Posts Tagged ‘chamado’

A seguir, publicamos o cartaz-chamado do Coletivo de anarquistas dos bairros orientais, de Tessalônica, para duas concentrações do lado de fora dos tribunais de Tessalônica, em solidariedade com aqueles acusados pela luta anti-mineração em Calcídica, cujos julgamentos ocorrerão em 21 de setembro de 2017.

Defendemos a natureza do saque do Capital

A luta contra a extração de ouro é um exemplo em que se vê claramente que as leis podem ser modificadas para servir os interesses do Capital. Isso é feito, por um lado, buscando formas de legalizar a empresa de mineração e, por outro lado, reprimindo uma das lutas mais combativas e multifacetadas dos últimos anos. Além da sua forma direta, presença da chamada polícia antidistúrbios em todos os lugares, disparo de gás lacrimogêneo dentro das escolas, incursões em casas, tiro de balas de borracha e substâncias químicas, a repressão se estruturou a nível jurídico.

No caso de Skuriés, luta anti-mineração em Calcídica, são mais de 450 ativistas acusados, muitas das acusações basearam-se na obtenção de material genético sem o consentimento dos acusados, em chamadas telefônicas interceptadas e no uso da lei 187 sobre organizações criminosas. Read the rest of this entry »

Texto e cartaz do Comitê de luta de Tessalônica contra a extração de ouro, publicado em sua página web por causa da realização de duas manifestações em Ierissós (Calcídica) e em Tessalônica, contra a extração de ouro em Calcídica.

Desde o momento em que Eldorado Gold ameaçou terminar seu “investimento” e sair da Grécia, o partido da oposição Nova Democracia e os meios de desinformação de massa iniciaram uma campanha de mentiras. Os jornalistas porta vozes da empresa mineradora reproduzem diariamente vários disparates, e dia após dia andam dizendo que vão aumentar os postos de trabalho e o dinheiro que se supõe que contribuirá a empresa para a economia.

Nós sabemos que após a palavra mágica “investimento” empregada como uma panaceia, se esconde um saque: Uma empresa que comprou os terrenos em Calcídica nos quais se pretende fazer a extração de ouro por umas migalhas, que está lucrando sem pagar impostos, que está destruindo o meio ambiente e os recursos naturais da região, que ameaça com conduzir ao desemprego a dezenas de milhares de trabalhadores nos setores da agricultura, da apicultura, da pesca, do turismo, da pecuária e em todos os trabalhos associados com estes setores, em Calcídica e em Tessalônica. Read the rest of this entry »

Este ano, no sábado 9 de setembro de 2017, acontecerá uma manifestação-marcha em Tessalônica, no marco da celebração anual por parte dos soberanos da Feira Internacional de Tessalônica. Neste post publicamos o cartaz-chamado dos Comitês de luta de Tessalônica e Calcídica contra a extração de ouro (em Calcídica) à manifestação.

Manifestação na Feira Internacional de Tessalônica, sábado 9 de setembro, às 18h. Ponto de concentração: Kamares.

Não a extração de ouro. Solidariedade com os ativistas (da luta anti-mineração) criminalizados.

Comitês de luta de Tessalônica e Calcídica contra a extração de ouro

Na faixa da foto se lê: Primeiro te ignoram, depois te enganam, em seguida fazem a guerra, após te derrotam. SOS Calcídica, Juventude contra a extração de ouro. Read the rest of this entry »

A seguir, texto do grupo anarquista de Berea Baruti (Pólvora) sobre a instalação iminente de 155 aerogeradores gigantescos no monte Vermio. A concentração chamada pelos anarquistas da cidade realizou-se em 24 de junho no Local Libertário de Berea.

Chamado combativo contra a investida do capitalismo verde e o saque da natureza e de nossas vidas

O saque já começou. A um ritmo muito rápido. Já estão construídas ao menos dez bases para receber os aerogeradores monstruosos, em torno do cume do monte Vermio e a continuação do grupo dos 19 aerogeradores que já estão instalados em dois parques eólicos.

Vermio SOS: Empresas, Estado e os aparatos que tem “os de cima” para adquirir, colocando a túnica verde do desenvolvimento, estão tratando de saquear a natureza uma vez mais. Trata-se de uma obra faraônica de instalação de 155 aerogeradores no monte Vermio. A obra inútil e desastrosa da empresa Eolikí Vermíu E.E. (filial da empresa Acciona Energeiaki S.A.) prevê a instalação de sete parques eólicos no monte Vermio, de potência total de 465MW, mais que a potência de todos os aerogeradores que há no país. Read the rest of this entry »

Cartaz e comunicado do coletivo anarquista de Tessalônica “Negro e Vermelho”, publicados em sua página web.

O texto do cartaz:

“A humanidade deixou-se bastante tempo, muito tempo, governar e que a fonte dessas infelicidades não reside em tal ou qual forma de governo, mas no princípio e no próprio fato, qualquer que seja, do governo”.

Mikail Bakunin

Nenhum governo quer ou pode defender os interesses dos plebeus. Lutas sociais combativas, sem líderes, contra as planificações do Estado e do Capital.

Marcha de solidariedade e apoio à luta dos trabalhadores de Viomijanikí Metaleftikí, quinta-feira 11 de maio de 2017, às 18h, em Kamara.

Greve contra a votação do quarto memorando, o dia da greve geral, quarta-feira 17 de maio de2017, às 10h, em Kamara.

Coletividade pelo anarquismo social “Negro e Vermelho”, membro da Organização Política Anarquista/Federação de Coletividades

O texto do comunicado:

A votação que aprovou o quarto memorando intensifica a barbárie estatal e capitalista que os oprimidos estão sofrendo. A partir desta acepção notamos que a coalizão governamental, estando em plena concordância com sua trajetória e não surpreendendo a ninguém, reforça o aprofundamento da crise, cujas consequências afetam uma vez mais as classes sociais mais baixas, tornando insuportável seu cotidiano. Claro, esta ofensiva tem tantas interpretações e facetas como as pretensões dos soberanos. Read the rest of this entry »

Em maio e junho a okupa Analipsi (bairro de Byronas, Atenas) organizara um festival teatral com grupos teatrais independentes e auto-organizados. A seguir, o chamado da okupa a participacao neste festival.

O festival “Intervencoes teatrais”, organizado pela okupa de Analipsi, acontecera em parques e pracas do bairro de Byronas, de meados de maio a meados de junho. Neste festival participarao grupos teatrais e artistas independentes e auto-organizados. A finalidade do festival e o encontro com o mundo do bairro e a interacao com ele, em combinacao com a promocao de uma cultura diferente da predominante: A da colaboracao, solidariedade, igualdade e resistencia. Nosso objetivo e realizar quantas representacoes teatrais seja possivel (tanto para adultos como para criancas), oficinas, experimentacoes, etc. Neste marco dirigimos um chamado aberto a grupos teatrais e artistas que estejam de acordo com o anteriormente mencionado e estao interessados em apoiar este projeto.

Com saudacoes de companheirismo,

Okupa de Analipsis

Comunicacao e mais informacao: analipsi@espiv.net. Read the rest of this entry »

Chamado em solidariedade com os processados da luta antimineracao em CalcidicaEm 10 de novembro serão julgados três dos processados por sua participação na manifestação de 21 de outubro de 2012, na qual o Regime desatou um ataque cruel aos manifestantes contra a mineração de ouro. O texto que segue é um chamado a uma manifestação diante dos tribunais de Tessalônica, em solidariedade com os processados.

O texto do cartaz:

SOS Calcídica

Nos colocamos ao lado dos três detidos do 21 de outubro de 2012.

Quinta-feira, 10 de novembro, às 10h, Palácio de Justiça de Tessalônica

Comitês de Luta de Tessalônica e Calcídica contra a extração de ouro

O texto do chamado:

Em 21 de outubro de 2012 uma manifestação de mais de 2.500 pessoas percorreu uma distância de oito quilômetros no bosque de Kákavos para chegar a Skuriés. Ali lhes esperava um contingente de policiais raivosos, armados até os dentes (sendo uma dissonância dentro do bosque arcaico), havendo recebido a ordem de dispersar os manifestantes. Desataram um ataque de incrível violência contra os manifestantes, perseguindo-os por muitos quilômetros, dando-lhes surras, disparando gases e granadas aturdidoras no bosque, destruindo carros e lesionando pessoas, sem ter o mínimo pretexto. Read the rest of this entry »

Texto da “Assembleia de estudantes do âmbito anarquista (Atenas)”, publicado na página web da Assembleia em razão das mobilizações dos estudantes do secundário. O título do texto original em grego é “A tomar de novo a vida em nossas mãos”.

Uma vez mais os alunos não estão em suas escolas senão nas ruas reclamando a vida e a dignidade que merecem. É uma vida que vamos perdendo minuto a minuto dentro da escola-opressora. E uma dignidade pisoteada diariamente com dezenas de pretextos: Eliminações de faculdades nas escolas técnicas, escassez de professores, de material e livros escolares, escolas sem calefação por falta de petróleo, desmaios de alunos por fome, edifícios perigosos, abuso de poder por parte de muitos professores, regulamentos escolares muito opressivos, com umas multas igualmente opressivas, um sistema educativo baseado nos exames e no antagonismo, que nos extermina e elimina todo pensamento criativo e livre, as “aulas de apoio” (em institutos privados) que já são necessárias e eliminam na prática a “educação livre e gratuita”, a pressão dos exames de ingresso, que nos conduz a todos a um estado de estresse e de aflição, e a alguns, lamentavelmente, até o suicídio. Refletindo sobre tudo isto (e sobre muito mais que não cabe em uma folha de papel) tiramos a conclusão que temos todas as razões para nos organizarmos como comunidade escolar, e para lutar, na rua e em nossas escolas, reclamando a vida que nós merecemos.

Reclamamos: Read the rest of this entry »

Chamado da Federação Anarquista a uma manifestação na Feira Internacional de TessalônicaEm 10 de setembro de 2016 será inaugurada em Tessalônica mais uma Feira Internacional. Mais uma feira que terá o pacote inteiro: Pavilhões-monumentos de consumismo, concertos com cantores endinheirados, supostamente populares, e, claro, com o primeiro ministro do país inaugurando a feira com declarações sobre “o futuro da economia”.

Desde 2012, ano em que o país entrou no Fundo Monetário Internacional, até hoje, todos os primeiros ministros que “se encarregaram de resgatar (salvar) o país” anunciam (nesta feira) as novas medidas, os novos cortes, sempre prometendo o cobiçado “desenvolvimento”.

Para nossa classe este ano foi um ano mais de retrocesso. A ofensiva que recebeu não a fez regressar a “séculos anteriores” ou a “medievais”, senão que marcou a imagem de seu futuro. Trata-se do futuro da ofensiva por todos os lados do Estado e do Capital ao trabalho, a seguridade social, as liberdades sociais, o meio ambiente e os bens sociais. Depois dos cortes nos salários, nas pensões e em todas as prestações, a subida dos preços nos artigos de primeira necessidade, veio a mudança da legislação sobre a seguridade social (ou seja, a eliminação da seguridade social) e os leilões de casas que são primeiras residências para os que as habitam.

Ao mesmo tempo, as declarações humanitárias do Syriza sobre a questão migratória logo se transformaram para estar em plena concordância com as ordens da União Europeia sobre este tema. Surgiram por todos os lados “assentamentos de hospitalidade” para congestionar em seu interior os imigrantes que o Estado grego não pôde atirar ao mar, entrou em vigor o pacto da vergonha (inclusive para os padrões da democracia burguesa) entre a União Europeia e Turquia, começaram as prisões dos solidários que durante meses ofereciam seus serviços nos centros de reclusão, o centro de reclusão de Idomeni foi evacuado pelas chamadas forças antidistúrbios, e os campos de concentração para imigrantes e refugiados (que nunca fecharam totalmente) já estão se enchendo. Read the rest of this entry »

Chamado da Organização Política Anarquista a uma manifestação na Feira Internacional de TessalônicaO ataque por todos os lados do Estado e do Capital à maioria da sociedade forma o marco (as condições) para a imposição contínua das novas e mais onerosas condições de exploração e opressão. A gestão política atual promove sem cesar a imposição de tais condições, estando em plena concordância com a barbárie do Estado e do Capital e com o que ela colabora.

Desde as medidas anti-sociais que continuam em vigor, a exploração econômica e a indigência social, até a agudização da guerra na periferia capitalista, em seguida do reforço da Europa-fortaleza, os assassinatos de imigrantes e refugiados nas fronteiras, sua exclusão do campo social e sua reclusão em campos de concentração, os ataques para-estatais contra as estruturas de apoio aos refugiados e os imigrantes, e a penalização da solidariedade, o mundo do Estado e do capitalismo está em estado de plena quebra, não podendo prometer nada além de mais indigência, pobreza, opressão, canibalismo, guerras e morte.

A lutar contra a máquina estatal e capitalista que gera pobreza, indigência e morte. A levantar resistências coletivas frente a investida do totalitarismo moderno. A solidarizar-nos com as lutas dos imigrantes e dos refugiados, a propor a conexão das lutas de todos os oprimidos e os explorados. Para edificar uma nova sociedade emancipada, baseada na dignidade, na justiça, na liberdade e na solidariedade, sobre os escombros do mundo do Poder, do Estado e do Capital. Read the rest of this entry »

Arquivo