Posts Tagged ‘desvio do río aqueloo’

Contra o saque da natureza e da sociedade pelo Estado e o Capital

Depois da aprovação da lei sobre as condições meio ambientais (que regem o desvio do Aqueloo) em 2 de agosto de 2017, o funcionamento iminente da represa de Mesojora comprova o fato de que o desvio do rio Aqueloo constitui um tema político principal para os soberanos. Está integrado em um plano mais amplo de saque e venda da riqueza pública, e por sua vez tem sido o maior desejo do Sistema diacronicamente.

A destruição de Mesojora, assim como o saque e o controle da riqueza natural, avançarão sem nenhum consenso social, assim como os memorandos e a dominação do Capital em seus vários protetorados, como o Estado grego. Da mesma maneira está a represa em pé fazem quarenta anos: Com a repressão por parte do Estado. É uma repressão dirigida a qualquer pessoa lutadora. Por outro lado, (esta repressão) trata de silenciar, distorcer e tirar o significado das propostas coletivas que promovem a nível social a solidariedade e a resistência.

Qualquer que seja a conclusão das obras criminosas realizadas no alto fluxo do Aqueloo, a luta pela liberação social e as pessoas que se oporão a qualquer tentativa de funcionamento da represa (central hidrelétrica) sairão vencedores. A luta pela defesa da natureza e da sociedade continuará montando barricadas contra o desenvolvimento capitalista, em qualquer lugar que se manifeste a barbárie capitalista, até a derrocada total do Estado e do Capital. Read the rest of this entry »

Poucas horas atrás, um grupo de pessoas, membros do Encontro Autônomo de Luta contra o desvio do rio Aqueloo, ocupou a central hidrelétrica de Glystra, Tríkala, no fluxo alto do rio. Segue o primeiro comunicado da assembleia da ocupação.

Depois do 2 de agosto de 2017, data na qual o ministro de Meio Ambiente Famelos anunciou, como um Heróstrato moderno, a destruição definitiva do rio Aqueloo, depois da celebração de uma série de eventos políticos e culturais em Mesojora, e depois da realização da marcha da gente lutadora do povoado e de solidários contra a represa da Companhia de Eletricidade, no domingo 13 de agosto e na segunda 14 de agosto, às 15h00, uns membros do Encontro de Luta Autônomo, o qual tem mais de dez anos defendendo o rio e o povoado de sua destruição iminente, ocupamos a central hidrelétrica da Companhia de Eletricidade em Glystra.

O objetivo da ocupação é informar quanto seja possível, e despertar consciências sobre o fato silenciado de que aqui, no fluxo alto do rio Aqueloo, por um lado se está realizando uma destruição do meio ambiente e da sociedade local, através das obras técnicas faraônicas que estão construindo, e por outro lado desde faz muitos anos os habitantes da zona e solidários de todo o país conseguiram uma resistência de várias formas. Read the rest of this entry »

Segue o texto de um grupo de pessoas da província de Eubea que se opõe à destruição do pantanal de Kolovrejtis (Eubea) em solidariedade com a luta contra o desvio do rio Aqueloo. Deixando de lado o uso da palavra “cidadãos” no título do grupo e no texto, as inexatidões sobre a participação dos habitantes de Mesojora e os povos vizinhos na luta combativa e desde baixo contra o desvio do rio, os lemas altissonantes e genéricos ao final do texto, assim como a falta de qualquer referência (não só neste texto, senão também em textos de várias iniciativas e coletividades políticas e ecológicas) a atitude da maior parte destes habitantes a favor do marco constitucional da legalidade e a mediação, o texto constitui uma das pouquíssimas vozes de solidariedade, ainda que seja teórica, com a luta contra a destruição do meio ambiente da serra de Pindos.

O grupo de cidadãos do pantanal de Kolovrejtis expressa sua solidariedade com a luta que se está dando durante muitos anos contra o desvio do rio Aqueloo. Durante os últimos trinta anos os habitantes de Mesojora, Tríkala, e cidadãos solidários do resto da Grécia estão lutando com fervor contra o desvio do rio, planificado pelos lobbies das empresas construtoras e da agricultura intensiva. Estão lutando contra o funcionamento da central hidroelétrica faraônica que foi construída no alto fluxo do rio, no coração da serra de Pindos.

O potencial funcionamento deste monstro de cimento de 150 metros, promovido durante o último tempo pelo ministério do Meio Ambiente, lhe dará o golpe de graça ao rio Aqueloo, no curso do qual já estão em funcionamento três represas. Como assinala a Rede “Mesojora-Aqueloo SOS” “o Estado e a Companhia de Eletricidade percebem o rio, as águas e em geral os recursos naturais, como algo que tem que ser explorado, como um meio que pode ser usado para explorar os recursos naturais. Estão aplainando o caminho à privatização das águas e da energia. Não lhes importa que seu novo plano continue tendo enormes consequências ambientais e que conduza à desaparição de Mesojora”. Read the rest of this entry »

Patras, 21 de julho de 2017: Ação anarquista contra o desvio do rio AquelooPatras, 21 de julho de 2017: Ação anarquista contra o desvio do rio AquelooPatras, 21 de julho de 2017: Ação anarquista contra o desvio do rio Aqueloo
A seguir, texto do grupo anarquista de Patras Disinios Ippos (Cavalo Indomável) sobre uma ação realizada por este grupo e por anarquistas da cidade em frente do edifício da Companhia de Eletricidade, contra o desvio do rio Aqueloo.

O funcionamento iminente da represa (central hidroelétrica) da Companhia de Eletricidade em Mesojora converterá o vale montanhoso do Rio Aqueloo no sul da Serra de Pindos em um pântano artificial, eliminando (fazendo desaparecer) o rio e o povoado de Mesojora de Tríkala, afundando-o no fundo deste pântano. Ao mesmo tempo, o funcionamento de dita represa abre caminho para a materialização da obra de desvio do Aqueloo a Tessália. Este fato terá umas consequências desastrosas para toda a zona da Grécia central e ocidental, tanto para a natureza como para as sociedades locais, desde o nascimento do rio na Serra de Pindos até sua desembocadura na província de Etólia e Acarnânia.

Desde princípios dos anos 90 os habitantes de Mesojora tem resistido aos projetos desastrosos do Estado e da Companhia de Eletricidade na zona. Há muitos anos, vários lutadores de todos os rincões do país estão se mobilizando de várias formas combativas contra as represas e o desvio do rio. Semelhantes mobilizações, eventos e intervenções serão realizadas este ano, de 9 a 14 de agosto, nas margens do rio em Mesojora. Read the rest of this entry »

Cartaz da Iniciativa de luta pela terra e liberdade, e da Coletividade anarquista Omikron 72, chamando para uma manifestação contra os planos do Estado e do Capital de desviar o curso do sofrido rio Aqueloo. A concentração acontecerá em Atenas, em frente ao Ministério do Meio Ambiente e Energia.

Que se destrua a barragem faraônica no curso superior livre do rio Aqueloo.

Sua operação iminente converterá em um pântano artificial todo o vale do Aqueloo no sul da serra de Pindos. É a única área ao longo do rio que não tem barragens. A barragem irá eliminar o rio definitivamente.

Que viva o povo de Mesojora, ameaçado de evacuação e destruição.

Concentração, quarta-feira 12 de julho, às 19h, Ministério do Meio Ambiente e Energia, avenida Mesogeion, 119, Atenas.

Contra o desenvolvimento “verde”, as barragens e o desvio, o rio Aquello vai vencer.

Encontro Autônomo de Luta, Mesojora de Trikala, de 9 a 14 de agosto de 2017.

Iniciativa de luta pela terra e liberdade, Coletividade anarquista Omikron 72

O texto em castelhano.

Informação sobre a mobilização do 4 de junho contra o desvio do rio AquelooInformação sobre a mobilização do 4 de junho contra o desvio do rio AquelooInformação sobre a mobilização do 4 de junho contra o desvio do rio AquelooInformação sobre a mobilização do 4 de junho contra o desvio do rio Aqueloo
Segue o texto informativo do Encontro Autônomo de Luta sobre a mobilização do 4 de junho em Mesojora (província de Tríkala) contra o desvio do rio Aqueloo. Mais fotos da mobilização, aqui.

A destruição iminente do rio Aqueloo, com o funcionamento de uma central hidroelétrica e uma represa em Mesojora, terá umas consequências desastrosas tanto para os planaltos da província, como para seus ecossistemas naturais, para a área vulnerável do delta do rio no mar Jônico, e para as populações humanas (entre estas últimas, a principal é a expropriação forçada das casas de Mesojora, a evacuação do povoado e sua inundação), as quais se afundarão no barro.

Hoje em dia esta perspectiva desastrosa para a província é mais visível que quando começaram a construir as represas gigantescas até finais da década de 80. O governo atual, estando em plena concordância com as políticas neoliberais de saque do meio ambiente e das pessoas trabalhadoras, impostas pelos governos anteriores, a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (nas quais estão incluídos a complementação das obras da construção da represa e sua privatização), completou os processos da separação da represa de Mesojora das obras do desvio, bloqueadas temporariamente pelo Conselho de Estado, com o fim de que se ponha em marcha o funcionamento da represa, tal como declararam desde outubro de 2015 o chefe dos prefeitos da região de Tesalia K. Agorastós e o vice-presidente da Companhia de Eletricidade G. Andriotis. Read the rest of this entry »

Segue o cartaz-chamado do Encontro Autônomo de Luta à uma serie de eventos contra o desvio do rio Aqueloo, começando por uma manifestação em 4 de junho de 2017.

Contra o saque da natureza, luta por terra e liberdade

Contra as políticas antissociais de saque do meio ambiente, nas quais está incluído o término e funcionamento de centrais hidrelétricas, sua privatização e a aniquilação do povoado de Mesojora e do fluxo do alto Aqueloo

Contra os planos do Estado e do Capital de concentrar e mercantilizar os recursos aquáticos e naturais em geral, de controlar e de manipular às sociedades e suas necessidades

Contra as represas e o desvio (do rio Aqueloo). Vitória para o rio Aqueloo! Que viva Mesojora! Que se desmonte a represa!

Domingo 4 de junho de 2017: Concentração e marcha à represa de Mesojora: Mesojora, província de Tríkala.

9-14 de agosto de 2017: Encontro Autônomo de Luta em Aqueloo: Acampamento nas margens do rio Aqueloo, Mesojora, província de Tríkala.

13 de agosto de 2017: Marcha à represa de Mesojora.

11-12 de agosto de 2017: Atividades na praça do povoado. Read the rest of this entry »

Mesojora, Trikala, 10-15 agosto de 2016: Encontro Autônomo de Luta contra o desvio do rio AquelooPublicamos aqui a chamada para um Encontro Autônomo de Luta no rio Aqueloo, de 10 a 15 de agosto de 2016.

Contra o desenvolvimento “verde”, as represas e o desvio, o rio Aqueloo sairá vencedor.

Encontro Autônomo de Luta no rio Aqueloo, Mesojora de Trikala, de 10 a 15 de agosto de 2016.

Contra os planos do Estado e do Capital de centralizar e mercantilizar os recursos hídricos e naturais em geral, contra o controle e a manipulação das sociedades e das suas necessidades.

Contra o saque da natureza, luta pela terra e liberdade.

Acampada ao longo das margens do rio, intervenções, assembleias abertas, projeções de vídeos e exposições de materiais das lutas pelo meio ambiente, passeios pelo rio e caminhadas nas montanhas de Pindos.

Quinta-feira, 11 agosto, às 21h: Exibição do filme de animação para jovens e adultos: “Asterix e o Domínio dos Deuses”.

Sexta-feira, 12 agosto, às 21h: Exibição do documentário “Os agricultores de Laxa” (60 minutos), que aborda a luta vitoriosa dos habitantes das margens do Lago Mývatn na Islândia contra a construção de uma represa no rio Laxa.

Sábado, 13 de agosto, às 18h: peça de teatro para crianças, inspirada em contos indígenas sobre a natureza. Read the rest of this entry »

Informações sobre a Reunião Autônoma de Luta de agosto de 2014 contra o desvio do rio AquelooInformações sobre a Reunião Autônoma de Luta de agosto de 2014 contra o desvio do rio Aqueloocf81ceb5ceb9ceb1Informações sobre a Reunião Autônoma de Luta de agosto de 2014 contra o desvio do rio AquelooInformações sobre a Reunião Autônoma de Luta de agosto de 2014 contra o desvio do rio Aqueloo
Publicamos a seguir um texto informativo sobre o  Encontro Autônomo de Luta, realizada de 13 a 17 de agosto de 2014, no povoado de Mesojora. O texto foi publicado na página web dinamitera36.wordpress.com.

Em um momento de profunda crise capitalista, a intensidade da ofensiva contra a natureza e a sociedade está tendo um efeito de arraste (bola de neve), buscando saquear completamente a sociedade humana e submeter (subjugar) todos os rincões do mundo natural em benefício do Poder político e econômico, e da necessidade de um crescimento contínuo da produtividade, com a fabricação de novos produtos e a abertura de novos mercados.

Dentro deste contexto, o caso da tentativa de desvio do rio Aqueloo e da construção de hidrelétricas em Mesojora e Sykiá, apesar de sua aparente estagnação devido à suspensão temporária das obras pelo Conselho de Estado, em nenhum momento pode justificar a complacência e negligência por parte dos que resistem. O Estado, as empresas de construção e o Poder político e econômico que dominam a região de Tesalia, em nenhum instante renunciaram ao objetivo de completar e operar o maior projeto de construção na Grécia, apesar de sua irracionalidade, suas consequências devastadoras para o meio ambiente e a sociedade, e à multiplicidade de reações sociais que ocorreram, e também apesar da decisão de anular o projeto pelo Conselho de Estado no passado. Read the rest of this entry »

13-17 agosto de 2014: Reunião Autônoma de Luta no rio Aqueloo pelo sétimo ano consecutivoReunião Autônoma de Luta no rio Aqueloo pelo sétimo ano consecutivo. Mesojora, Tríkala, de 13 a 17 de agosto de 2014.

Acampamento nas margens do rio, palestras, assembleias abertas, projeções de vídeos, exposições de materiais das lutas pela natureza, passeios pelo rio e caminhadas nas montanhas de Pindos.

Quarta-feira, 13 de agosto, às 21h

Projeção de vídeo na praça central de Mesojora sobre o rio Aqueloo e a luta contra a pilhagem e a destruição.

Domingo, 17 de agosto, às 11h

Concentração na praça da cidade e marcha até a barragem

Contra o desenvolvimento verde, barragens e o desvio do rio

Desde Aqueloo até o noroeste de Calcídica, luta pela terra e pela liberdade. Read the rest of this entry »

Arquivo