Texto da okupa Terra Incognita, publicado em sua página web. Na faixa da foto, estendida no edifício da okupa, diz “Solidariedade com a okupa Termita. Tudo continua”.

Nas primeiras horas da madrugada da quinta-feira, 4 de janeiro de 2018, fortes forças policiais irrompem no recinto da okupa Termita em Volos e a desalojam, procedendo a quatro detenções. Justo depois do desalojo, os policiais, mediante uma empresa construtora, iniciam a demolição dos edifícios ocupados. Os okupas detidos foram deixados em liberdade. Seu julgamento será realizado em 11 de maio de 2018

A dar vida às casas vazias até dar alento a nossas vidas vazias. 

As okupas não são paredes mortas. São lutas viventes. São relações de vida e solidariedade. São nossos momentos de resistência em um entorno de canibalismo intensificado. São os gritos de liberdade dentro do silêncio da reclusão social. São o passado, o presente e o futuro da luta pela liberação social. Por isso, sempre foram os primeiros lugares a receber a repressão, independentemente de quem tenha o Poder.

Nenhuma ação repressiva contra as okupas será deixada sem resposta. Nenhum companheiro e nenhuma companheira estarão sós nas mãos da repressão.

Tradução: Agência de Notícias Anarquistas.

O texto em grego, castelhano.

Leave a Reply

*

Arquivo