Posts Tagged ‘governo’

O texto original, publicado na página ainfos.ca, tem o título “Carta aberta a Alexis Tsipras e a seu governo”.

Na madrugada de 27 de julho, tu e teu governo desalojaste a três okupas em Tessalônica, as quais davam alojamento a refugiados e imigrantes. Também deteve a 75 pessoas solidárias, da Grécia e da Europa, enquanto mandaste, com muita pressa, aos refugiados a vários hotspots, alguns dos quais se negaram a recebê-los por estarem cheios. Por isso, os abandonastes no meio do nada. Já que (as outras okupas desalojadas) Orfanotrofío e Hurriya têm seu próprio discurso político, ao que não queremos substituir, os lembramos como okupa “Avenida Nikis 39” que estamos um pouco mais seguro que conheces. Esta okupa foi fruto da revolta de dezembro de 2008 e foi a primeira okupa de teto para os necessitados daquele movimento.

Estando integrada neste marco, através de um edifício abandonado buscava oferecer um alojamento decente a seus “inquilinos”, re-determinando o conceito de espaço público. Por esta razão, todos estes anos tem oferecido teto a centenas de ativistas e manifestantes, não apenas da Grécia, mas do mundo todo.

Quando surgiu a crise migratória, a okupa abriu suas portas para acolher a refugiados e para coexistir, de maneira igualitária e com solidariedade, com os mais necessitados deles, como as famílias com crianças. Ao mesmo tempo, se integrou em uma rede de atenção médica e alimentícia, criada em Idomeni. Pois, a estas pessoas, na madrugada de quarta-feira 27 de julho as fizestes viver mais uma vez o pesadelo do qual trataram escapar, atravessando com milhares de outros o Egeu, o mar das hecatombes. Read the rest of this entry »

A coalizão governamental esquerdista-nacionalista anunciou sua decisão de materializar até o próximo outono os planos neoliberais do governo anterior de privatizar o espaço público do antigo aeroporto de Atenas, concedendo sua exploração ao Capital privado.

Há alguns dias, o ministro das Finanças afirmou que as negociações do governo com os depredadores aos quais serão concedidos à exploração do território do antigo aeroporto deve acabar até o próximo outono. Afirmou também que, logo que terminar a negociação, o governo vai apresentar ao parlamento um contrato entre o governo e a empresa que se responsabilizará pela exploração deste espaço público.

O mesmo sujeito acrescentou que em curto prazo irá iniciar o processo de emissão da licença de exploração de um cassino! E já começou a evacuação do terreno do antigo aeroporto de todos os seus usuários, estatais e privados. Read the rest of this entry »

Faz uns dias a Associação Sindical de Trabalhadores em Livrarias, Papelarias e Editoras da província de Ática havia convocado uma greve de 24 horas para o domingo 5 de abril. Este é o primeiro domingo em que entrará em vigor a lei sobre a abertura das lojas no domingo. A Associação e outros sindicatos de base haviam denunciado que a Federação de Trabalhadores no Setor Privado não havia feito o mesmo, apesar do caráter crítico da situação neste setor.

Hoje a Federação se viu forçada a convocar uma greve para o domingo 5 de abril. No comunicado relativo que foi emitido, se faz um chamamento a todos os trabalhadores a participar massivamente na greve, e a todas as associações no setor do comércio a fechar as lojas. Ao mesmo tempo a Federação pede ao governo que cumpra com suas promessas eleitorais e elimine a lei que prevê o funcionamento das lojas em vários domingos ao ano.

Não temos falsas ilusões sobre o papel dos sindicatos amarelos e oficialistas. Ante as denúncias feitas por vários sindicatos de base e coletivos políticos horizontais, a Federação de Trabalhadores no Setor Privado se viu forçada a emitir este comunicado para mostrar que não está ausente nas lutas obreiras. Não obstante, não cabe a menor dúvida de que se limitará a esse comunicado. Não chamou nenhuma mobilização, nenhuma concentração, nenhum bloqueio de lojas de departamentos ou grandes armazéns. Nunca o fizeram, tampouco o farão neste caso. Read the rest of this entry »

Informações sobre a manifestação de 19 de março contra a abolição do domingo como dia festivoInformações sobre a manifestação de 19 de março contra a abolição do domingo como dia festivoInformações sobre a manifestação de 19 de março contra a abolição do domingo como dia festivo
Em 19 de março de 2015, a “Coordenadora de ação contra a abolição do domingo como dia festivo e os horários flexíveis” realizou uma manifestação e marcha pelas ruas do centro de Atenas, com a participação de aproximadamente 300 pessoas. Os participantes da manifestação eram trabalhadores no setor de comércio, membros de sindicatos de base, grupos políticos, assembleias de bairro e de vários solidários com esta luta.

As ações começaram com uma concentração em uma praça do centro de Atenas, onde faixas foram desfraldadas e durante quase uma hora estiveram sendo distribuídos folhetos. Na sequência aconteceu uma marcha pelo centro da cidade. A marcha passou pelo Ministério do Emprego, pela livraria Ianós, pelo Ministério das Finanças, pela Câmara de Comércio e pelas sedes de várias associações de empregadores [patrões] do setor de comércio. Em todos estes lugares foram pichados lemas contra a abolição do domingo como dia festivo, e contra os horários comerciais flexíveis.

Em seguida, a marcha chegou à praça principal de Atenas e atravessou a rua pedonal mais comercial do centro da cidade. Depois da marcha os manifestantes se dispersaram, chamando para uma manifestação combativa no domingo 5 de abril, quando, segundo a lei atual, poderão ser abertos os negócios no centro de Atenas e em várias cidades do território do Estado grego. Read the rest of this entry »

Esse post é baseado em um comunicado da Associação Sindical dos Trabalhadores em Livrarias, Papelarias e Editoras da província de Ática (Atenas) sobre os cancelamentos sucessivos da reunião dos seus membros com dois ministros do governo, e sobre a greve que ainda não tem sido convocada pela Federação dos Trabalhadores no Setor Privado para o domingo 5 de abril, data em que, nos termos da legislação em vigor é o primeiro domingo em que poderão abrir as lojas novamente.

A Associação denúncia que na segunda-feira, 16 de março de 2015,foi anulada a reunião que aconteceria no dia seguinte, 17 de março, entre seus representantes e o ministro da Economia, Infra-estruturas, Navegação e Turismo. Este foi o segundo cancelamento da mesma reunião, após o cancelamento da reunião de 13 de março.

A Associação cita que os seus membros tinham repetidamente solicitado uma reunião com o ministro um mês antes destes cancelamentos. Eles também solicitaram uma reunião com o ministro do Emprego, sem ter ainda recebido uma resposta do Ministério. E claro, o ministro do Emprego se reuniu com os representantes de uma das associações de empregadores [patrões] no setor de varejo, que protagonizou a ofensiva do Capital contra a classe trabalhadora e especificamente contra o domingo como dia festivo. Read the rest of this entry »

Texto de Dinos Palestidis, membro da União Sindical Libertária de Atenas. O texto nos foi enviado por correio eletrônico.

Os anteriores nos usurparam até a menor parte. Os de agora nos prometem pouco. Não pedimos muito. Queremos tudo… e queremos agora.

Vários dias depois das eleições do dia 25 de janeiro de 2015 e da formação do novo governo de Alexis Tsipras, em um bairro do norte de Atenas, o diretor de um dos estabelecimentos de uma conhecida rede de vendas de eletrodomésticos chamou aos trabalhadores para conversar. Nestes dias, os recém-nomeados ministros anunciavam as medidas que o novo governo pensa em tomar no futuro imediato para satisfazer as reivindicações que nos últimos anos o movimento operário sindical tem pautado.

O diretor disse aos trabalhadores: “Ouviram falar que vão aprovar uma lei segunda a qual as lojas não mais abrirão no domingo”. E continuou: “Também ouviram falar que vão aprovar uma lei que estabelecerá o salário mínimo novamente para 751 euros. Quando isso acontecer, vocês irão assinar que receberam 751 euros, mas seguirão recebendo o que cobraram agora”. “Se te atreveres a fazer isso, iremos recorrer a Inspeção do Trabalho”, contestaram os trabalhadores. O diretor se retirou da reunião visivelmente irritado e se fechou durante horas em seu escritório. Read the rest of this entry »

A seguir, texto de Sonia Mitralia, membro do coletivo “Mulheres contra a Dívida e as Medidas de Austeridade”, escrito em razão da luta das mulheres da limpeza, despedidas pelo Ministério de Finanças.

Após onze meses de uma luta longa e amarga, despedidas desde setembro, postas sob a condição de “disponibilidade” sendo despedidas ao final de oito meses, 595 mulheres da limpeza do serviço público se converteram no símbolo da mais feroz resistência contra a austeridade na Grécia.

Estas mulheres por sua vez, converteram isso em uma questão política, liderando toda a resistência atual contra a política da Troika, atrevendo-se a enfrentar inimigos tão poderosos como o governo grego, o Banco Central Europeu, a Comissão e o FMI…

E, no entanto, após os onze meses de luta, após o seu desafio e de converterem-se no principal inimigo do governo e da Troika, após ignorar a aplicação de medidas de austeridade, após uma presença muito divulgada na cena política, estas mulheres em luta todavia não são consideradas como sujeitos políticos pelos opositores da austeridade. No entanto, desde o início das medidas de austeridade impostas pela Troika, as mulheres saíram às ruas em massa e sua resistência parece ter uma dinâmica própria muito particular e é uma lição política. Read the rest of this entry »

Foi formada há alguns dias uma coalizão de três partidos. Este governo foi instalado sob as ordens dos bancos transnacionais e da Soberania global, sem ter a mínima legitimidade burguesa para governar, já que não surgiu a partir das sagradas eleições gerais. Quando a classe dominante e seu Regime correm um risco mínimo de ser derrubados, não escondem as aparências. É então quando se unem todos os agentes da normalidade burguesa e desaparecem as linhas divisórias artificiais entre Direita, extrema Direita, Centro e Esquerda. E é quando se esquecem os “processos democráticos”. É então que todos esses parasitas se agrupam para realizar um projeto de “salvar o país” ou “resgate econômico“, ou salvar a pele e salvaguardar a integridade de seu Regime. O ultradireitista Voridis, atualmente ministro dos Transportes e Infra-estrutura, bem como os de sua condição, fazem parte deste projeto.

Foi escrito pela primeira vez após a ditadura (1967-1974) e a transição, que o governo grego tem um membro ultradireitista (na verdade, os ultradireitistas patenteados do governo são quatro). Isso, no entanto, não é verdade. Primeiro, porque a ditadura não acabou em 1974… Segundo, porque muitos membros de vários governos são partidários e implementaram a ideologia do neoliberalismo, do corporativismo fascista, do totalitarismo, do nacionalismo. É que Voridis e os outros três membros do partido ultradireitista que participam do governo são patenteados como tal, por mais que os meios de desinformação tenham se esforçado para preparar o terreno para a aceitação regular por parte da sociedade grega. A seguir publicamos um breve relato dos “trabalhos e dias” deste senhor. Read the rest of this entry »

Arquivo