Ecologia

Nos próximos dois meses se realizarão ao menos sete julgamentos de dezenas de lutadores contra as minas de ouro em Calcídica. A seguir, uma breve informação sobre estes julgamentos, pedindo a difusão da notícia.

Em 12 de outubro de 2017 na cidade de Políguiros (Calcídica) se realizou o julgamento dos 23 detidos pelas forças repressivas durante a invasão das denominadas forças antidistúrbios dos povoados de Calcídica, em 7 de março de 2013. Aquele dia no povoado de Ierissós três mil pessoas estiveram lutando com grande valor e insistência contra as forças pretorianas do Regime. A fumaça dos muitíssimos gases lacrimogêneos disparados por elas cobriu durante várias horas o céu por cima dos povoados. Os policiais não duvidaram em disparar gases lacrimogêneos nos pátios das casas do povoado, até no interior do edifício da escola primária local.

Em 16 de outubro de 2017 na mesma cidade se realiza o julgamento de alguns dos mineiros valentões da empresa mineradora Elinikós Jrisós (Ouro Grego), marionete na Grécia da multinacional Eldorado Gold. Em 15 de março de 2013 uns trinta títeres da empresa irromperam no povoado Megali Panaguiá e se puseram a insultar e agredir os habitantes do povoado que se opõe à destruição do meio ambiente de sua província. Alguns deles não duvidaram em entrar em casas, pegar e maltratar as pessoas, e destruir seus pertences. Entre as pessoas agredidas estava um obreiro florestal. Notamos que os meios de desinformação burgueses que elogiam a propriedade privada, silenciaram totalmente estas agressões. Read the rest of this entry »

Faz uns dias os membros da okupa Terra Incognita realizaram uma série de intervenções em Tessalônica, em solidariedade com os processados da luta antimineração em Calcídica, e em geral com os lutadores contra as extrações e o chamado desenvolvimento verde. Em vários locais do centro da cidade se colaram cartazes, se distribuíram volantes e folhetos, cujo texto publicamos nesta postagem.

À destruição do meio ambiente contestamos de maneira coletiva e agressiva, contra o Estado e o Capital

Durante os últimos anos a zona de Skuriés (noroeste de Calcídica) constitui o campo da confrontação política e do enfrentamento entre dois mundos: o mundo do Estado e do Capital, da barbárie capitalista e da reestruturação social e de classe violenta, e o mundo da sociedade local e dos movimentos solidários que lutam contra as extrações.

A criação de umas minas de ouro em Calcídica (e em todas partes) é uma obra que antes sequer de começar a funcionar deixou detrás dela terra queimada. As obras feitas pela maquinaria da empresa, assim como todas as instalações necessárias para o início das extrações, já destruíram o meio ambiente e aniquilaram a vida selvagem. A destruição será maior quando começarem as extrações, cujos resultados desastrosos serão visíveis desde territórios que estão fora de Calcídica. Read the rest of this entry »

O seguinte texto foi publicado faz uns dias no Atenas Indymedia, por causa da chegada dos esbirros da empresa mineradora Eldorado Gold a Atenas com a finalidade de “protestar” pelo atraso nas obras de extração de ouro no noroeste de Calcídica. Não é a primeira vez que a empresa usa estes “mineiros” como trabalhadores desesperados em suas negociações com o governo. Além das questões abordadas no texto, para nós surgem outros dois temas: A falta (esta vez) de uma resposta adequada aos lacaios do Capital, a nível teórico e sobretudo na rua, e o estudo do fenômeno dos antropoides lobotomizados, dispostos a serem manipulados pelo Capital, e a destruir totalmente o meio ambiente em que vivem pelo lucro de seus amos e pelas migalhas que estes lhes vão jogar.

Hoje a empresa fecha sua fábrica em Skuriés. O exército da empresa desce a Atenas. Pedem que lhes concedam de imediato uma licença pela quarta vez. A discrepância principal entre os dois partidos e Eldorado Gold é a concessão ou não de uma licença de funcionamento de uma fábrica à empresa mineradora.

Mas recorremos à lógica. Imagino que (o canal televisivo) Sky não mostra as árvores cortadas. Em vez disso mostra imagens de seu arquivo de um ou dois anos. Um exemplo é esta turbina vermelha da fossa de resíduos que nos mostram até hoje em todas as fotos. Faz tempo que as fossas são duas. Também, ninguém diz que durante todo o verão a empresa esteve fazendo perfurações em Tsikara e em outros lugares. Temporariamente estas obras foram impedidas pelos poucos que seguem lutando até hoje, seja com concentrações de protesto nos locais em que se realizam estas perfurações, ou com a celebração durante dez dias de eventos antimineração na montanha, durante os quais algumas obras se suspenderam só por celebrar-se perto delas estes eventos. Read the rest of this entry »

Tessalônica: Intervenção do Movimento Antiautoritário do lado de fora do Consulado do Canadá contra Eldorado Gold e a extração de ouro em CalcídicaTessalônica: Intervenção do Movimento Antiautoritário do lado de fora do Consulado do Canadá contra Eldorado Gold e a extração de ouro em CalcídicaTessalônica: Intervenção do Movimento Antiautoritário do lado de fora do Consulado do Canadá contra Eldorado Gold e a extração de ouro em Calcídica
Na quinta-feira, 21 de setembro de 2017, o Movimento Antiautoritário de Tessalônica procedeu a uma intervenção do lado de fora do Consulado do Canadá em Tessalônica (aparentemente a empresa de mineração Eldorado Gold é canadense) contra Eldorado Gold e a extração de ouro em Calcídica. A intervenção foi realizada antes da realização, do lado de fora dos tribunais da cidade, de uma concentração em solidariedade com os processados pela luta antimineração em Calcídica. Queremos informar que nesse primeiro julgamento dos ativistas antimineração, todos os acusados foram absolvidos. A seguir, o comunicado do Movimento Antiautoritário.

É a terceira vez que Eldorado Gold suspende as obras (de extração de ouro) e joga o papel da tática, a fim de se converter no soberano absoluto das extrações desde Calcídica até Trácia. Com o pretexto da arbitragem (inventado pelo governo para dourar a pilula e tratar de convencer de que não tem nenhuma responsabilidade, dado que este governo não apenas concedeu várias licenças à empresa, senão que também durante seu mandato se iniciaram as perfurações e o bombeamento das águas residuais), Eldorado Gold parece que não está disposta a aceitar nenhuma regra que não seja a sua.

Vamos falar claro: Eldorado Gold é a nova Camorra do desenvolvimento e das intervenções. Desde que pisou seus pés em Calcídica, se interessou em fazer alianças mais rápido que destruir o meio ambiente. Não teve dificuldades em encontrar porta-vozes e lacaios, não apenas na sociedade local mas também nos centros do Poder. Esta frente midiática, empresarial, política e social dos “dispostos” saiu de novo à superfície para pôr em marcha a série dos favores mútuos e das chantagens: Alafuzos, Bóbolos, Mitsotakis, os sindicatos mineiros vendidos à patronal, e todas as fundações bem conhecidas e as pessoas favorecidas política e economicamente pela máfia do ouro já tomaram assento na orquestra da Eldorado Gold. Read the rest of this entry »

A seguir, publicamos o cartaz-chamado do Coletivo de anarquistas dos bairros orientais, de Tessalônica, para duas concentrações do lado de fora dos tribunais de Tessalônica, em solidariedade com aqueles acusados pela luta anti-mineração em Calcídica, cujos julgamentos ocorrerão em 21 de setembro de 2017.

Defendemos a natureza do saque do Capital

A luta contra a extração de ouro é um exemplo em que se vê claramente que as leis podem ser modificadas para servir os interesses do Capital. Isso é feito, por um lado, buscando formas de legalizar a empresa de mineração e, por outro lado, reprimindo uma das lutas mais combativas e multifacetadas dos últimos anos. Além da sua forma direta, presença da chamada polícia antidistúrbios em todos os lugares, disparo de gás lacrimogêneo dentro das escolas, incursões em casas, tiro de balas de borracha e substâncias químicas, a repressão se estruturou a nível jurídico.

No caso de Skuriés, luta anti-mineração em Calcídica, são mais de 450 ativistas acusados, muitas das acusações basearam-se na obtenção de material genético sem o consentimento dos acusados, em chamadas telefônicas interceptadas e no uso da lei 187 sobre organizações criminosas. Read the rest of this entry »

Texto e cartaz do Comitê de luta de Tessalônica contra a extração de ouro, publicado em sua página web por causa da realização de duas manifestações em Ierissós (Calcídica) e em Tessalônica, contra a extração de ouro em Calcídica.

Desde o momento em que Eldorado Gold ameaçou terminar seu “investimento” e sair da Grécia, o partido da oposição Nova Democracia e os meios de desinformação de massa iniciaram uma campanha de mentiras. Os jornalistas porta vozes da empresa mineradora reproduzem diariamente vários disparates, e dia após dia andam dizendo que vão aumentar os postos de trabalho e o dinheiro que se supõe que contribuirá a empresa para a economia.

Nós sabemos que após a palavra mágica “investimento” empregada como uma panaceia, se esconde um saque: Uma empresa que comprou os terrenos em Calcídica nos quais se pretende fazer a extração de ouro por umas migalhas, que está lucrando sem pagar impostos, que está destruindo o meio ambiente e os recursos naturais da região, que ameaça com conduzir ao desemprego a dezenas de milhares de trabalhadores nos setores da agricultura, da apicultura, da pesca, do turismo, da pecuária e em todos os trabalhos associados com estes setores, em Calcídica e em Tessalônica. Read the rest of this entry »

Nos dias 15 e 16 de setembro de 2017, o “Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água” organiza um festival na cidade de Stagiates, com projeções de filmes e documentários, debates e concertos. O tema do festival é a luta contra o saque e a mercantilização dos recursos naturais e da água em particular. Em alguns posts anteriores, você pode ler notícias sobre esta luta na província de Magnesia, especificamente no povoado de Monte Pelion, onde o Capital e as autoridades locais estão tentando cortar o acesso às fontes de água da montanha e de privatizar o abastecimento de água.

Resistências ao saque sem fronteiras: Projeções de documentários sobre os movimentos ambientais e sociais da América Latina. Debates com a participação de movimentos e coletividades da Grécia contra extrações, barragens, turbinas eólicas e privatização da água.

Sexta-feira, 15 de setembro de 2017, às 18 horas: Debateremos sobre a ofensiva do desenvolvimento “verde”. Participam os grupos Aqueloo-Mesojora SOS, Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água.

Sábado, 16 de setembro de 2017, às 20 horas: Debateremos sobre a criminalização das lutas das sociedades locais com a participação de representantes e solidários do movimento contra a extração de ouro em Calcídica, e com o Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água. Read the rest of this entry »

Este ano, no sábado 9 de setembro de 2017, acontecerá uma manifestação-marcha em Tessalônica, no marco da celebração anual por parte dos soberanos da Feira Internacional de Tessalônica. Neste post publicamos o cartaz-chamado dos Comitês de luta de Tessalônica e Calcídica contra a extração de ouro (em Calcídica) à manifestação.

Manifestação na Feira Internacional de Tessalônica, sábado 9 de setembro, às 18h. Ponto de concentração: Kamares.

Não a extração de ouro. Solidariedade com os ativistas (da luta anti-mineração) criminalizados.

Comitês de luta de Tessalônica e Calcídica contra a extração de ouro

Na faixa da foto se lê: Primeiro te ignoram, depois te enganam, em seguida fazem a guerra, após te derrotam. SOS Calcídica, Juventude contra a extração de ouro. Read the rest of this entry »

Texto publicado na página web apenantioxthi.com (a margem do outro lado) por causa dos incêndios recentes que arrasaram milhares de hectares de bosques em Ática (província de Atenas), na ilha de Zante e em vários lugares do território do Estado grego.

A imagem de um bosque ardendo dá calafrio, descontentamento, raiva. As causas de um incêndio, desde logo aparte das causas naturais, são conhecidas. Muitas vezes um bosque se converte em cinza por causa dos planos que tem o próprio Estado com o fim de satisfazer a necessidade de construção de estradas e de infraestruturas. O objetivo último é o grande lucro entre funcionários de alto escalão, dignatários políticos e acionistas de empresas construtoras.

Um incêndio pode ser provocado por alguma “pessoa sem consciência”, como se ouve a miúdo nos noticiários. Segundo eles, esta pessoa quis queimar o mato seco acumulado no pátio de sua casa, ou atirou uma ponta de cigarro pela janela de seu carro. Read the rest of this entry »

Contra o saque da natureza e da sociedade pelo Estado e o Capital

Depois da aprovação da lei sobre as condições meio ambientais (que regem o desvio do Aqueloo) em 2 de agosto de 2017, o funcionamento iminente da represa de Mesojora comprova o fato de que o desvio do rio Aqueloo constitui um tema político principal para os soberanos. Está integrado em um plano mais amplo de saque e venda da riqueza pública, e por sua vez tem sido o maior desejo do Sistema diacronicamente.

A destruição de Mesojora, assim como o saque e o controle da riqueza natural, avançarão sem nenhum consenso social, assim como os memorandos e a dominação do Capital em seus vários protetorados, como o Estado grego. Da mesma maneira está a represa em pé fazem quarenta anos: Com a repressão por parte do Estado. É uma repressão dirigida a qualquer pessoa lutadora. Por outro lado, (esta repressão) trata de silenciar, distorcer e tirar o significado das propostas coletivas que promovem a nível social a solidariedade e a resistência.

Qualquer que seja a conclusão das obras criminosas realizadas no alto fluxo do Aqueloo, a luta pela liberação social e as pessoas que se oporão a qualquer tentativa de funcionamento da represa (central hidrelétrica) sairão vencedores. A luta pela defesa da natureza e da sociedade continuará montando barricadas contra o desenvolvimento capitalista, em qualquer lugar que se manifeste a barbárie capitalista, até a derrocada total do Estado e do Capital. Read the rest of this entry »

Arquivo