Posts Tagged ‘aurora dourada’

Hoje [sexta-feira, dia 19] foi posto em liberdade Giorgos Rupakias, o neonazista que em 18 de setembro de 2013, como membro de um batalhão de assalto da gangue neonazista Aurora Dourada, assassinou o músico e antifascista Pavlos Fyssas. O tribunal que o libertou impôs certas restrições: Proibição de deixar o território do Estado grego, prisão domiciliar (temporariamente) e deslocamento apenas para seu traslado para os tribunais, sob custódia policial.

Não é a primeira vez que a chamada “Justiça” põe em liberdade um assassino (policial, fascista ou outro paraestatal). Desta vez, a libertação foi devida ao fato de que o tempo de retenção (trinta meses) foi concluído sem a finalização do seu julgamento, devido aos procedimentos muito lentos durante os últimos trinta meses. Recordamos, também, que foram libertados quase todos os fascista do Aurora Dourada (deputados, altos “dignitários” ou meros membros), acusados de vários crimes.

O texto em castelhano.

As forças repressivas do Regime seguem sendo fiéis ao fascismo. Demonstram-no diariamente e demostraram uma vez mais os resultados das eleições gerais de 20 de setembro. Como escrevíamos em outros de nossos posts relativos ao tema, não nos surpreende a atitude eleitoral dos mercenários da guarda pretoriana do Regime. É bem conhecida e documentada a inter-relação entre a Polícia grega e os fascistas. Tampouco temos ilusões sobre o papel histórico das forças repressivas do Estado.

Depois das eleições de maio de 2012 e as eleições europeias de maio de 2014, nas últimas eleições quase a metade dos policiais que votaram em certos centros eleitorais de Atenas, votaram massivamente nos fascistas neonazis de Jrisí Avgí (Aurora Dourada). Os dados que seguem procedem de dez centros eleitorais em Atenas, nos quais votou uma boa parte dos policiais das delegacias e da Direção Geral de Polícia de Atenas.

Nestes centros eleitorais as porcentagens do bando fascista Aurora Dourada nas últimas eleições foram as seguintes (entre parenteses as respectivas porcentagens nas eleições de janeiro de 2015): 15,94% (15,04%), 16,94% (14,37%), 14,81% (13,03%), 12,12% (7,63%), 15% (12,67%), 11,47% (9,45%), 14,18% (10,58%), 16,24% (10,73%), 13,68% (9,68%), 11,74% (8,54%). Na zona eleitoral a qual pertencem estes centros eleitorais a porcentagem do Aurora Dourada chegou a 6.91%. Nas eleições de janeiro de 2015 havia chegado a 7,05%. A nível nacional a porcentagem deste bando criminoso chegou em setembro de 2015 a 6,99% e nas eleições de janeiro de 2015 a 6,28%. Read the rest of this entry »

Na quarta-feira, 9 de setembro, mais de 60 pessoas se concentraram no jardim municipal de Kavala, realizando uma manifestação antifascista contra a apresentação eleitoral dos candidatos do partido fascista Aurora Dourada (Jrisí Avgí). Os antifascistas atuaram com uns reflexos realmente rápidos, dado que o evento dos invertebrados havia sido anunciado tão somente um dia antes, temendo algo que não puderam evitar: A concentração antifascista. Um de seus convidados era o neonazi Matceópoulos.

Os manifestantes permaneceram durante muito tempo no lugar da concentração, mantendo a rua ocupada. Depois de vários minutos de manifestação na rua, as pessoas voltaram ao jardim municipal e ficaram ali durante algum tempo, não permitindo aos invertebrados deslocarem-se livremente pela cidade.

Durante a concentração antifascista e enquanto os manifestantes estavam alinhados frente às forças policiais que haviam atravessado a rua, o bem conhecido descendente dos colaboradores dos nazis, torturador (literalmente) durante a Ditadura, e presidente do conselho municipal de Kavala, S. Grammenos, esteve vigiando os manifestantes e fazendo gestos irônicos para eles. Quando alguns deles lhe responderam, claro, começou a fazer insolências sob a proteção dos policiais e de outros tontos que estavam nesse lugar. Quando os manifestantes se chatearam por sua atitude provocadora, os policiais o tiraram e assim se pôs fim a bem conhecida representação teatral dos palhaços da autoridade municipal. Read the rest of this entry »

Texto da coletividade anarquista de Calcis Ulalum.

O assassinato de Pavlos Fyssas por membros da gangue neonazi Aurora Dourada não foi algo inesperado como hipocritamente sustentaram os meios de desinformação, foi o ponto culminante espetacular da ação criminosa dos fascistas, a qual continua até hoje. As vítimas da violência racistas das escórias do líder da gangue Mijaloliakos foram durante muitos anos principalmente os imigrantes, os refugiados, os homossexuais, os antifascistas, os ciganos roma, etc. O assassinato a sangue frio, no entanto, de um grego, chocou ainda mais aos gregos, que sentiram em sua pele nacional a faca do fascista.

É hipócrita, no entanto, cair das nuvens ou simplesmente tratar como enganados aos votantes da gangue nazi de Mijaloliakos. Ninguém pode dizer que não sabia. Depois do assassinato de Fyssas só um membro impenitente desta gangue pode seguir escondendo-se descaradamente detrás de tais desculpas baratas. Read the rest of this entry »

Publicamos o texto de convocação da Iniciativa Antifascista de Marusi para duas mobilizações contra a abertura das oficinas da gangue fascista Aurora Dourada no bairro, sem compartilhar as referências feitas no texto à luta pela Democracia.

A abertura das oficinas do setor norte da gangue neonazi Aurora Dourada em 11 de julho de 2014 no bairro ateniense de Marusi, sem aviso prévio e guardando o máximo segredo, não ficou sem resposta por parte dos cidadãos de Marusi e dos outros bairros do norte de Atenas.

A grande marcha dos mais de 1.500 antifascistas em 24 de julho de 2014 mostrou a vontade de nossos concidadãos de lutar por fechar as oficinas da Aurora Dourada, e sua determinação de lutar contra o fascismo. A forte presença policial nesta marcha não foi capaz de aterrorizar a ninguém, nem de deter a marcha.

Semelhante foi a reação dos lutadores antifascistas de nosso bairro, quando a sexta-feira, 1º de agosto de 2014, com a operação coordenada, os assassinos paraestatais da Aurora Dourada e as forças repressivas oficiais puseram no ponto de mira a okupa Kuvelu. Neste caso também se reuniram centenas de pessoas e exigiram a retirada imediata das forças da repressão e o fechamento imediato das oficinas de Aurora Dourada em Marusi. Esta reação direta e combativa deu lugar à retirada da polícia antidistúrbios das zonas vizinhas da okupa na mesma noite da operação. Read the rest of this entry »

Em 10 de julho de 2013 um batalhão de assalto de uns sessenta neonazistas armados que iam em motos e carros realizou um ataque ao centro social auto-organizado Synergeio (Oficina) no bairro de Atenas Iliúpoli. Em nosso post relativo a isso, havíamos publicado fotos de dois deputados do partido neonazista Aurora Dourada, que haviam participado no ataque. Também, no mesmo post mencionamos que o ataque, a marcha motorizada e a retirada dos fascistas armados com paus, porretes e barras de ferro, se realizaram na presença e sob a proteção de policiais da equipe motorizada da Polícia.

Estes policiais motorizados se foram assim que acabou a agressão dos fascistas. Os policiais de um carro patrulha que chegou ao local um pouco antes da retirada das motos e dos carros dos agressores, anotaram o número da placa de umas das motos e de um carro que haviam participado no ataque. Antes de 31 de julho de 2013 se comprovou que o carro pertencia a uma empresa de arrendamento financeiro (leasing).

Quando esta empresa foi questionada por escrito sobre a identidade do arrendatário, respondeu em 3 de setembro de 2013 que o arrendatário era o Parlamento. O Parlamento, no entanto, não foi tão rápido em responder a pergunta sobre quem era o deputado usuário do veículo. Demorou seis meses para tornar públicos seus dados. Em 28 de fevereiro de 2014 tornou-se público que o deputado era Ioannis Lagós, um dos fascistas do grupo parlamentar do partido neonazista Aurora Dourada que é visto nas fotos dos neonazis tiradas durante a agressão de 10 de julho de 2013. Read the rest of this entry »

Nesta sexta-feira, 1º de agosto, um grupo de 100 neonazistas atacou a okupa Kuvelu, no bairro de Marusi, no norte de Atenas. Antes de atacar a okupa, os fascistas haviam feito uma marcha motorizada desde a sede fechada da gangue neonazista Aurora Dourada no bairro vizinho de Neo Iraklio até a sua nova sede em Marusi.

Durante o ataque fascista umas 30 pessoas estavam dentro da okupa e a defenderam da agressão fascista-paraestatal. Os fascistas armados com facas, navalhas, bastões e escudos, fizeram um ataque organizado e coordenado por 15 minutos. As pessoas que estavam ali naquele momento conseguiram rebater o ataque e puseram os nazis para correr. Durante a agressão os fascistas causaram estragos a vários carros que estavam estacionados nas cercanias da okupa. A Polícia apareceu logo após a fuga dos neonazistas, rodeando a okupa. Ressaltamos que as forças de segurança eram numerosas e durante o ataque dos fascistas se encontravam a pouca distância dos fascistas, mas sem intervir.

No ataque ficaram feridas várias pessoas que defenderam a okupa. Os vizinhos atenderam os feridos, e permaneceram do lado de fora de suas residências durante o bloqueio dos policiais. Durante esse tempo, cerca de 100 pessoas vieram para as imediações da okupa, solidários com ela. Read the rest of this entry »

Na quinta-feira, 24 de julho de 2014, mais de 1.000 pessoas participaram da massiva manifestação e marcha contra a abertura dos escritórios da gangue neonazista Aurora Dourada no bairro de Marusi, em Atenas. Os participantes da marcha eram em sua grande maioria anarquistas, antiautoritários, e esquerdistas da esquerda extraparlamentar. O ato foi chamado por vários grupos anarquistas e antifascistas, assim como pela Assembleia popular do bairro.

Pouco antes do término da manifestação um grupo de neonazistas atacou um membro de um partido esquerdista parlamentar, que distribuía folhetos no centro do bairro. A marcha não chegou aos escritórios da Aurora Dourada porque a Polícia bloqueou a rua a uns duzentos metros do espaço fascista. Na volta para o lugar de onde tinha começado a marcha, os manifestantes quebraram uma casa de penhores.

Alguns dos lemas gritados no ato: “Nem em Marusi nem em qualquer outro lugar, esmagar os fascistas em todos os bairros”, “Policiais, TV, neonazistas: todas as escórias trabalham em conjunto”. Read the rest of this entry »

Nesta quinta-feira, 24 de julho de 2014, vários grupos anarquistas e antifascistas, e assembleias locais, chamaram uma manifestação e marcha no bairro Marusi, em Atenas, onde há poucos dias a gangue neonazista Aurora Dourada anunciou a abertura de seus escritórios. A seguir, publicamos o cartaz do chamado.

Não consentimos o fascismo, lutamos contra ele na rua

A apatia (passividade) e a inércia não dão uma resposta ao fascismo que estamos vivenciando. Os que delegam ao Estado a confrontação do fascismo, denunciando-o, atuando com neutralidade e com desculpas, fazem que não veem.

Isso ocorre porque o próprio Estado é fascista. É o que cria centros de detenção (reclusão) para imigrantes, que governa com uma legislação no âmbito do estado de emergência, que ordena a mobilização forçada dos grevistas, que constrói prisões infernais.

Em 11 de julho de 2014 a organização local da Aurora Dourada anunciou a abertura de seus escritórios em Marusi. No mesmo dia, um grupo de companheiros atacou o edifício de seus escritórios, para que recebam a mensagem clara de que devem ir embora tal como chegaram.

Manifestação (marcha) contra a abertura dos escritórios da gangue neonazista Aurora Dourada.

Quinta-feira, 24 julho, às 18h, na estação do metrô. Read the rest of this entry »

Pouco depois do amanhecer desta terça-feira, 17 de junho, dois neonazistas realizaram um ataque assassino contra um imigrante no bairro de Metaxurguío, a 50 metros do edifício da Polícia de Trânsito de Atenas. Os fascistas saíram de um carro e começaram a bater no imigrante, que caiu no chão sangrando. Na sequência, eles continuaram a espancá-lo e, em seguida, começaram a pular sobre sua cabeça.

O incidente ocorreu a pouquíssimos metros do prédio da Polícia de Trânsito de Atenas, cujos guardas permaneceram imóveis ante essa agressão fascista. Os únicos que tentaram parar os neonazistas foram algumas pessoas que naquele momento passavam pelo local do ataque racista. Os neonazistas ameaçaram, gritando “Já vai se inteirar o que significa Aurora Dourada” e “Te conhecemos, te temos fichado”.

O imigrante que recebeu o ataque assassino foi levado para a Delegacia mais próxima e, em seguida, para um hospital, onde permanece hospitalizado. Assinalamos que testemunhas observaram o número da placa do carro (Suzuki Swift) em que estavam os fascistas: ΥΝΚ 3249. Quase 24 horas após o incidente a Polícia nem começou a prender os autores do ataque assassino nem emitiu qualquer comunicado sobre esta questão… Read the rest of this entry »

Arquivo