Posts Tagged ‘dezembro’

6 dezembro de 2013: Manifestações estudantis cinco anos após a rebelião de dezembro de 2008 6 dezembro de 2013: Manifestações estudantis cinco anos após a rebelião de dezembro de 2008 6 dezembro de 2013: Manifestações estudantis cinco anos após a rebelião de dezembro de 2008 6 dezembro de 2013: Manifestações estudantis cinco anos após a rebelião de dezembro de 2008 6 dezembro de 2013: Manifestações estudantis cinco anos após a rebelião de dezembro de 2008 6 dezembro de 2013: Manifestações estudantis cinco anos após a rebelião de dezembro de 2008 6 dezembro de 2013: Manifestações estudantis cinco anos após a rebelião de dezembro de 2008 6 dezembro de 2013: Manifestações estudantis cinco anos após a rebelião de dezembro de 2008
Nesta sexta-feira, 6 de dezembro de 2013, mais de 1.000 estudantes do ensino médio optaram por não assistir às aulas e participar de uma manifestação no centro de Atenas, cinco anos após o assassinato do estudante de 15 anos Alexis Grigoropoulos pela Polícia e a rebelião de dezembro de 2008. A passeata dos estudantes pelo centro de Atenas aconteceu sob a presença sufocante das fortes forças policiais, que haviam formado um anel ao redor dos manifestantes durante toda a passeata.

Pouco antes do início da passeata, um grupo de estudantes deu uma surra no diretor da Polícia de Trânsito de Atenas. Logo após deste incidente, alguns manifestantes atacaram jornalistas e cinegrafistas de vários meios de desinformação. Durante o protesto muitas palavras de ordem foram gritadas contra a repressão, a Polícia, e em memória do antifascista Pavlos Fyssas, morto há alguns meses por um batalhão de assalto neonazista.

Ao chegar a seu ponto de partida a passeata recebeu uma carga repressiva por parte da Polícia. Os estudantes responderam com pedras e laranjas. Cerca de 200 deles se protegeram no pátio em frente da fachada do edifício do reitor da antiga Universidade de Atenas. Lá eles permaneceram por uma hora, cercados por policiais das chamadas forças antidistúrbios, até que eles deixaram uma passagem para os estudantes. Poucos minutos depois, os policiais também se retiraram, mas vários deles em trajes civis ou uniformizados permaneceram em torno do centro da cidade. Read the rest of this entry »

O dezembro de 2008 é uma imagem do futuro

 

Cartaz dos anarquistas de Volos, chamando para uma manifestação no dia 6 de dezembro de 2013, cinco anos após o assassinato do estudante de 15 anos Alexis Grigoropoulos pela Polícia.

O Estado assassina com a máscara do policial, do revisor, do fascista…

O dezembro de 2008 é uma imagem do futuro

Contra o “Divide e vencerás” do Poder, todos juntos para o ataque, pela dignidade, pela liberdade, pela anarquia

Marcha, 6 de dezembro de 2013, às 17h.

Anarquistas

"Quando o Estado matar seus filhos, então você vai sair de sua jaula"“Quando o Estado matar seus filhos, então você vai sair de sua jaula”. Faixa pendurada numa praça da cidade de Volos, chamando para uma manifestação no dia 6 de dezembro de 2013, cinco anos após o assassinato do estudante de 15 anos Alexis Grigoropoulos pela Polícia grega. A frase escrita na faixa refere-se ao velho lema anarquista “Quando os policiais matarem seus filhos, então você vai sair de sua jaula”.

6 de dezembro: Ninguém na classe, todos a ruaTexto publicado na página web “Contra-ataque Estudantil“, sobre o aniversário do assassinato de Alexis Grigoropoulos pela Polícia em 6 de dezembro de 2008 e a rebelião que ocorreu na sequência.

Cinco anos atrás, em 6 de dezembro de 2008, o estudante de 15 anos Alexis Grigoropoulos foi morto pelo policial especial Korkoneas. A rebelião de jovens que sucedeu o assassinato, protagonizada por estudantes do ensino médio, revelou o verdadeiro papel da Polícia, ou seja, que ela não existe para proteger os cidadãos, mas para reprimir, prender e até mesmo matar os trabalhadores, a juventude, a quem se opõem aos planos do governo e dos empregadores. Esta rebelião pavimentou o caminho para todas as lutas importantes que vemos até hoje.

Cinco anos depois, o governo de Samarás assassina diariamente. Assassina com a pobreza, miséria e o desemprego, onde taxas referentes aos jovens nessas condições é de cerca de 70%. Como uma ditadura moderna, ataca todos os nossos direitos. Não só nos priva do futuro, mas também do presente, dissolvendo a Educação pública. Com a “Escola Secundária Nova”, introduziu uma lei aprovada em setembro passado, e com a demissão de 2.500 professores, planeja fechar as escolas de ensino médio e deixar milhares de estudantes de fora delas, porque converte o ensino médio em uma maratona de exames, através do quais poucos conseguirão entrar na faculdade ou, inclusive, graduar-se. Quanto às escolas secundárias técnicas, estão se dissolvendo, porque das 110 especialidades (faculdades) só ficaram apenas 23! Read the rest of this entry »

“[…] Quando chegaram a Patission e encontraram-se nos arredores do portão histórico da Politécnica, que havia sido atacada por tanques em 1973, cortaram a avenida sem perguntar o que fazer e, a seguir, cantaram o típico lema “Batsi, gourounya, dolofoni!” – “Policiais, porcos, assassinos”. Ao presenciar esta cena, me senti em êxtase. Compreendi neste momento que o avião da insurreição havia decolado. Era maior do que nós. Não estou dizendo que nos superou, embora muitos de seus participantes pensem assim. Talvez tivessem superado-os porque eles achavam que nunca iriam passar por uma coisa dessas. O que a insurreição conseguiu foi superar as idéias pessimistas, que pensavam que algo assim nunca poderia acontecer”.

Este livro reúne os testemunhos de vários dos protagonistas de Dezembro de 2008, um momento carregado de um profundo fundo social, político e histórico, que se vinculam com a história das lutas dos últimos trinta anos. O livro, cujo título – ‘Policiais, porcos, assassinos’ – é uma canção popular em todas as manifestações gregas; descreve o que aconteceu na Revolta de Dezembro em diferentes partes de Atenas e outras cidades helênicas e a participação dos anarquistas. Tal participação se caracterizou – e se caracteriza – para a prática da revolta social sem mediadores e sem ilusões de fazer mudanças dentro do sistema existente, propondo a auto-organização contra qualquer tipo de organização hierárquica, propondo a contraviolência frente à violência estatal e a solidariedade contra a individualização e as divisões artificiais criadas pelo poder. Read the rest of this entry »

4BAC4390C9CE22469B82B2A0688A80638A725504DF60B2658F61BD2FA3D98C8012222583F5DBBC914A683AF80478839CED461E4E6F9650E4C8C73B8FDD8623A61B449file.ashxfile.ashx1file.ashx3
6 de dezembro de 2011: três anos após o assassinato do adolescente Alexandros Grigoropoulos por dois policiais, guardas do Regime, a Democracia nos quer fazer esquecer, quer impor a sua normalidade, através da repressão, do terrorismo e da desinformação. Quer espalhar o medo, acabar com as manifestações contra a sua Soberania. Hoje, no entanto, recebeu uma resposta de milhares de alunos e estudantes, que enviaram várias e múltiplas mensagens a sociedade grega e aos oprimidos de todo o mundo.

Desde a manhã desta terça-feira, se espalhou por todo o centro de Atenas uma atmosfera de terror. Agentes de segurança, secretas e policiais à paisana estavam espalhados por todas as partes. Detiveram fotógrafos e tiraram as suas câmeras, intimidaram as pessoas que iam para o centro para participar das manifestações, fecharam as estações de metrô e bombardearam os passageiros com publicidade constante, aterrorizando-os com a TV e o rádio.

Pela manhã, em vários pontos dos bairros nos arredores de Atenas foram realizadas concentrações massivas, com bloqueios de ruas, cercos de delegacias de polícia e confrontos com as forças da guarda pretoriana da ditadura parlamentar. Muitas delas tornaram-se passeatas pelos bairros e depois se dirigiram para o centro da cidade, onde havia sido convocada a manifestação estudantil de toda Atenas. Read the rest of this entry »

A seguir comunicado da Iniciativa de Alunos do 4º Liceu (dos três últimos cursos do Ensino Médio) do bairro de Zografu, em Atenas, que será distribuído na terça-feira, 6 de dezembro de 2011, três anos após o assassinato pela polícia do adolescente Alexis Grigoropoulos e a rebelião de dezembro de 2008.

Em dezembro de 2008 estourou uma rebelião sem precedentes após o assassinato do nosso companheiro de classe Alexandros Grigoropoulos pela polícia da Democracia grega. As causas que levaram três anos atrás os jovens a saírem às ruas permanecem as mesmas, mas num contexto de crise econômica internacional e grega cada vez pior. Pobreza, desemprego, miséria, repressão estatal, racismo. No entanto, parece que a sociedade está abandonando sua atitude derrotista. Nos últimos três anos, com a intensificação da crise, a sociedade está dando uma resposta. Após uma série de greves gerais, o pico foi o movimento das praças e as duas grandes greves gerais de 48 horas. Sob esta pressão, as máscaras do sistema político burguês caíram, com a formação do governo de “unidade” e a participação neste dos fascistas e banqueiros, para conseguir roubar a nossa renda familiar de forma mais eficaz. Assim, enquanto os ministérios são dados aos nostálgicos de Hitler e de Papadopoulos¹, para nossos pais são enviados impostos, mais uma vez lhes cortam os salários, levando-os a indignação; e a nós nos cortam os sonhos, baixando o nível da Educação, na verdade nos jogando no lixo. Read the rest of this entry »

Em 06 de dezembro de 2008 o policial Korkoneas, acompanhado por um sujeito na mesma condição, assassinou o adolescente de 15 anos Alexandros Grigoropoulos. Korkoneas foi condenado à prisão perpétua, enquanto o dito sujeito chamado Saraliotis foi condenado a dez anos de prisão por cumplicidade no homicídio. O assassinato do jovem Alexandros foi a gota d´água da repressão, provocando uma rebelião cujo impacto ainda estamos vivendo.

Ao mesmo tempo em que ativistas sociais estão encarcerados, a “Justiça” do Regime da Democracia libertou Saraliotis, um ano após seu julgamento e condenação. O Tribunal de Apelações da cidade de Lamia que fez a declaração proibiu que ele deixasse de sair da sua província natal, Drama, no noroeste da Grécia. Read the rest of this entry »

Arquivo