Segue o cartaz-chamado do Encontro Autônomo de Luta à uma serie de eventos contra o desvio do rio Aqueloo, começando por uma manifestação em 4 de junho de 2017.

Contra o saque da natureza, luta por terra e liberdade

Contra as políticas antissociais de saque do meio ambiente, nas quais está incluído o término e funcionamento de centrais hidrelétricas, sua privatização e a aniquilação do povoado de Mesojora e do fluxo do alto Aqueloo

Contra os planos do Estado e do Capital de concentrar e mercantilizar os recursos aquáticos e naturais em geral, de controlar e de manipular às sociedades e suas necessidades

Contra as represas e o desvio (do rio Aqueloo). Vitória para o rio Aqueloo! Que viva Mesojora! Que se desmonte a represa!

Domingo 4 de junho de 2017: Concentração e marcha à represa de Mesojora: Mesojora, província de Tríkala.

9-14 de agosto de 2017: Encontro Autônomo de Luta em Aqueloo: Acampamento nas margens do rio Aqueloo, Mesojora, província de Tríkala.

13 de agosto de 2017: Marcha à represa de Mesojora.

11-12 de agosto de 2017: Atividades na praça do povoado. Read the rest of this entry »

Segue o boletim informativo da coletividade pelo anarquismo social “Νegro e Vermelho” sobre uma concentração realizada do lado de fora do consulado da Turquia em Tessalônica, em solidariedade com os lutadores no território do Estado turco.

Durante os últimos anos a campanha repressiva do Estado turco se manifesta com operações militares nas regiões curdas, com perseguições massivas e com ataques assassinos contra movimentos de resistência e organizações revolucionárias. Ultimamente esta campanha está se agudizando, sobretudo depois do golpe de Estado frustrado de julho passado e a extensão do estado de emergência. Nos solidarizamos com todos os que estão lutando na Turquia contra o totalitarismo estatal, mantendo vivo o sonho por um mundo de igualdade, solidariedade e liberdade.

Em 11 de março dois docentes começaram uma greve de fome em Ankara, pedindo sua recontratação e o fim do estado de emergência. Ambos já estão no cárcere. Desde 23 de fevereiro um pai de 70 anos, cujos filhos foram assassinados pelo Regime, começa uma greve de fome, pedindo ao Estado turco que lhe entreguem os cadáveres de seus filhos mortos lutadores. Em 24 de maio, três meses depois do início da greve de fome, com sua luta conseguiu o que estava demandando. Read the rest of this entry »

Informação sobre a greve dos entregadoresInformação sobre a greve dos entregadoresInformação sobre a greve dos entregadores
O 25 de maio foi um dia de greve no setor dos entregadores. A greve veio depois de uma série de acidentes (alguns deles mortais) que sofreram vários entregadores em Atenas. As demandas dos entregadores em greve são as seguintes: A moto usada tem que ser da empresa que contrata o trabalhador, a empresa tem de fornecer meios de segurança, o trabalho dos entregadores deve ser incluído nos serviços insalubres e perigosos, e o setor dos entregadores de todos os tipos deve ser considerado unitário.

Desde às 7h30 começaram as concentrações do lado de fora dos escritórios de seis empresas de correio e transporte expresso. O proprietário uma delas (ACS Courier) é o presidente da Associação de Empresários da Grécia. Durante a concentração realizada do lado de fora de uma loja desta empresa, um dos esbirros do proprietário insultou e ameaçou os grevistas, que permaneceram calmos.

Depois de concluídas as concentrações matinais, os manifestantes grevistas se dirigiram para o Campo de Marte, no centro de Atenas, onde aconteceu uma manifestação combativa, com a participação de centenas de grevistas e solidários com sua luta. A manifestação foi sucedida por uma marcha motorizada pelo centro de Atenas (vídeo). Na tarde do mesmo dia aconteceram mais concentrações-piquetes em frente dos escritórios de mais empresas do setor de entregadores. Read the rest of this entry »

Texto publicado no site toperiodiko.gr.

A Fiscalização do Trabalhou realizou 103 inspeções em várias lojas da rede de cafeterias Mikel em todo o país e detectou 53 infrações laborais (três relacionadas a trabalho clandestino, 35 nas quais os postos de trabalho não correspondiam a segurança social do trabalhador, e outras 15 sobre várias cláusulas da legislação laboral), impondo as relativas sanções.

Os casos de arbitrariedade pela patronal são numerosos e escondidos muito frequentemente. As multas e reclamos contra esta rede (que já perdura alguns tantos dias) não desanimou em nada os proprietários da empresa, a qual, obviamente, não lhe importa o custo das multas, dado que seus benefícios as superam. Parece que nenhum consumidor dessa rede está interessado em seu passado obscuro, seja por não conhecer a situação (quase nunca saiu nos grandes canais de TV alguma reportagem sobre o tema, e acreditamos que esse feito não é fortuito), ou optam por fazer vista grossa, supondo que isso não lhes diz respeito diretamente.

Todavia, deveria lhe interessar essa questão, pois poderia ser um amigo, filho ou irmão seu o trabalhador de 22 anos que faleceu em 9 de março de 2017 depois de sofrer um acidente e estar hospitalizado por sete dias. Segundo os sindicatos, o acidente foi devido a intensificação excessiva do trabalho e a insuportável pressão que recebem os trabalhadores na referida rede. Read the rest of this entry »

Ilion, Atenas, 21 de maio de 2017: Manifestação contra os fascistas e os seus amiguitos policiaisIlion, Atenas, 21 de maio de 2017: Manifestação contra os fascistas e os seus amiguitos policiaisIlion, Atenas, 21 de maio de 2017: Manifestação contra os fascistas e os seus amiguitos policiaisIlion, Atenas, 21 de maio de 2017: Manifestação contra os fascistas e os seus amiguitos policiais
No domingo 21 de maio de 2017 realizou-se uma manifestação antifascista no bairro de Ilion, na periferia de Atenas. Participaram na manifestação cerca de 100 pessoas, nativos e imigrantes. Esta, realizou-se em solidariedade com o imigrante que uns dias antes, em 22 de abril, sofreu um ataque por parte de um grupo antifascista, mas também contra os fascistas e os seus colaboradores policiais.

Durante a manifestação ouviram-se gritos e picharam-se frases contra os fascistas e os seus amiguitos policiais. Também, foi distribuído um texto sobre o ataque contra o imigrante, o qual foi silenciado tanto pelos policiais como pelos meios de desinformação. Apesar de a polícia estar informada sobre a presença de um grupo antifascista no bairro, não fez absolutamente nada, nem antes e nem depois do ataque ao imigrante. Os policiais nem apareceram no local, nem mesmo quando um dos amigos do imigrante, após ter sido agredido se ter deslocado à delegacia e, relatado que o seu amigo estava gravemente ferido.

Quando os manifestantes passaram nas proximidades da delegacia local gritaram e picharam frases sobre o papel que exerce a polícia e a interligação que existe entre os agentes e os bandos fascistas. Alguns dos lemas e frases: “Os bairros são zonas de resistência e solidariedade. Combatendo o Estado, os patrões e os fascistas”, “Agentes e fascistas: O mesmo negócio”, “Agentes, televisão, neonazis: Todos os patifes trabalham juntos”. Read the rest of this entry »

Mobilizações em protesto contra os "acidentes de trabalho" mortais de entregadoresMobilizações em protesto contra os "acidentes de trabalho" mortais de entregadoresMobilizações em protesto contra os "acidentes de trabalho" mortais de entregadores
Durante os últimos tempos os entregadores de Atenas e de vários coletivos auto-organizados estão realizando mobilizações por causa das mortes-assassinatos de vários trabalhadores neste setor durante o seu trabalho. Notamos que os sindicatos amarelos e os partidos não convocaram qualquer mobilização visibilizando este problema, e os meios de desinformação e lavagem cerebral silenciaram completamente as mortes e mobilizações.

Na quinta-feira, 18 de maio de 2017, foi realizada uma marcha motorizada pelas ruas de vários bairros de Piraeus, em protesto contra os chamados “acidentes de trabalho”, especificamente pelos acidentes-assassinatos de entregadores (fotos). A marcha foi chamada por vários coletivos anarquistas, antiautoritários e trabalhadores destes bairros e por uma Assembleia de bairro. Na marcha participaram também membros da Assembleia de Base de Trabalhadores Motorizados. Foram desfraldadas faixas, feitas pichações e gritadas palavras de ordem, espalhados e distribuídos folhetos em pontos de ônibus e praças onde os manifestantes pararam para informar as pessoas. Também foram distribuídos folhetos aos entregadores que naquele momento estavam trabalhando.

Em 25 de maio a Assembleia de Base de Trabalhadores Motorizados convocou uma greve de trabalhadores neste setor. No cartaz da Assembleia se pode ler algumas das demandas da Assembleia: A moto usada tem que ser da empresa que contrata o trabalhador, a empresa tem de fornecer meios de segurança, o trabalho dos entregadores deve ser incluído nos serviços insalubres e perigosos, e o setor dos entregadores de todos os tipos deve ser considerado unitário. A concentração será às 10h, no Campo de Marte, Atenas. Read the rest of this entry »

Texto da Assembleia aberta em solidariedade com os acusados por defenderem o caráter público da água e sobre o julgamento de um dos lutadores contra a privatização das águas do monte Pelión e da província de Magnesia. O título do texto em grego é “A água não é futebol, jogo de azar e lucro”.

A ofensiva que as populações locais estão recebendo por parte da autoridade municipal, cujo fim é a repressão e o silenciamento do movimento de defesa da água pública, culmina-se com o julgamento do agricultor lutador, membro do movimento pelas águas de Volos e do Monte Pelión. No dia 13 de março de 2015 centenas de moradores de Pelión e da cidade de Volos reuniram-se na frente do edifício da Empresa Municipal de Águas da cidade de Volos, com o fim de assistir ao debate da direção da empresa sobre o regulamento do uso e da distribuição da água de irrigação. O debate dirigia-se aos agricultores, que se veem forçados a abandonar os seus povos e terras, devido aos preços exorbitantes da água de irrigação, a deterioração da qualidade da água potável devido à cloração e a tentativa de privatizar a água de irrigação.

Beos, prefeito de Volos naquela altura, bloqueou a entrada do edifício com um cordão policial. Os policiais estavam plenamente equipados, e ao seu lado estavam alinhados os guardas de segurança e os “valentões”. Beos demonstrou que a sua intenção era aplicar de maneira fascista as decisões que se concluíssem no debate. Os manifestantes ao tentarem romper o cordão policial, puseram a sua integridade física em perigo e, alguns até se lesionaram. Um dos manifestantes quebrou uma costela ao receber um ataque coordenado e foi levado ao hospital. O lugar da concentração parecia um campo de batalha. Read the rest of this entry »

Cartaz e comunicado do coletivo anarquista de Tessalônica “Negro e Vermelho”, publicados em sua página web.

O texto do cartaz:

“A humanidade deixou-se bastante tempo, muito tempo, governar e que a fonte dessas infelicidades não reside em tal ou qual forma de governo, mas no princípio e no próprio fato, qualquer que seja, do governo”.

Mikail Bakunin

Nenhum governo quer ou pode defender os interesses dos plebeus. Lutas sociais combativas, sem líderes, contra as planificações do Estado e do Capital.

Marcha de solidariedade e apoio à luta dos trabalhadores de Viomijanikí Metaleftikí, quinta-feira 11 de maio de 2017, às 18h, em Kamara.

Greve contra a votação do quarto memorando, o dia da greve geral, quarta-feira 17 de maio de2017, às 10h, em Kamara.

Coletividade pelo anarquismo social “Negro e Vermelho”, membro da Organização Política Anarquista/Federação de Coletividades

O texto do comunicado:

A votação que aprovou o quarto memorando intensifica a barbárie estatal e capitalista que os oprimidos estão sofrendo. A partir desta acepção notamos que a coalizão governamental, estando em plena concordância com sua trajetória e não surpreendendo a ninguém, reforça o aprofundamento da crise, cujas consequências afetam uma vez mais as classes sociais mais baixas, tornando insuportável seu cotidiano. Claro, esta ofensiva tem tantas interpretações e facetas como as pretensões dos soberanos. Read the rest of this entry »

A seguir, a programação da 4ª Feira do Livro Anarquista de Patras, como foi publicada no site da Feira.

Quinta-feira, 25 de maio

18h: Apresentação do livro “O mito bolchevique”, de Alexandre Berkman, edições Panoptikon.

20h: Evento-debate realizado por ocasião da publicação do livro “Anarquistas israelenses. A mobilização no confronto entre palestinos e israelenses”, edições Opportuna, com a presença do autor do livro e membro do grupo “Anarquistas Contra o Muro”, Uri Gordon.

22h: Noite de música, bar de apoio financeiro da Feira com canções de luta.

Sexta-feira, 26 de maio

18h: Apresentação do livro “Uma proposta libertária. História, evolução e prática”, por edições Stasei Ekpiptontes.

20h: Apresentação do livro “Antologia da revolução espanhola. Espanha vermelha e negra”, por edições Kaina Daimonia.

22h: Noite de música com canções rebetika, para o apoio financeiro da Feira. Read the rest of this entry »

A seguir, o texto do cartaz publicado no site do grupo anarquista de Patras Dissinios Ippos, chamando para uma concentração e marcha nesta cidade em 17 de maio, por ocasião da convocatória de um dia de greve geral pelos sindicatos amarelos.

Contra a barbárie estatal e capitalista

A ofensiva em todas as frentes iniciada pelo Estado e a patronal, bem como a constante imposição de novas condições penosas de exploração e opressão, refletem o processo de reestruturação violento do modo de organização da sociedade estatal e capitalista. A gestão política atual, estando em pleno acordo com as reivindicações do Capital local e internacional, com a política da União Europeia e dos governos anteriores, está implementando uma nova rodada de saques da sociedade, com condições ainda mais duras e penosas do que as últimas, uma vez que as medidas acordadas com o “fechamento de avaliação” são medidas de um novo memorando que vêm para destruir os escombros deixados pelos três memorandos anteriores.

Organização e luta pela revolução social, a anarquia e o comunismo libertário

Do nosso lado, o lado dos desempregados, dos trabalhadores, dos pobres, dos plebeus, queremos dizer que a história das lutas sociais e de classe nos mostra que os proletários não podem esperar nada das instituições, dos parlamentos, das eleições, dos líderes sindicais burocratas, dos comerciantes de esperanças e dos mediadores das lutas de classe. Qualquer vitória conquistada por eles será o resultado de suas lutas radicais e combativas, organizadas na base da sociedade. Read the rest of this entry »

Arquivo