Posts Tagged ‘estudantes’

O texto que publicamos neste post é uma informação do Grupo autônomo de estudantes “Ataxía” (Desobediência) sobre uma ação contra os desfiles durante o desfile escolar no dia 25 de março, em Tessalônica.

Hoje (25 de março) realizamos uma ação programada para acontecer no desfile escolar do dia 25 de março, em Tessalônica. Fomos para o lugar onde os alunos se reúnem antes de desfilar e distribuímos textos destinados apenas aos nossos colegas de classe. Infelizmente, as reações deles não foram muito positivas, uma vez que a escola burguesa conseguiu com grande sucesso inculcar as suas mensagens nacionalistas e militaristas aos estudantes. No entanto, apesar de tudo, houve casos de estudantes que responderam de uma forma mais positiva a nossa ação. O texto que temos distribuído é o seguinte: “Texto de estudantes contra os desfiles escolares”.

Quando começou o desfile, depois de um atraso por causa da chuva, nós também avançamos ao lado dos estudantes que estavam desfilando, para logo sair, já que a primeira fase da nossa ação foi concluída. Em seguida, assim que chegamos quase em frente à tribuna das autoridades, um grupo de policiais da polícia motorizada Dias nos deteve. Eles vinham nos seguindo desde o início da ação, juntamente com outros policiais que estavam naquele lugar. Os policiais nos retiveram e depois de registrar os nossos dados pessoais mediante um processo claramente surreal, nos disseram que deixássemos o desfile. Nos controlaram e revistaram cuidadosamente, chegando ao ponto até de ler os livros que tínhamos em nossos sacos, ou os panfletos que carregávamos. Read the rest of this entry »

A seguir, texto escrito pelo grupo autônomo de estudantes de Tessalônica “Ataxia” (Desobediência) e publicado em seu site, e que foi distribuído aos alunos que participaram no desfile estudantil de 25 de março nesta cidade.

Somos estudantes de várias escolas de Tessalônica, e decidimos abordar longamente a questão dos desfiles escolares. Por ocasião desta questão e da celebração do desfile de 25 de março, escrevemos o seguinte texto:

Os desfiles foram estabelecidos em 1936 pelo ditador Metaxas, que esteve influenciado e impressionado com os “desfiles” da Alemanha nazista. O objetivo da introdução dos desfiles escolares foi a de que os jovens gregos obtivessem consciência militar e que se familiarizassem com a disciplina militar. Portanto, os desfiles funcionam como um veículo para a difusão do nacionalismo e do militarismo na sociedade.

Os desfiles estão integrados na lógica do aspecto homogêneo, uniforme, passo, alinhamento e tem como objetivo a eliminação da nossa diversidade. Especificamente, você é forçado a comprar ou alugar as mesmas roupas que seus colegas de classe, para que o seu vestuário seja formal. Provavelmente, você não usará nunca mais essa roupa, por achar tão ridícula ou não gostar dela. No entanto, para o desfile ela é necessária. Todos estarão andando ou como dizemos: estarão desfilando da mesma forma, e qualquer desvio é incorreto e é punido. Haverá alguma pessoa encarregada de dar ordens e o ritmo para desfilar, impor a sua superioridade. Read the rest of this entry »

Na quarta-feira, 7 de outubro, um grupo de estudantes da Esquerda parlamentar pediu para o reitor da Universidade da Macedônia (Tessalônica) um espaço universitário para realizar uma festa, com os rendimentos direcionados para o auxílio dos refugiados que estão chegando à Grécia em ondas imigratórias. O reitor recusou-se a dar aos estudantes o espaço solicitado, ameaçando processá-los, argumentando que a organização de tais festas constitui um delito penal…

No mesmo dia, o reitor da Universidade da Macedônia, Zapranis, ameaçou os estudantes com ligações telefônicas para a Polícia e o Ministério Público, corte do fornecimento de energia e fechamento da Universidade, caso realizassem a festa. Reproduzindo de uma maneira irritante os pretextos das autoridades, não parou de se referir aos… “vandalismos” que segundo ele ocorre em tais festas. Os estudantes o ignoraram, fazendo propaganda da festa e comunicando a todos que ela seria realizada, apesar da proibição do reitor.

Em 9 de outubro, enquanto os estudantes estavam realizando a festa de solidariedade com os refugiados, o reitor ordenou o corte de energia, e voltou a ameaçar os estudantes, de recorrer ao Ministério Público. Poucos dias depois, em 15 de outubro, o reitor chamou os organizadores da festa em seu escritório. Algumas horas antes, ele havia publicado em vários meios de desinformação de massa um comunicado sobre esta questão, assinado por ele (não pelo Senado Universitário). Nesta “reunião” Zapranis começou a gritar e agir como um vândalo, repetindo a ladainha dos “vandalismos”, e tudo isso por que na festa do 9 de outubro não ocorreu absolutamente nada que pudesse justificar no mínimo tal afirmação. Read the rest of this entry »

Pôster do centro social autogestionado de Galatsi (Atenas) Stegastro (Telhado).

A “nova escola secundária” das discriminações econômicas

Ensino privado (“escolas” privadas de aulas de apoio) e exames de admissão nos últimos três cursos da escola secundária. “Banco de temas” para os exames e plano de estudos demasiadamente grandes. Aqueles que não puderem atender às demandas econômicas do ensino privado ficarão excluídos do sistema de ensino, e no futuro do trabalho qualificado.

Ficha, “mySchool”

Registro eletrônico em um banco de informações central dos dados e das sanções dos estudantes secundaristas, e de suas necessidades especiais, dos dados do seu ambiente familiar, dos tratamentos médicos que foram submetidos e dos medicamentos tomados, e da participação dos professores em greves ou paralisações.

Repressão, intimidação

Policiais vigiando as escolas 24 horas por dia, e de vez em quando detendo os alunos ou os pais deles (Lamía) ou atirando contra estudantes (Kesarianí, Atenas). Diretores de escolas difamando, colocando os alunos em ponto de mira e os delatando (Nikea, Atenas). Promotores esperando na esquina para colocar em marcha procedimentos de perseguição. Ministro ameaçando aulas aos sábados e no Natal. Read the rest of this entry »

Na quarta-feira, 12 de novembro de 2014, o reitor da Universidade de Atenas, apoiado pelo governo, ordenou o fechamento dos prédios da Universidade localizados no centro de Atenas. O documento oficial assinado pelo reitor (nem sequer pelo senado universitário) citou que os prédios da Universidade no centro de Atenas permaneceriam fechados desde quinta-feira, 13 de novembro, até terça-feira, 18 de novembro, com vista à celebração dos eventos comemorativos de 17 de novembro na Escola Politécnica de Atenas.

A cada ano acontecem eventos de comemoração e manifestações em memória da revolta estudantil e popular de 17 de novembro de 1973 contra a ditadura de então. Poucos dias antes da ordem do reitor, a assembleia dos estudantes da Faculdade de Direito (cujo edifício é um dos poucos localizados no centro da cidade e não no campus universitário) tomou a decisão de proceder a ocupação dos edifícios da Universidade desde sexta-feira, 14 de novembro.

Esta ordem do reitor da Universidade de Atenas vem poucos dias depois de as ocupações e mobilizações dos estudantes secundaristas em todo o território do Estado grego, e, certamente, após a decisão da assembleia dos estudantes universitários de ocupar o prédio da Faculdade de Direito. Read the rest of this entry »

Enquanto em Corinto uns professores de uma escola secundarista optaram por encarregar-se com a repressão das mobilizações estudantis, em várias outras cidades foram realizadas massivas manifestações de estudantes secundaristas.

Em Corinto, uma pequena cidade perto de Atenas, o diretor e alguns professores de uma escola secundarista trancaram dentro dela seus alunos, para impedir a participação deles na manifestação que aconteceria hoje (13 de novembro de 2014) no centro da cidade. Contudo, os estudantes desta escola avisaram os colegas de outras escolas da cidade, que chegaram em massa fora da escola isolada, gritando lemas de solidariedade e exigindo o fim do cativeiro de seus companheiros.

O diretor da escola chamou a Polícia, e prontamente a escola foi cercada por um bom número de policiais. No entanto, os jovens que estavam dentro e fora da escola não se curvaram ante as ameaças e o terrorismo dos professores e dos policiais. E continuaram se manifestando, e logo os alunos que estavam trancados conseguiram abrir as portas da escola, sair dela e participar na manifestação, juntamente com os jovens de outras escolas da cidade. Read the rest of this entry »

O texto a seguir foi publicado na página web imf-fuck-off.blogspot.gr, sob o título “Ocupação para sempre”.

Quando ninguém esperava, já que o fato de que a lamentável inércia deixou raízes no povo grego que poderá ser explicado só pelo historiador do futuro, de repente apareceu um sinal de esperança de rebelião nas mobilizações dos estudantes secundaristas.

Em poucos dias, centenas de ocupações estouraram em todas as partes do país, e o futuro espera-se será ainda mais brilhante, já que todos sabemos de nossa juventude gloriosa, que este fenômeno facilmente pode difundir-se e converter-se em uma dor de cabeça para o governo e os asquerosos pequeno burgueses, que, por um lado desmantelaram tudo, mas por outro lado não se conformam com o caos que causaram, e querem destroçar também as gerações futuras.

As ocupações estudantis têm um dinamismo particular, porque tem uma série de características únicas: Em primeiro lugar, falamos de meninos de 13 a 18 anos de idade, ou seja, de pessoas cujo caráter e cuja consciência política todavia estão sendo formados. Por conseguinte, nenhuma pessoa razoável pode acusá-los de terem fins egoístas, exceto os estúpidos ultra-direitistas do governo com estes nomes ridículos que apresentam. Read the rest of this entry »

Não o novo sistema. Não somos cobaias, somos estudantes

Não o novo sistema. Não somos cobaias, somos estudantes

Faz alguns dias que os estudantes secundaristas estão mobilizados em muitas cidades do território do Estado grego. Há três dias o próprio ministro da Educação admitiu que as escolas secundárias ocupadas eram mais de 500. Os alunos protestam contra a imposição da chamada “Nova Escola”, ou seja, de um plano de estudos exaustivo, o novo sistema de exame (igualmente exaustivo e intensificado) e a privatização da Educação.

Na segunda-feira, 3 de novembro, e na terça-feira, 4 de novembro de 2014, realizaram-se massivas manifestações e marchas estudantis em várias cidades. Ante esta situação perigosa para o Sistema, o Regime não ficou de braços cruzados. O governo conta com a ajuda de juízes, policias, diretores de escolas e paraestatais para reprimir a luta dos estudantes das escolas secundárias.

Na segunda-feira passada o diretor de uma escola secundária de Tessalônica tratou de impedir a participação dos alunos da escola em uma manifestação. Chamou a Polícia, mas nem os policiais nem o sujeito que os chamou lograram impedir que os jovens tomassem parte na manifestação. No mesmo dia, na cidade de Lamía o fiscal ordenou a detenção de nove jovens e de oito de seus pais dentro do recinto de uma escola secundária da cidade que estava ocupada. A Polícia, na presença do fiscal, invadiu a escola ocupada, deteve alunos e pais, e levou-os à delegacia da cidade, onde ficaram retidos até às 4 da madrugada. Read the rest of this entry »

Não nos dão medo. Solidariedade entre os estudantes!

Texto da coletividade “Anarquistas e comunistas dos bairros de Kipseli e Gyzi” distribuído estes dias nas escolas secundarias do centro de Atenas, em razão da recente repressão a balas pela Polícia de uma tentativa de estudantes secundaristas de ocupar a escola de Atenas.

Na madrugada da segunda-feira, 22 de setembro de 2014, uns alunos de duas escolas secundárias do bairro de Kesarianí, Atenas, trataram de ocupar sua escola, em protesto contra a realidade educativa vil e opressiva que experimentam diariamente.

Imediatamente chegam três carros patrulha da delegacia do bairro, e se colocam a perseguir aos alunos. Um dos pistoleiros valentão disparou três vezes contra os estudantes que estavam tentando fugir. Os demais policiais invadiram o pátio da escola secundária, e apontando (com suas armas) às cabeças dos estudantes-okupas, se puseram a soltar insultos e ameaças.

Os estudantes foram conduzidos à delegacia local, onde foram detidos até as primeiras horas da manhã, onde os policiais os ameaçaram, dizendo-lhes que não falassem dos disparos que haviam recebido. Read the rest of this entry »

Na madrugada do dia 22 de setembro de 2014, um grupo de estudantes do ensino médio tentou entrar nas instalações de uma escola no bairro ateniense de Kesarianí, com a intenção de ocupá-la. Depois de certo tempo os jovens foram atacados pela Polícia, que chegou à escola em três carros de patrulha. Um dos policiais disparou vários tiros em direção aos alunos, e, em seguida, os policiais prenderam os jovens, e os levaram para a delegacia local, com insultos e ameaças.

Há alguns meses, o Regime do “Big Brother” (Grande Irmão) concedeu a vigilância das escolas secundárias diretamente para sua guarda pretoriana. Desde setembro do ano passado, quando abriram as escolas, policiais patrulham as instalações das escolas de ensino médio do lado de fora durante todo o dia e a noite. O objetivo é óbvio: reprimir qualquer tentativa de ocupação ou de mobilização política dos estudantes, proibir a política nas escolas, silenciar aos que resistem e aterrorizar aqueles que pensam em resistir à imposição do totalitarismo, e em geral transformar as escolas em prisões modernas.

Entre os estudantes do ensino médio que desejam resistir aos planos do Poder há duas “tendências”. A primeira é aquela que está a favor da delegação da luta para os representantes eleitos, e da promoção de formas moderadas de luta. Esta tendência emitiu comunicados em Kesarianí após o incidente, mas não convocou qualquer manifestação em resposta à repressão armada contra a juventude do bairro que pretendia ocupar sua escola. Em um desses comunicados se faz uma referência abstrata para “ações organizadas e massivas ao lado do povo lutador”. Read the rest of this entry »

Arquivo