Posts Tagged ‘antifascistas’

Anteontem realizou-se uma marcha antifascista em dois bairros da capital da Ilha de Creta, Heraklion. A marcha foi uma resposta às recentes aparições de neonazis e outros fascistas em vários lugares do território do Estado grego. Esta marcha realizou-se em bairros da cidade e não no centro, como tradicionalmente acontece com as marchas de eventos principais em Atenas, consideramos que é significante esta presença antifascista na ilha (fora da linha partidária e institucional), que sofreu muitíssimo com a ocupação das tropas nazis, durante a segunda guerra mundial.

Na sexta-feira 3 de março de 2017 foi realizada uma marcha antifascista na cidade de Heraklion, nos bairros Poros e Pateles. 80 companheiros e companheiras marcharam de maneira combativa pelas ruas centrais e ruelas do bairro, distribuindo um folheto a moradores e transeuntes, enquanto gritavam lemas de solidariedade com os imigrantes e lemas antifascistas, como os seguintes: ” Anogeia, Vianno, Kándano foram incendiados pelos nazis. Não cabem fascistas nesta ilha” e ” Agora e sempre, como em 1940: Sempre estaremos lutando contra o fascismo e a pobreza”.

Para além do fato que não temos a intenção de deixar em nenhum lado espaço para a propagação do micróbio fascista no pântano da crise, consideramos que é muito importante que estas mensagens cheguem aos bairros da cidade e não só ao centro. Já que despertam a memória coletiva dos habitantes da ilha e o nosso dever histórico de lutar contra o fascismo. Read the rest of this entry »

Texto da União Sindical Libertária de Ioannina sobre a repressão de uma manifestação realizada há uns dias na cidade, por ocasião da celebração de um evento nacionalista.

Em 21 de fevereiro, no aniversário da “liberação” de Ioannina, aconteceu uma concentração de antifascistas no centro da cidade, no lugar em que estavam reunidos vários figurôes locais, deputados do partido governista (Syriza) e o deputado neonazi do Aurora Dourora Christos Pappás, para prestar homenagem frente um monumento. A presença de todos estes em comum reflete da maneira mais clara a invenção ideológica da “unidade nacional” que estão edificando. É uma invenção ideológica dirigida contra os interesses da classe obreira, contra os oprimidos. A manifestação combativa que ocorreu, expressou a raiva de todos os que não consentem a presença dos fascistas, dos que não se submetem, aceitando a invenção ideológica da liberação nacional, dos que experimentam as consequências do capitalismo. É claro que o temor do Poder a tais ações é óbvio. O Poder contesta apenas com violência, como aconteceu neste caso.

Dezenas de policiais, muitos dos quais à paisana, avançaram contra os manifestantes e detiveram preventivamente a seis pessoas, quatro das quais foram detidas. Um dos detidos foi gravemente ferido e conduzido ao hospital duas horas depois de sua detenção! Tão ansiosos estavam os policiais e tão profundo é o medo que eles têm dos lutadores, que não lhe tiraram as algemas ao ferido nem sequer ao estar deitado na maca. Nesta cidade há descendentes dos colaboradores dos nazis, uniformizados ou não. Eles foram os que celebraram a “liberação”, eles são os que defenderam a celebração de sua festa, com ou sem cassetetes dobráveis. Read the rest of this entry »

Segue o comunicado emitido pelo grupo que faz uns dias deu uma surra em uns seguranças no centro de Atenas.

A militarização do espaço público como aplicação do dogma da segurança em condições de crise capitalista, é uma das estratégias de desenvolvimento fundamentais da repressão estatal. O setor da segurança é, na melhor das hipóteses, o único que está em desenvolvimento dentro da crise, enquanto que o empobrecimento, o desemprego e a indigência, são via única para uma boa parte da sociedade.

Os ricos, os negócios lucrativos que exploram o potencial do trabalho (Plaisio, joalherias no centro de Atenas) e os bancos, estão se fortalecendo, colocando portas de segurança, câmeras de vigilância e seguranças valentões. Tudo isto serve para vigiar os trabalhadores e o espaço público, e para assegurar o lucro das empresas capitalistas.

Assim pois, na esquina das ruas Panepistimíu e Benaki faz tempo que apareceu um grupo de seguranças, o qual patrulha pelo espaço público com o pretexto da vigilância dos negócios comerciais altamente lucrativos. A ação de dito grupo, cujos membros patrulham pelas ruas da metrópole como uns mercenários paraestatais, se complementa com incidentes de desalojo e repressão de grupos marginalizados (drogaditos, pessoas sem teto). Read the rest of this entry »

Hoje, 14 de fevereiro de 2017, começou em um tribunal de Atenas o julgamento do partido neonazista Aurora Dourada. O julgamento tem que ver com vários casos associados com agressões de batalhões de assalto desta gangue. O início do julgamento foi marcado com uma carga policial contra os antifascistas que se encontravam dentro da sala do tribunal.

Na verdade, a primeira testemunha que foi chamada a testemunhar declarou que não ia fazê-lo se não assistissem ao julgamento os antifascistas, que a Polícia havia proibido ilegalmente a entrada na sala do tribunal. Em contrapartida, a Polícia permitiu a entrada de todos os fascistas membros do Aurora Dourada que a haviam solicitado. Entre eles havia várias escórias acusadas de ter participado em agressões realizadas pelos batalhões de assalto neonazistas da cidade de Pireo.

O depoimento da primeira testemunha foi sucedido por um intercâmbio de lemas entre os neonazis e os antifascistas que conseguiram entrar na sala dos julgamentos na qual se realizava o juízo. Naquele momento os dois grupos estavam separados por policiais das chamadas forças antidistúrbios. Ao mesmo tempo, outro esquadrão da mesma equipe de policiais entrou na sala pela porta mais próxima aos antifascistas, os rodeou e se pôs a golpeá-los com raiva. A carga policial foi recebida com aplausos e consignas pelos neonazistas, que, não obstante, se viram forçados mais tarde a sair da sala, quando ela foi evacuada. Read the rest of this entry »

Patras, 10 de dezembro de 2016: Anarquistas realizam concentração antifascista para anular evento neonaziA seguir, texto informativo do grupo anarquista de Patras Disinios Ippos (Cavalo Indomável) sobre a realização da concentração antifascista na cidade com o fito de anular um evento do partido neonazi Aurora Dourada.

No sábado, 10 de Dezembro de 2016, os nazistas do Aurora Dourada, desaparecidos da cidade de Patras nos últimos anos, trataram de realizar as escondidas um evento em seus escritórios com a presença do eurodeputado Epiditios, sem haver emitido nenhum comunicado relativo à realização do evento anteriormente. E isso porque na última vez que emitiram um comunicado antecipado, não conseguiram se aproximar de seus escritórios (ao mesmo tempo em que uns 2-3 deles ficaram presos em tais escritórios por várias horas), já que se realizou uma concentração antifascista em suas portas.

Assim que nos demos conta da concentração dos fascistas optamos por marchar até os escritórios do Aurora Dourada com a intenção de impedir a realização de seu evento. Quando nos aproximamos, um esquadrão das chamadas forças antidistúrbios nos bloqueou o caminho, protegendo mais uma vez os nazis assassinos. Alinhamos-nos diante dos policiais, gritando palavras de ordem e deixando claro que os fascistas são indesejados na cidade. Quase uma hora mais tarde, os fascistas saíram dos escritórios também sob a proteção dos policiais. Read the rest of this entry »

Em 20 de novembro a Rede Antifascista Combativa de Quios realizou um ataque contra a sede do partido fascista Aurora Dourada na ilha de Quios. A seguir, o breve comunicado emitido pela Rede sobre a ação.

Em 20 de novembro de 2016, às 3h30 da madrugada de domingo, arrombamos a porta da sede do Aurora Dourada na ilha de Quios, e destruímos o que encontramos em seu interior: Documentos e material político, enquanto recolhemos informações sobre todos os fascistas da ilha. Além disso, deixamos claro que, infelizmente, não encontramos e não levamos nem um único euro, como foi dito.

Chamamos a todos os refugiados e nativos oprimidos a assumir a responsabilidade política e histórica que lhe corresponde, e a atacar os fascistas, qualquer que seja o manto sob o qual se apresentam para a sociedade.

Nós continuaremos até a completa eliminação da mínima ameaça fascista em todos os cantos da Grécia. Read the rest of this entry »

Komotini, 6 de novembro de 2016: Manifestação antifascista motivada pela inauguração da sede do Aurora DouradaKomotini, 6 de novembro de 2016: Manifestação antifascista motivada pela inauguração da sede do Aurora DouradaKomotini, 6 de novembro de 2016: Manifestação antifascista motivada pela inauguração da sede do Aurora DouradaKomotini, 6 de novembro de 2016: Manifestação antifascista motivada pela inauguração da sede do Aurora Dourada
O texto a seguir foi baseado em dois textos informativos, um do coletivo pelo anarquismo social “Negro e Vermelho” e outro do Movimento Antiautoritário de Komotini, sobre uma manifestação antifascista realizada em 6 de novembro de 2016 nesta cidade, motivada pela inauguração da sede do partido neonazista Aurora Dourada, assim como o texto que acompanha o vídeo (publicado por esse último coletivo) que linkamos ao final deste post.

A manifestação antifascista na praça de Komotini, contra um evento programado do Aurora Dourada, no qual falou o deputado Lagós, foi realizada com êxito. Desde a manhã do dia 6 de novembro uns 150 antifascistas haviam bloqueado o acesso à sede dos fascistas, que só conseguiram acessá-la quando a Polícia intercedeu contra a manifestação antifascista. Apesar das reiteradas tentativas da Polícia de dissolver a manifestação, os antifascistas permaneceram durante nove horas na praça, desde a manhã até o fim da manifestação (21h15), e não deixaram de gritar palavras de ordem.

Uns 15-20 fascistas conseguiram acessar sua sede, no quarto andar de um edifício, e não se atreveram a sair de lá, mesmo estando protegidos por quatro divisões policiais. O bloco dos manifestantes permaneceu massivo e combativo até o fim da manifestação. Em seguida, se retirou realizando uma marcha pelo centro da cidade. Read the rest of this entry »

Concentração em frente ao hotel que abrigou evento fascistaConcentração em frente ao hotel que abrigou evento fascista
Neste sábado, 5 de novembro de 2016, aconteceu uma concentração em frente ao hotel Stratos Vassilikos, perto do centro de Atenas. Recentemente, os proprietários deste hotel concederam aos neonazistas do [partido] Aurora Dourada uma sala do hotel e várias facilidades para a realização de um evento fascista. Publicamos esta notícia afirmando o óbvio: o fascismo não se limita ao Aurora Dourada, e que há muitos bolsos manchados de sangue, mesmo que não tenham recebido dinheiro do Aurora Dourada.

Como citado no curto texto informativo da “Organização de Antifascismo Combativo” sobre a concentração, “os proprietários deste hotel optaram por encher seus bolsos com dinheiro manchado com o sangue de Pavlos Fyssas, de Lukmán, de imigrantes e de antifascistas. O movimento antifascista castiga aos políticos e empresários que optam por colaborar com os fascistas do Aurora Dourada”.

As frases inscritas nas faixas das fotos são: “Forca para os fascistas” e “O hotel Stratos Vassilikos apoia fascistas”.

Tradução: Agência de Notícias Anarquistas.

O texto em castelhano.

Texto da Assembleia de anarquistas-comunistas pelo contra-ataque de classe contra a União Europeia, publicado em sua página web.

No sábado 8 de outubro o bando de nazis interconectados com o Corpo Nacional de Espionagem Aurora Dourada inaugurou seus escritórios”sindicais” no bairro de Pangrati. Após uma iniciativa de companheiros e companheiras dos bairros vizinhos foi convocada uma manifestação antifascista na mesma hora (que o evento fascista), com o fim de anular a festinha fascista. Ao chamado responderam coletividades do âmbito anarquista e antiautoritário, sindicatos de base, organizações esquerdistas e antirracistas, individualidades, assim como habitantes dos bairros vizinhos. Mais de 1.000 antifascistas se manifestaram para não deixar nem um centímetro quadrado de terra aos esbirros do Capital, e para impedir com sua presença a difusão do veneno fascista.

Como Assembleia de anarquistas-comunistas pelo contra-ataque de classe contra a União Europeia, optamos por participar na informação sobre as características da mobilização, reforçando ao mesmo tempo com nossa participação sua salvaguarda da violência policial e as provocações fascistas. Durante a marcha, ao chegar a duas maçãs (quadras) antes do cordão policial, um grupo de poucas pessoas, as quais marchavam encapuçadas pela calçada, em paralelo à marcha (apesar de que os organizadores e a salvaguarda lhes pedissem que se incorporassem à marcha), começou a armar-se quebrando pedras. Read the rest of this entry »

Há uns dias no bairro de Pangrati, em Atenas, aconteceu uma manifestação antifascista com o fim de anular a inauguração dos escritórios do partido neonazi Aurora Dourada neste bairro. A maioria dos manifestantes eram anarquistas, no entanto, não faltaram os blocos esquerdistas. A marcha não chegou aos escritórios dos fascistas por causa das forças policiais alinhadas em suas zonas adjacentes, entretanto, bloqueou o acesso a elas durante muitas horas. O resultado deste bloqueio foi que o evento fascista aconteceu com a presença de uns poucos antropoides isolados em uma rua e rodeados por centenas de policiais.

Durante a manifestação não faltaram os conflitos entre a salvaguarda da manifestação constituída por membros de vários coletivos anarquistas, e uma quadrilha que atuou (como sempre) à margem da manifestação de maneira contrária às decisões tomadas em (pela) assembleia que havia convocado a manifestação, sobre o seu caráter. É a enésima vez que algo semelhante acontece. Em um prefácio nosso publicado há seis meses explicamos porque já não publicamos notícias sobre incidentes provocados por tais quadrilhas.

A seguir, publicamos uns comentários sobre o ocorrido à margem dessa manifestação, quando os membros da custódia reagiram à tentativa desta quadrilha de atuar de uma maneira arbitrária e alterando o caráter da manifestação, o qual havia sido determinado em uma assembleia com processos horizontais uns dias antes. Consideramos que esta reação à atitude arbitrária e perigosa de dita quadrilha, assim como seu rechaço em um debate público na Internet, foram mais importantes que a própria manifestação. Por isso, publicamos aqui alguns comentários sobre este tema, publicados em um debate em Atenas Indymedia. Read the rest of this entry »

Arquivo