Movimentos sociais

Faz uns dias a Organização de Antifascismo Combativo realizou uma ação (intervenção) antifascista no bairro de Asprópyrgos, na área metropolitana de Atenas. A mobilização se realizou por causa de várias agressões fascistas contra imigrantes, realizadas em agosto passado. Segue o texto informativo da Organização, publicado em sua página web.

Em agosto vários trabalhadores imigrantes receberam uma série de agressões no bairro de Asprópyrgos, na redondeza de Atenas. Os imigrantes, estando indignados, denunciaram os incidentes na delegacia local, e uma hora mais tarde uns 10-15 esbirros dos patrões irromperam na casa de um imigrante e o lesionaram.

Por causa destes incidentes de violência racista recentes, ocorridos no bairro de Asprópyrgos, nos quais evidente e descaradamente colaboraram os policiais com os fascistas, mostrando uma vez mais seu verdadeiro rosto, realizamos uma intervenção (ação) antifascista em Asprópyrgos. Durante a ação se pintaram vários lemas antifascistas, se distribuíram milhares de folhetos.

Chegamos até a delegacia local, gritando lemas combativamente aos quatro policiais que estavam de turno naquele momento. Retrocedemos a marcha ao ver aproximando-se um esquadrão de policiais com capacetes, escudos, etc., e chegamos a praça na qual havia começado a marcha. Read the rest of this entry »

Em 1 e 2 de setembro de 2016, a coletividade de objectores de consciência ao serviço militar de Ioannina Xipólito Tagma (Pelotão Descalço) organizará o 6º Festival Antimilitarista. A seguir, o programa do Festival e uma breve informação sobre a organização anarco-comunista em Israel-Palestina Unity, e sobre o debate de 1 de setembro.

A guerra não é um jogo. O serviço militar não tem brincadeira. O uniforme não está na moda.

O programa do Festival:

Quinta-feira, 1 de setembro de 2016, às 20h, no Espaço Social Autogestionado: Evento-Debate: Militarismo e antimilitarismo na sociedade israelense. Introdução da Unity (Ahdut/Wihda), organização anarco-comunista em Israel-Palestina.

Sexta-feira, 2 de setembro de 2016, às 22h30, no teatro Scala: Concerto antimilitarista: Bombtrackers (tributo a RATM, Ioannina) / 2 Headed Dogs (heavy rock, Kanalaki) / Vocaλ (hip hop, Ioannina).

Algumas palavras sobre a Unity

Unity (Ahdut/Wihda) é uma organização anarco-comunista em Israel e nos territórios palestinos ocupados. Foi criada em 2010 e é a primeira organização anarco-comunista entre o rio Jordão e o Mediterrâneo.

Seu objetivo é combinar forças e reunir os esforços de todos os que buscam criar o comunismo libertário. Quer promover o processo revolucionário em que os conselhos democráticos, sindicatos, organizações, comunidades, organizações de estudantes, trabalhadores e professores, adotarão o princípio da autogestão, rechaçando o capitalismo e o Estado, e os substituindo por uma sociedade livre, organizada com base em comunidades comuns. Read the rest of this entry »

No dia 16 de agosto a Polícia grega desalojou o Centro Social No Border, instalado na praia de Kalamari, próximo a Mitilene, capital da ilha de Lesbos, que nasceu com o objetivo de oferecer ajuda aos imigrantes e refugiados necessitados mediante uma estrutura de auto-organização. O Centro Social No Border se instalou na praia após o recente desalojo do edifício em que estava instalado, situado ao lado da praia de Kalamari . Durante o desalojo não se realizaram detenções.

O edifício ocupado pelo Centro Social No Border e desalojado pela Polícia em 25 de julho, pertence juridicamente ao banco Alpha. No dia seguinte do primeiro desalojo aconteceu um protesto do lado de fora da agência deste banco em Mitilene.

As ameaças de desalojar o Centro Social pela segunda vez haviam começado no dia 4 de agosto, quando os policiais avisaram aos imigrantes e aos solidários que se encontravam na praia (depois do primeiro desalojo do edifício do Centro Social No Border) que tinham que se retirar e que lhes dariam um prazo de poucos dias para fazê-lo. As palavras que os pretorianos do Regime empregaram foram as seguintes: “Não precisamos da ajuda de vocês”… Read the rest of this entry »

Publicamos aqui a chamada para um Encontro Autônomo de Luta no rio Aqueloo, de 10 a 15 de agosto de 2016.

Contra o desenvolvimento “verde”, as represas e o desvio, o rio Aqueloo sairá vencedor.

Encontro Autônomo de Luta no rio Aqueloo, Mesojora de Trikala, de 10 a 15 de agosto de 2016.

Contra os planos do Estado e do Capital de centralizar e mercantilizar os recursos hídricos e naturais em geral, contra o controle e a manipulação das sociedades e das suas necessidades.

Contra o saque da natureza, luta pela terra e liberdade.

Acampada ao longo das margens do rio, intervenções, assembleias abertas, projeções de vídeos e exposições de materiais das lutas pelo meio ambiente, passeios pelo rio e caminhadas nas montanhas de Pindos.

Quinta-feira, 11 agosto, às 21h: Exibição do filme de animação para jovens e adultos: “Asterix e o Domínio dos Deuses”.

Sexta-feira, 12 agosto, às 21h: Exibição do documentário “Os agricultores de Laxa” (60 minutos), que aborda a luta vitoriosa dos habitantes das margens do Lago Mývatn na Islândia contra a construção de uma represa no rio Laxa.

Sábado, 13 de agosto, às 18h: peça de teatro para crianças, inspirada em contos indígenas sobre a natureza. Read the rest of this entry »

Cartaz-chamada para uma marcha em solidariedade com as três okupas reprimidas (três desalojadas, uma demolida) em 27 de julho em Tessalônica.

Atenas, Propileos da antiga Universidade, 3 de julho de 2016, às 19h: Marcha em solidariedade com as okupas, pelo motivo dos desalojos das três okupas em Tessalônica.

Em 27 de julho o Estado, em colaboração harmoniosa com as autoridades religiosas, municipais e universitárias, atacou e desalojou três okupas de solidários e imigrantes em Tessalônica. As respostas dos solidários foram diretas e agressivas, tanto na cidade onde se encontravam as okupas, como em outras cidades. Simultaneamente, em Atenas, o prefeito [George] Kaminis ameaça abertamente realizar novos desalojos.

As okupas são o desafio na prática da propriedade e do individualismo. São espaços onde as lutas coletivas se transformam em prática, e por esta razão estão na mira da repressão.

Nenhuma perseguição aos detidos dos desalojos e das ações de solidariedade.

Solidariedade na prática com as okupas.

Ocupação das propriedades (pertencentes) do Estado, do Capital e da Igreja.

Assembleia de mobilização extraordinária contra a repressão das okupas em Tessalônica

O texto em castelhano.

Como dissemos na convocatória política como Organização Política Anarquista: “No âmbito desse nosso direcionamento, nos dias de realização do No Border Camp em Tessalônica (15-24 de julho de 2016), convocamos a mobilizações e teremos a responsabilidade política pelo funcionamento de um espaço na faculdade da APT, um espaço de fermentações, discussões e manifestações, de participação e criação de ações”.

Hoje 24 de julho fechou o ciclo de discussões, manifestações e mobilizações que convocamos no âmbito do Encontro Luta Anarquista. No prédio ocupado da faculdade de Filosofia nos encontramos com companheiros da Grécia e da Europa, criou-se um encontro Balcânico (com participação de companheiros e companheiras da Romênia, Hungria, Croácia, Eslovênia, Bulgária, Grécia) no âmbito da qual foram trocadas experiências e identificados pontos comuns em nossas lutas contra o regime de exploração e submissão, contra o fascismo e o racismo.

No âmbito do ASA [encontro luta anarquista] acompanhamos com grande interesse a manifestação-apresentação da Federação Anarquista da Eslovênia (FAO), organizamos evento-discussão com o tema “O mundo do Estado e dos patrões em total falência. A luta contra a Europa-Fortaleza, a guerra e o totalitarismo contemporâneo”, participamos nas mobilizações nos campos de concentração ao redor de Tessalônica, nas intervenções nos campos de concentração em Paranesti, Drama e em Xanti, na manifestação massiva de Tessalônica e na manifestação contra o Muro no rio Evros. Read the rest of this entry »

No dia 27 de julho de 2016 a Polícia grega realizou três despejos de okupas na cidade de Tessalônica. Concretamente foram despejadas as okupas Orfanotrofío, Hurriya e a okupa da rua Nike. Esta última, há muito tempo, é um espaço ocupado para refugiados. Orfanotrófio é uma velha okupa já despejada pela Polícia e que fora reocupada ano passado, com o fito de dar abrigo a imigrantes e refugiados de uma maneira autogerida. A okupa Hurriya foi realizada faz apenas poucos dias no centro da cidade e com o mesmo propósito.

Na operação policial se realizaram cerca de 70 detenções e umas 30 retenções preventivas. Os imigrantes, refugiados e nativos que foram detidos foram transladados para a Direção Geral de Polícia de Tessalônica. Já os detidos na okupa da rua Nike (e a melhor das outras duas okupas) serão processados hoje, quinta-feira, 28 de julho, com o procedimento para delitos flagrantes.

A propósito, a okupa Orfanotrofio foi demolida logo depois de seu despejo. Sob os escombros foram enterrados centenas de medicamentos, alimentos, roupas e artigos de primeira necessidade, destinados para as famílias dos refugiados abrigados na okupa. Read the rest of this entry »

De acordo com a mais recente lei anti-trabalhista no domingo 17 de julho de 2016 os proprietários das lojas no centro de Atenas e em outras cidades poderiam abrir seus negócios. Ao mesmo tempo, nesse domingo mais uma greve foi chamada no setor de comércio. No centro de Atenas a Coordenação de ação contra a abolição do domingo como dia festivo e contra os horários comerciais “liberalizados” realizou mais uma ação no âmbito da greve.

No sábado, 16 de julho, cartazes foram colocados no centro de Atenas, panfletos distribuídos para os transeuntes e conversas estabelecidas com os trabalhadores nas lojas do centro. No domingo, 17 de julho, às 9h30, começaram os piquetes e os bloqueios em várias lojas, grandes e pequenas, localizadas na maior rua peatonal de Atenas (Ermú) e na praça principal da cidade (Syntagma). Às 10h30, na rua peatonal de Ermú, começou a manifestação convocada pela Coordenação. Às 13h30 começou a marcha por toda a zona peatonal, culminando na praça do bairro turístico de Monastiraki.

Durante a mobilização milhares de folhetos em grego e inglês foram distribuídos, e vários slogans gritados. Também, aconteceram conversas e discussões com os trabalhadores nas lojas. A atitude de muitos deles foi positiva, e alguns apoiaram a mobilização. Algumas das pessoas que tinham ido ao centro de Atenas para comprar algo ou pelo menos para ver as vitrines (dado que a sua situação econômica é muito ruim) tiveram uma atitude positiva com a mobilização, enquanto que outras se voltaram agressivas com os manifestantes. Read the rest of this entry »

Neste post publicamos o chamado para o No Border Camp de Tessalônica, que acontecerá de 15 a 24 de julho, no Campus Universitário, no centro da cidade.

Hoje em dia, com o neoliberalismo estabelecido em todo o planeta, é muito claro que as relações capitalistas estão intensificadas, junto com o nacionalismo e o patriarcado. Cercas e fronteiras são construídas não só no mundo físico, mas também entre as relações sociais. Contudo, os movimentos e as lutas transnacionais dos imigrantes estão constantemente produzindo novas rachaduras no sistema, novos limiares e caminhos que levam a um mundo inexplorado.

Mais especificamente, acordos transnacionais e globais mais a fundo apoiam mercados “livres” e o levantamento de restrições tarifárias e asseguram direitos de propriedade para os ricos. Ao mesmo tempo, o anterior contrato social do estado de bem-estar está sendo rompido, e o estado neoliberal está reivindicando o papel de sócio-diretor das companhias, mantendo somente para si mesmo o exército e a polícia para reter parte da sua força administrativa e legislativa. Opressão de gênero, racismo e fascismo estão sendo remobilizados para o controle das populações.

Não obstante, as lutas sociais em forma de agitações, rebeliões, campanhas e movimentos, antes e durante o processo desta crise “recente”, questionam seriamente tudo isto… Exemplos excelentes são as agitações nos banlieues franceses em novembro e dezembro de 2005, a comuna de Oaxaca em 2006, as agitações de dezembro de 2008 na Grécia, a muito difundida Primavera Árabe em 2011, o movimento “Occupy” nos Estados Unidos em 2011 e 2012, as revoltas no parque Gezi em Istambul em junho de 2013, os protestos no Brasil em 2013, as revoltas na Bósnia e outros estados Bálcãs durante os anos 2013-2014. Read the rest of this entry »

No sábado 2 de julho de 2016 a “Coordenadora de ação contra a abolição do domingo como dia festivo”, assim como várias coletividades, assembleias e iniciativas, participaram em uma ação contra as denominadas “Noites Brancas” no bairro ateniense de Marusi. Esse sábado foi o segundo consecutivo em que houveram tais mobilizações neste bairro.

Mais de 400 pessoas participaram nesta ação auto-organizada. A concentração começou às 18h na rua de pedestre mais central e comercial do bairro, e terminou por volta das 23h. Meia hora depois do começo da ação os manifestantes começaram os bloqueios de 19 lojas. Durante os bloqueios se distribuíram panfletos e se entabularam conversas tanto com os trabalhadores nas lojas quanto com as pessoas que passavam pelas ruas comerciais do bairro. As reações por parte dos donos das lojas e dos consumistas lobotomizados foram escassas. Depois dos bloqueios se realizou uma marcha pela zona comercial do bairro.

Entre as lojas bloqueadas, mencionamos as seguintes:

– A loja da Wind. Esta companhia telefônica foi uma das patrocinadoras principais da “Noite Branca”. No bloqueio participaram membros dos sindicatos dos trabalhadores na empresa, levantando uma faixa e informando às pessoas das verdadeiras condições de trabalho na Wind.

– As lojas das cadeias Hondos Center e Gallery De Beaute. Devido aos bloqueios, estas lojas fecharam às 20h e os trabalhadores se foram a descansar. Apontamos que os trabalhadores que se viram forçados a trabalhar até tarde da noite ou não cobraram nada pelas horas trabalhadas, ou no melhor dos casos cobraram as migalhas que cobra a
nova legislação trabalhista. Read the rest of this entry »

Arquivo