Posts Tagged ‘ataque incendiário’

Na madrugada do dia 16 de setembro foi realizado um ataque incendiário criminoso contra o centro social autogestionário Pasamontaña, localizado no bairro de Koridalos, nos arredores de Atenas. O fogo causou danos apenas na parte exterior do edifício, sem atingir a parte de dentro.

Em um curto comunicado divulgado pelo centro social depois do ataque, foi colocado que seus autores eram, obviamente, neonazistas, uma vez que o ataque ocorreu dois dias antes do terceiro aniversário do assassinato de Pavlos Fyssas por um batalhão de assalto da quadrilha criminosa neonazista Aurora Dourada. No mesmo comunicado foi citado que tais ataques covardes não podem diminuir o apoio do centro social auto-organizado pelo bairro, nem podem interromper o funcionamento e a ação dos projetos auto-organizados.

O centro social autogestionário Pasamontaña participou das manifestações antifascistas de 17 e 18 de setembro, que se realizaram no bairro onde há três anos os neonazistas assassinaram o antifascista Pavlos Fyssas, bem perto do Pasamontaña.

O texto em castelhano.

Alguns dias atrás, a okupa de abrigo para imigrantes da rua Notará, 26 (Exarchia, Atenas), recebeu um ataque incendiário criminoso. A seguir, o comunicado emitido pela assembleia aberta da okupa por ocasião do ataque.

Na quarta-feira, 24 de agosto, às 3h45, a okupa de abrigo para imigrantes da rua Notará, 26, recebeu um ataque incendiário criminoso. Para nós, a maneira de como os incendiadores agiram foi um claro ataque assassino, planejado para causar mortes, além de danos materiais graves. Esta ação covarde foi realizada em agosto pelos incendiadores por pensarem que os reflexos do movimento de solidariedade seriam baixos. No entanto, em vão…

Depois do ataque com coquetéis molotov e bombas incendiárias, o grupo de vigilância (salvaguarda) dos imigrantes e os solidários agiram imediatamente, usando os extintores da okupa. As mais de 130 vidas que corriam um sério perigo foram salvas exclusivamente pela reação imediata de todos os residentes, dos solidários, dos vizinhos e dos bombeiros, embora em seu comunicado de imprensa a okupa é citada como armazém, insinuando que não havia pessoas dentro.

Este episódio faz parte de uma série de ataques contra as okupas dos e das imigrantes, contra os refugiados e os centros sociais livres. Estes ataques foram feitos em conjunto pelo Estado e os aparatos paraestatais. Nesta colaboração o primeiro atua “legalmente” (como no caso das três okupas desalojadas em Tessalônica) e o segundo com práticas já bem conhecidas da máfia (como nos casos de várias okupas em Atenas), colocando na mira o movimento de solidariedade. Read the rest of this entry »

Às 4 horas da madrugada do dia 31 de julho de 2016, ocorreu um ataque incendiário aos escritórios da empresa encarregada pela demolição do edifício da okupa Orfanotrofío em Tessalônica. Os escritórios, estabelecidos no piso térreo de um edifício localizado em um subúrbio da cidade, foram completamente consumidos pelas chamas. O primeiro andar é habitado, mas, no momento do ataque, as pessoas que residem nos apartamentos estavam fora de Tessalônica. O fogo que queimou os escritórios não atingiu o primeiro andar do edifício.

Recordamos que em 27 de julho de 2016 as forças repressivas realizaram os desalojos de três okupas em Tessalônica. Uma delas, a de Orfanotrofío (Orfanato, nome usado pelo edifício da okupa antes de ser abandonada e ocupada), foi demolida logo após o seu desalojo. Sob os escombros do edifício demolido foram enterrados toneladas de medicamentos, alimentos, roupas e artigos de primeira necessidade, destinados para as famílias dos refugiados que se hospedavam na okupa e para os necessitados em geral. Read the rest of this entry »

YouTube Preview Image

Soli Café é um projeto coletivo auto-organizado alojado em uma okupa de uma casa na cidade de Quios. Ele foi criado no início de janeiro 2016 para apoiar e se solidarizar com os refugiados e os imigrantes que chegam na ilha, e, especialmente, para oferecer-lhes um lugar onde eles possam auto-organizar suas vidas. Ontem recebeu um ataque incendiário criminoso, após uma concentração fascista realizada na capital da ilha. Segue o comunicado da okupa, emitido algumas horas após o ataque. Read the rest of this entry »

A seguir, comunicado de várias coletividades de Tessalônica sobre a tentativa de ataque incendiário contra a okupa Terra Incognita, realizado no sábado, 19 de dezembro de 2015.

As chamas ardem dentro de nós

Na madrugada de sábado, 19 de dezembro, foi realizado um ataque estatal contra a okupa Terra Incognita. Uns desconhecidos procederam a uma “tentativa” de incêndio na entrada do edifício, mas que os membros da okupação perceberam. Na entrada foram encontrados dois botijões de gás que não tinham explodido, e um foco de incêndio muito baixo. Um dia antes um ataque parecido foi recebido pelo Local Autônomo em Atenas.

Esta tentativa de ataque contra nós vem se somar ao ataque contra a okupa Libertatia, cuja responsabilidade foi assumida pelos “Meandros Nacionalistas Independentes”, uma facção fascista que está sob o controle do neonazista Periandros Andrutsópulos e da Polícia grega, encarregando-se (estes fascistas) oficialmente da parte (do braço) operativa paraestatal. Read the rest of this entry »

Hoje (9) pela madrugada a okupa Kuvelu, situada no bairro das proximidades de Atenas, Marusi, recebeu um ataque incendiário. A seguir, publicamos o comunicado da okupa, emitido umas horas depois do ataque.

Hoje às 5h30 a okupa da mansão Kuvelu Kouvelis recebeu um ataque incendiário. Como resultado dessa agressão criminosa as casas e as lojas das zonas próximas sofreram graves danos, enquanto que ao edifício da okupa causaram alguns danos na entrada principal.

O que é chocante, no entanto, não são os danos materiais causados pelo ataque, mas o fato de que os autores do ataque incendiário deixaram o artefato explosivo de grande potência no meio da rua, despreocupando-se totalmente pela vida dos moradores e dos transeuntes.

Este ataque, desde já, não foi o primeiro desferido contra a okupa (em 2011 recebeu um ataque incendiário, e em 1º de agosto de 2014 outro, pela gangue nazi Aurora Dourada). Não foi algo inesperado, mas que foi uma resposta e tentativa de intimidação dos membros da okupa, por suas ações combativas. Os autores, que pertencem à extrema-Direita, atacou e pôs em ponto de mira a okupa simplesmente porque temem estas suas ações. Temem a solidariedade com os refugiados e os imigrantes, temem a resistência às políticas governamentais e a favor dos memorandos, as lutas contra o terrorismo da patronal, e contra o fascismo. Temem a nós, que não servimos aos interesses de nossos patrões, pelo contrário, lutamos com dignidade, pondo a auto-organização e a solidariedade na primeira linha da luta. Read the rest of this entry »

No sábado, 2 de maio, umas 80 pessoas se manifestaram em Kaloskopí, um pequeno povoado da província de Fócide, aos pés do monte Parnaso. A manifestação realizou-se em solidariedade com Stéfanos Kollias, um lutador social cuja casa recebeu um ataque incendiário por causa de sua participação ativa na luta contra as minas de bauxita no Parnaso.

Faz alguns anos Stéfanos regressou a seu povoado de origem com o fim de assentar-se permanentemente em sua casa natal. Desde que se envolveu no movimento contra as contaminantes minas de bauxita, sua casa recebeu quatro ataques incendiários. Dois deles não causaram graves danos à casa. Em um deles se queimou uma grande parte dela. Reconstruiu-se a parte destruída e no recente ataque incendiário destruiu-se de novo uma grande parte dela.

Antes da manifestação realizou-se uma palestra sobre as desastrosas consequências da extração de bauxita para o ecossistema da zona e as águas do mar de Corinto, sobre o abandono dos povoados por seus habitantes, sobre os ataques incendiários paraestatais e a organização da luta contra o saque desapiedado da natureza pelo Capital transnacional. Read the rest of this entry »

Na quinta-feira, 22 de maio, uma sala dentro de um prédio abandonado na periferia de Katerini e utilizada por antiautoritários da cidade para suas assembleias, recebeu um ataque incendiário. Abaixo está uma breve informação, baseada no boletim informativo que eles publicaram em um site de contrainformação sobre este ataque.

Na quinta-feira, 22 de maio, o espaço ocupado em que acontece a assembleia dos antiautoritários da cidade de Katerini recebeu um ataque incendiário. A ocupação deste espaço não foi tornada pública, mas os antiautoritários da cidade, depois de ocupá-lo, fizeram a reabilitação do local e o transformaram em um lugar para realizar suas reuniões. Trata-se de um espaço localizado dentro de um grande prédio abandonado na periferia da cidade de Katerini. O edifício há muitos anos é um ponto de encontro e de experimentação entre os jovens da cidade (skatistas, grafiteiros, etc.), já que conta com espaços abertos unitários. As assembleias dos antiautoritários são celebradas ali já tem alguns meses. Devido ao mau estado do edifício, bem como a distância do espaço do centro da cidade, não poderia ser algum tipo de local ou centro social aberto ou ponto de encontro. Por isso ele nunca foi divulgado. Read the rest of this entry »

Arquivo