A seguir, texto informativo do grupo anarquista Dissinios Ippos (Cavalo Indomável), publicado na sua página web.

Na sexta 28 e sábado 29 de abril de 2017 realizaram-se em Patras os eventos de dois dias pela anarquia e o comunismo libertário.

O nosso propósito é criar com a organização destes eventos mais um terreno para pôr em destaque a riqueza das ideias e práticas anarquistas, assim como as propostas, as posições e as lutas dos anarquistas por uma série de questões que regem a realidade política e social da nossa época.

Ao mesmo tempo, criamos por dois dias um ponto de referência fixo para a realização de uma intervenção anarquista no centro da cidade. Optamos por proporcionar a nossa cultura, a cultura libertária, contra a da Soberania. É uma cultura que se opõe a todas as lógicas autoritárias. A cultura libertária significa solidariedade, companheirismo, falta de especialistas, coletivização e auto-organização da expressão.

No primeiro dia realizou-se um evento-debate intitulado: “A destruição e o saque da natureza e da sociedade pelo Estado e o Capital. A concentração e mercantilização dos recursos aquáticos”. Foi um evento sobre a destruição e a pilhagem da natureza e da sociedade por parte do Estado e do Capital, e da tentativa de controlar a água, como elemento indispensável para a evolução da vida e consequentemente das sociedades humanas. Realizaram-se introduções pelo grupo anarquista de Corfú Cumulonimbus, sobre a intenção de privatizar indiretamente a água na cidade (de Corfú) e sobre o valor da água como um bem social em geral, pelo grupo anarquista Dissinios Ippos sobre a barragem Peiros-Parapeiros, e sobre as consequências que terá a sua construção para os ecossistemas fluviais e para as sociedades locais, assim como as obras de construção e os métodos utilizados pela empresa gestora (da barragem). Por último, companheiros de Atenas da Iniciativa da luta pela terra e a liberdade falaram sobre o caso das barragens e dos desvio do rio Aqueloo. A luta pela defesa do rio e das sociedades locais encontra-se num ponto crucial após as últimas declarações (do governo) e das pressões para que dê início o funcionamento da barragem hidroelétrica de Mesojora. Por isto, realizou-se um informe sobre a mobilização que se realizará na barragem, em Mesojora de Tríkala, em 4 de junho de 2017.

Na continuação houve a apresentação teatral “O ciclo das ações feitas em vão”, apresentada pelo grupo de teatro Peirama. A trama da obra diz respeito à vida de Napoleão Sukatzidis, um sindicalista comunista que foi executado em Kesarianí, Atenas, em 1º de maio de 1944.

No segundo dia ocorreu um evento-debate intitulado: “O mundo do Estado e do patronato em plena insolvência. A luta contra a Europa-fortaleza, a guerra e o totalitarismo moderno. Experiências de luta desde as frentes do antifascismo e da solidariedade com os refugiados”. As indroduções foram feitas pela Organização Política Anarquista e pelos coletivos que a compõem. Depois celebrou-se um concerto com os grupos Speira, Penthimos/Clown, Daisy Chain e Refpolk.

Nos dois dias dos eventos esteve funcionando uma livraria com livros sobre o movimento, material impresso e uma exposição de cartazes, organizada pelo grupo Dissinios Ippos e a Organização Política Anarquista.

Queremos agradecer de coração a todos os companheiros e companheiras que responderam ao nosso chamado para participar na organização deste evento, à Organização Política Anarquista, desde cujas fileiras lutamos diariamente nós também, ao grupo anarquista de Corfú Cumulonimbus, à Iniciativa de luta pela terra e a liberdade, aos grupos de música e aos grupos culturais que participaram no evento.

Organização e luta pela revolução social, a anarquia e o comunismo libertário.

Grupo anarquista Dissinios Ippos (Cavalo Indomável)

Fonte e mais fotos: https://ipposd.wordpress.com/.

Tradução: Agência de Notícias Anarquistas.

O texto em castelhano.

Leave a Reply

*

Arquivo