhadores em Livrarias, Papelarias e Editoras da província de Ática”, a iniciativa “Trabalhadores no setor do comércio” e vários sindicatos, realizaram uma série de mobilizações em Atenas e em outras cidades do território do Estado grego.

Em Atenas realizaram-se de início bloqueios de lojas departamentais na rua de pedestre mais comercial do centro da cidade. Logo os bloqueios se estenderam a várias lojas, grandes e pequenas. Entre as lojas que foram bloqueadas mencionamos a loja da Public na praça maior, e a da Wind, situada a pouca distância da praça.

No comunicado que emitiu a Coordenadora é citado que a atitude de muitos dos trabalhadores foi positiva. Em várias ocasiões os grevistas entabularam conversa com os trabalhadores que haviam sido avisados por sua patronal que se não trabalhassem seriam despedidos. Alguns deles saíram fora das lojas, solidarizando-se com os manifestantes.

Também, em vários bloqueios de lojas os manifestantes tiveram a oportunidade de falar com as pessoas que haviam chegado ao centro para dar um passeio. Em alguns casos a atitude das pessoas foi positiva. Em outros casos foi hostil para com os grevistas. Read the rest of this entry »

Domingo, 3 de maio de 2015: Greve no setor do comércioChamado da Coordenadora de ação contra a abolição do domingo como dia festivo para uma manifestação contra a abolição do domingo como dia festivo, no domingo, 3 de maio, dia de greve no setor do comércio.

Domingo, 3 de maio de 2015: Greve no setor do comércio

Não trabalhamos, não compramos. Concentração da greve: 10h30, na esquina das ruas Ermú e Kornaru.

Nossa luta justa e persistente contra a abolição do domingo como dia festivo continua. Tal como a nossa luta para defender os nossos interesses e direitos trabalhistas, de nossa vida e dignidade! Isto se deve ao fato de que o governo, apesar de suas promessas eleitorais e das “declarações de apoio” para essa luta, que estamos levando até hoje (com batalhas e não com palavras), e apesar das declarações programáticas supostamente “claras” sobre a recuperação do domingo como dia festivo, todavia ainda não aboliu a relativa lei (que permite que as lojas estejam abertas oito domingos por ano), na verdade servindo aos interesses da patronal.

No entanto, os trabalhadores e os lutadores mantêm uma atitude de classe clara e agressiva, contra as demandas da patronal e as planificações do Estado e do governo: Os interesses comerciais por último! Nenhum domingo com as lojas abertas! Read the rest of this entry »

Informações sobre as manifestações na greve no setor de comércio, no domingo 5 de abril  Informações sobre as manifestações na greve no setor de comércio, no domingo 5 de abril  Informações sobre as manifestações na greve no setor de comércio, no domingo 5 de abril  Informações sobre as manifestações na greve no setor de comércio, no domingo 5 de abril  Informações sobre as manifestações na greve no setor de comércio, no domingo 5 de abril  Informações sobre as manifestações na greve no setor de comércio, no domingo 5 de abril
No domingo, 5 de abril, dia da greve no setor do comércio, a Coordenadora de ação contra a abolição do domingo como dia festivo empreendeu uma série de manifestações. Além disso, este seria o primeiro domingo que entraria em vigor a lei sobre a abertura das lojas aos domingos. Por conseguinte, as duas manifestações realizadas tiveram dois aspectos.

Em Atenas, desde as 9 horas, foram realizados bloqueios em mais de 40 lojas na rua mais comercial da cidade. A partir das 10h30 aconteceu uma concentração que tinha sido convocada pela Coordenadora. A Associação Sindical dos Trabalhadores em Livrarias, Papelarias e Publicações da província de Ática realizou um bloqueio da loja de eletrônicos Public, onde há uma livraria. O sindicato dos trabalhadores da Vodafone realizou um bloqueio na loja da Vodafone, nas imediações da praça central de Atenas.

Ao mesmo tempo, a coletividade “Trabalhadores e trabalhadoras no setor de comércio”, a Assembleia de Solidariedade com a funcionária que foi demitida pelos proprietários da cadeia de supermercados AB Vasilopoulos, e a Coordenadora de Ação realizaram um bloqueio de seis horas do supermercado AB no bairro de Jolargós, onde trabalhava a funcionária despedida. Read the rest of this entry »

Faz uns dias a Associação Sindical de Trabalhadores em Livrarias, Papelarias e Editoras da província de Ática havia convocado uma greve de 24 horas para o domingo 5 de abril. Este é o primeiro domingo em que entrará em vigor a lei sobre a abertura das lojas no domingo. A Associação e outros sindicatos de base haviam denunciado que a Federação de Trabalhadores no Setor Privado não havia feito o mesmo, apesar do caráter crítico da situação neste setor.

Hoje a Federação se viu forçada a convocar uma greve para o domingo 5 de abril. No comunicado relativo que foi emitido, se faz um chamamento a todos os trabalhadores a participar massivamente na greve, e a todas as associações no setor do comércio a fechar as lojas. Ao mesmo tempo a Federação pede ao governo que cumpra com suas promessas eleitorais e elimine a lei que prevê o funcionamento das lojas em vários domingos ao ano.

Não temos falsas ilusões sobre o papel dos sindicatos amarelos e oficialistas. Ante as denúncias feitas por vários sindicatos de base e coletivos políticos horizontais, a Federação de Trabalhadores no Setor Privado se viu forçada a emitir este comunicado para mostrar que não está ausente nas lutas obreiras. Não obstante, não cabe a menor dúvida de que se limitará a esse comunicado. Não chamou nenhuma mobilização, nenhuma concentração, nenhum bloqueio de lojas de departamentos ou grandes armazéns. Nunca o fizeram, tampouco o farão neste caso. Read the rest of this entry »

Atenas, 7 de julho: Manifestação contra a criação do Guantánamo gregoSabotagem das prisões de segurança máxima

Destruir a instituição de reclusão

Luta polimorfa até a destruição de todas as prisões

Solidariedade com a luta dos prisioneiros

Manifestação-intervenção contra a votação do projeto de lei sobre as prisões de segurança máxima

Segunda-feira, 7 de julho, em Atenas, Praça de Syntagma, às 18h.

“A solidariedade na prática derruba os muros de isolamento, impede a ofensiva do totalitarismo moderno. E nesta luta vamos estar lá. Com manifestações, passeatas, panfletos, cartazes, e com tudo o que escolhermos. As lutas deles são nossas lutas também, e as respostas para os dilemas claros de nossos tempos devem ser igualmente claros.”

Fragmento da proposta (contribuição) da Assembleia de Volos Contra as Prisões de Máxima Segurança

Anarquistas Read the rest of this entry »

Mais de 4.500 presos – que estavam até ontem, 1º de julho, em greve de fome há nove dias, em quase todas as prisões do território do Estado grego contra a criação de “prisões de segurança máxima” – suspenderam a sua greve. O comunicado que emitiram (ver abaixo) por um lado faz referência à propostas para melhorar o projeto de lei do Ministério da “Justiça” e da suspensão da greve de fome e, por outro lado, alertam que não colocam fim à suas mobilizações.

As alterações introduzidas pelo Ministério são:

– Os presos nessas prisões serão aqueles que foram condenados a mais de 12 anos de prisão. Este limite no projeto de lei era de 10 anos. Nesta categoria estão incluídos todos os prisioneiros condenados por envolvimento em grupos de luta armada, ou seja, esta modificação não os afeta, porque suas penas são muito maiores.

– A duração da sua detenção inicial nestas prisões é reduzida (de quatro) em três anos. No entanto, nestes três anos podem ser dadas várias prorrogações de dois anos cada uma. Read the rest of this entry »

Arquivo