Mobilizações

Re-editamos o comunicado da União Sindical Libertária de Atenas sobre a luta dos trabalhadores do jornal AGR-Clarín (Argentina).

A União Sindical Libertária de Atenas saúda a luta dos trabalhadores da gráfica do jornal AGR-Clarín da Argentina, que está há muito tempo lutando (com ocupação de seu local de trabalho), pedindo a revogação das despedidas ocorridas.

Denunciamos a estratégia reacionária da patronal que imprime a revista dominical no Chile para esmagar a luta obreira. A comissão interna dos trabalhadores da AGR-Clarín enviou uma carta para as centrais sindicais do Chile e aos sindicatos dos gráficos e caminhoneiros deste país pedindo solidariedade e que não imprimam ou transportem nada para este jornal.

A luta dos trabalhadores gráficos do Clarín é parte da luta geral de todo o movimento trabalhador argentino contra as medida de ajuste econômico do governo Macri e dos ataques do empresariado argentino aos direitos dos trabalhadores. O próprio governo Macri ataca as conquistas obreiras e pretende retirar direitos e liberdades conquistadas com lutas. Uma amostra a mais da agressividade do governo está na intenção de oprimir e dissolver o hotel autogerido Bauen, de Buenos Aires. Read the rest of this entry »

Atenas, 8 de abril de 2017: Manifestação antifascista em resposta à agressão neonazi contra estudanteAtenas, 8 de abril de 2017: Manifestação antifascista em resposta à agressão neonazi contra estudanteAtenas, 8 de abril de 2017: Manifestação antifascista em resposta à agressão neonazi contra estudante
Segue o texto da Organização de Antifascismo Combativo sobre a manifestação antifascista realizada no sábado 8 de abril no bairro de Ampelokipi, próximo do centro de Atenas, por causa da agressão que havia realizado uns dias antes um batalhão de assalto neonazi contra um estudante universitário.

Em 8 de abril de 2017, pela manhã, milhares de lutadores se manifestaram no bairro de Ampelokipi contra a organização criminosa Aurora Dourada. Expressaram sua indignação pela surra dada por um batalhão de assalto fascista a um estudante, em 31 de março, e pela tentativa dos fascistas de semear o terrorismo no bairro.

Uma vez mais vimos a cara dura do fascismo. Enquanto estão desaparecidos durante os últimos tempos, tendo recebido uma série de golpes por parte dos antifascistas, não duvidaram em pôr no ponto de mira a um cidadão inocente, tratando de jogar o papel dos combativos, tanto como resposta às queixas que há em seu interior, como para mostrar seus “dentes” a nosso grupo político. Fracassaram uma vez mais, e se afundaram em sua inexistência.

Estão tratando de tirar partido do ambiente internacional que promove a extrema-Direita como uma alternativa à crise política e econômica a nível mundial. No entanto, na realidade política grega as coisas são diferentes. O movimento antifascista de classe não só não foi esmagado, senão que está reivindicando e está marcando vitórias. Anulou todas as tentativas do Aurora Dourada de aparecer na rua, e constantemente surgem oportunidades de seguir fazendo-o. Read the rest of this entry »

Desde 12 de abril de 2017 está em andamento na praça principal de Atenas (Syntagma) a greve de fome de curdos que vivem em Atenas, em solidariedade com os 13 presos políticos curdos que estão em greve de fome desde 15 de fevereiro. Além disso, outros 174 presos políticos nas prisões da Turquia estão em greve de fome em solidariedade com a luta deles. Neste sábado, 15 de abril, vai acontecer em Atenas uma marcha à embaixada turca. Publicamos esta notícia como mínima mostra de solidariedade com a luta dessas pessoas tão sofridas. A seguir, o breve comunicado do Centro Cultural do Curdistão (em Atenas).

Como vocês sabem, neste momento estão sendo realizadas greves de fome em muitas prisões turcas pelos direitos dos presos e os direitos humanos dos povos da Turquia e do Curdistão, assim como para conseguir o fim do isolamento ilegal que foi imposto ao líder do povo curdo Abdullah Öcalan.

Nós, em solidariedade e protesto contra o governo fascista de Erdogan realizaremos uma greve de fome e uma manifestação na praça Syntagma (praça principal de Atenas). De quarta-feira, 12 de abril, das 10h às 21h, e cada dia (até sábado, 15 de abril) os participantes da greve de fome, assim como os curdos e os democratas que vivem em Atenas, estarão na praça Syntagma. Read the rest of this entry »

Segue um breve texto informativo da União Sindical Libertária de Emacia (norte da Grécia) sobre uma concentração realizada faz uns dias do lado de fora da cafeteria Mikel em Berea, assim como o texto do folheto que se distribuiu durante a concentração.

Na quinta-feira 23 de março de 2017 realizamos uma intervenção do lado de fora da cafeteria Mikel no centro de Berea, por causa da morte do jovem de 22 anos que trabalhava nesta empresa. A morte aconteceu faz umas duas semanas enquanto o trabalhador estava trabalhando. Foram jogados folhetos, e distribuíram centenas de folhetos a clientes e transeuntes, e claro aos trabalhadores e as trabalhadoras que naquele momento se encontravam na cafeteria.

Segue o texto que se distribuiu:

Contra o terrorismo dos patrões. A fazer de novo o sindicalismo perigoso para os patrões

Uma vez mais as condições laborais miseráveis que prevalecem em todos os lugares de trabalho, e concretamente no setor dos entregadores, conduziram à morte do entregador de 22 anos que trabalhava na loja da cadeia de cafeterias Mikel, localizada no bairro de Colono, Atenas. O entregador foi lesionado gravemente enquanto estava trabalhando na quinta-feira 2 de março, e depois de estar muitos dias hospitalizado faleceu em 10 de março. Read the rest of this entry »

Tessalônica, 4 de abril de 2017: Manifestação em defesa das okupasTessalônica, 4 de abril de 2017: Manifestação em defesa das okupasTessalônica, 4 de abril de 2017: Manifestação em defesa das okupas
O seguinte texto da coletividade anarquista de Tessalônica “Negro e Vermelho”, é uma breve informação sobre a manifestação realizada na cidade em defesa das okupas.

Ontem (4 de abril) foi realizada a manifestação em defesa das okupas, da memória de classe e do antifascismo combativo, com a participação de uns 300 companheiros.

A concentração aconteceu às 18 horas em Kamara, onde se montou um sistema de megafone e foram lidos textos contra os ataques do Estado às okupas e a favor dos refugiados e dos imigrantes. Também, foi lido um comunicado sobre o caso de Mohamed A., cuja solicitação de asilo passará de novo à fase da resolução estes dias, assim como um comunicado sobre os assassinatos de trabalhadores na rede de cafés Mikel, nas obras do metrô de Tessalônica e na Speedex.

A manifestação estava auto-salvaguardada. Percorreu todo o centro da cidade. Durante a marcha vários lemas foram pichados e se repartiu material político anarquista. Antes da manifestação foram colados cartazes no centro da cidade, estudantes do secundário haviam pichado lemas em suas escolas, uma intervenção no concerto dos eventos antifascistas celebrados durante dois dias na velha Escola Politécnica, foi feito propaganda dela por megafone no evento em solidariedade com Mohamed A., enquanto que companheiros e companheiras haviam participado em uma intervenção (ação) na Universidade durante um evento contra as políticas antimigratórias. Read the rest of this entry »

Informação sobre a manifestação de 1º de abril contra as novas medidas nos transportes massivosInformação sobre a manifestação de 1º de abril contra as novas medidas nos transportes massivosInformação sobre a manifestação de 1º de abril contra as novas medidas nos transportes massivos
No sábado 1º de abril realizou-se no centro de Atenas uma manifestação contra as novas medidas nos meios de transporte massivos (formas de controle e de vigilância muito estritas, barras nos ônibus e no metrô, câmeras de vigilância no interior dos vagões, vigilantes especiais para os meios de transportes de massas, em colaboração com a Polícia, e sobretudo a medida do bilhete eletrônico, registrando os dados pessoais do passageiro e excluindo pessoas do uso dos meios de transportes de massas). Esta mobilização vem somar-se a uma série de manifestações, ações e sabotagens, em resposta à aprovação das medidas anteriormente citadas.

Na manifestação participaram umas 500 pessoas, numa cidade de 4,5 milhões de habitantes, cuja maioria usa diariamente ou várias vezes por semana os meios de transporte. Reparamos que os manifestantes encontraram-se com uns quantos consumistas lobotomizados, que defenderam a mercantilização dos bens sociais e o seu “direito democrático de pagar para usar os meios de transporte massivos”… A maioria dos participantes na manifestação eram anarquistas, antiautoritários, libertários e pessoas que pertencem a organizações e iniciativas contra o bilhete eletrônico e defendem o uso gratuito dos meios de transporte massivos. Notamos também que nenhum partido (parlamentário ou extra-parlamentário) convocou qualquer tipo de manifestação contra a mercantilizãoo dos meios de transporte e as (novas) formas de controle e vigilância.

A concentração realizou-se na praça de Monastiraki e foi sucedida por uma marcha à praça Maior (Sintagma) ao longo da rua de pedestre Ermú, a mais comercial de Antenas. Alguns dos lemas gritados foram os seguintes: “Nem barras de controle, nem revisores: Negamos pagar pelas nossas necessidades básicas”, “Para o transporte a solução é fácil: Uso gratuito dos meios de transporte massivos, e chute nos revisores” e ” Nem barras nem máquinas de validação, a crise tem que ser paga pelos patrões” (vídeo). Uma vez terminada a marcha, quebraram-se várias das novas máquinas de validação dos bilhetes, instaladas na estação de metrô de Omonia (vídeo). Read the rest of this entry »

Nesta postagem publicamos o comunicado da Associação de camareiros, cozinheiros e outros trabalhadores no setor de alimentação na Macedônia Central, relativo à recente morte de um trabalhador na rede de cafés Mikel, durante o trabalho. A primeira concentração em Tessalônica realizou-se no sábado 18 de março em frente da Mikel, no centro da cidade. Este mesmo dia o grupo anarquista de Patras também realizou uma intervenção numa cafeteria desta rede no centro de Patras, durante uma manifestação contra as fronteiras, a guerra e o totalitarismo moderno. A segunda realizou-se na sexta-feira, 24 de março, em Tessalônica, no mesmo local.

Em Mikel (e não apenas em Mikel) os patrões assassinam os trabalhadores. Não são acidentes, não tenhamos falsas ilusões

Na quinta-feira, 2 de março, ocorreu um “acidente” de trabalho em que se acrescentou apenas mais um morto à lista de obreiros falecidos. Um entregador da bem conhecida rede de cafés Mikel foi gravemente ferido enquanto estava trabalhando, e faleceu após estar quase uma semana hospitalizado. Apesar dos esforços para encobrir os verdadeiros motivos dos “acidentes”, nós defendemos que se trata de mais um assassinato.

Sim, trata-se de um assassinato. Ao mesmo tempo que a “crise” está se intensificando, como nos estão informando, também se intensifica a desvalorização e a exploração das nossas vidas. Somos obrigados, portanto, a sobreviver num setor totalmente fragmentado, o da alimentação, na qual as condições de trabalho estão regidas por temporalidade, precariedade, intensificação, agressões sexistas (etc.) e, por vezes acabam com as nossas vidas. Read the rest of this entry »

Informações sobre a manifestação de 18 de março em Patras contra as fronteiras, a guerra e o totalitarismo modernoInformações sobre a manifestação de 18 de março em Patras contra as fronteiras, a guerra e o totalitarismo modernoInformações sobre a manifestação de 18 de março em Patras contra as fronteiras, a guerra e o totalitarismo modernoInformações sobre a manifestação de 18 de março em Patras contra as fronteiras, a guerra e o totalitarismo modernoInformações sobre a manifestação de 18 de março em Patras contra as fronteiras, a guerra e o totalitarismo moderno
A seguir, o texto informativo do grupo anarquista “Disinios Ippos” (Cavalo Selvagem) sobre a manifestação, publicado em seu site.

No sábado, 18 de março de 2017, nos manifestamos contra as fronteiras, a guerra e o totalitarismo moderno. Os resultados desastrosos das cruzadas bélicas e da intensificação do saque da periferia capitalista, são a desarticulação de qualquer conceito de vida e existência social no Oriente Médio, onde a guerra arrasou as populações locais. Tudo isso fez com que milhões de homens desarraigados e desesperados tentassem fugir para a Europa por todos os meios possíveis.

Após um chamado do grupo anarquista “Disinios Ippos” (Cavalo Selvagem) e de outros companheiros, foi formado um bloco anarquista cuja faixa principal estava escrito o slogan “Contra as fronteiras, a guerra e o totalitarismo moderno. Solidariedade com os refugiados e os imigrantes”. No centro da cidade aproximadamente 400 pessoas se manifestaram. Na rua nos encontramos com alguns dos refugiados de Myrsini. Durante a marcha foram espalhados e distribuídos panfletos com o jornal “Terra e Liberdade”, da Organização Política Anarquista.

Quando a marcha passou pela loja Mikel na praça de Olga, realizamos uma intervenção, jogando tinta e espalhando panfletos, por ocasião da recente morte de um jovem de 22 anos, que trabalhava como entregador nesta empresa¹. Read the rest of this entry »

Publicamos aqui o chamado do grupo anarquista de Patras “Disinios Ippos” (Cavalo Selvagem) para uma marcha contra a Europa fortaleza.

Os resultados desastrosos das cruzadas bélicas e da intensificação do saque da periferia capitalista, são a desarticulação de qualquer conceito de vida e existência social no Oriente Médio, onde a guerra arrasou as povoações locais. Tudo isto tem como consequência que milhões de homens desarraigados e desesperados tratem de fugir para a Europa por todos os meios possíveis.

As políticas da Europa fortaleza estão literalmente traçadas sobre os corpos dos refugiados e dos imigrantes, que constituem as primeiras vítimas da ampliação constante dos meios de controle, repressão e reclusão do estado de emergência, simultaneamente com a intensificação da ofensiva contra os estratos sociais inferiores.

Hoje, que a faceta ultradireitista e fascista do totalitarismo moderno (a faceta mais extrema do complexo de exploração do Estado e do Capital) está se ampliando no marco da “Europa fortaleza”, o isolamento dos fascistas e o enfrentamento com eles em todo o campo social, ganha ainda mais importância. Read the rest of this entry »

Continua a luta contra as novas medidas nos meios de transportes de massas (formas de controle e de vigilância muito estritas, barras nos ônibus e no metrô, câmeras de vigilância no interior dos vagões, vigilantes especiais para os meios de transportes de massas, em colaboração com a Polícia, e sobretudo a medida do bilhete eletrônico (registrando os dados pessoais do passageiro e excluindo pessoas do uso dos meios de transportes de massas).

A Coordenadora de coletivos do centro de Atenas pelo uso gratuito dos meios de transportes de massas realizou duas ações antes da manifestação de sábado, 11 de março. Na quarta-feira, 1º de março, houve uma “intervenção” nos ônibus urbanos no centro de Atenas. Faixas foram penduradas e slogans pichados na parte externa dos ônibus. Na sequência, folhetos foram distribuídos em pontos de ônibus e trólebus, bem como dentro deles. Na quinta-feira, 2 de março, uma ação foi realizada na estação de metrô Vitória. Panfletos informativos sobre as novas medidas foram distribuídos no interior da estação e áreas circunvizinhas. Essas ações são uma continuação da manifes tação de 18 de fevereiro e das ações que a precederam.

No sábado, 11 de março, está marcada uma marcha pelo centro de Atenas contra as novas medidas e em favor da utilização gratuita dos meios de transportes de massas por todos e todas. A concentração será na praça Monastiraki, às 12h. Read the rest of this entry »

Arquivo