Na terça-feira, 3 de junho de 2014, o Centro Social Okupado K*Vox recebeu um ataque com disparos de armas de fogo (fotos). A seguir publicamos o texto que foi publicado no Indymedia de Atenas após o ataque. Queremos acrescentar ao mencionado no comunicado de Vox, que segundo várias testemunhas, um pouco antes do ataque ao Vox, as mesmas pessoas dispararam contra a velha Escola Politécnica, situada a pouca distância do Vox. 

Publicamos esta informação sobre os disparos na velha Escola Politécnica, assinalando que ainda não está confirmada e verificada. Se é certo, e dado que este lugar é usado por muitos grupos, coletivos, iniciativas e projetos do movimento anarquista, antiautoritário e libertário, para realizar assembleias e palestras, é provável que os mafiosos quiseram enviar uma mensagem a todos estes movimentos e não só ao espaço Vox. Seja como for, a resposta é que nenhum ataque mafioso, estatal ou paraestatal, pode intimidar, aterrorizar o movimento anarquista e aos lutadores sociais.

Na terça-feira, 3 de junho de 2014, por volta das 2h30, umas pessoas desconhecidas dispararam pelo menos cinco vezes na entrada principal do Centro Social Okupado K*Vox. Duas das balas penetraram a porta de enrolar exterior e romperam a porta principal de cristal. Afortunadamente naquele momento não havia nenhum companheiro dentro da okupação.

Ultimamente o Centro Social Ocupado Vox, junto com vizinhos, coletivos e lutadores sociais do bairro, tomaram uma série de iniciativas para a realização de ações contra as máfias e o tráfico de drogas no bairro de Exarchia, o qual se faz com a tolerância e a cobertura da Polícia. Na quarta-feira, 28 de maio de 2014, realizou-se uma assembleia massiva com a participação de habitantes, trabalhadores e coletividades de Exarchia. Foi tomada a decisão de criar uma assembleia popular em Exarchia, e de realizar uma concentração e marcha na quinta-feira, 5 de junho de 2014, como início de um ciclo de ações contra as máfias e seus protetores estatais. Cremos que os disparos contra K*Vox dois dias antes desta concentração e marcha, constituem uma tentativa desesperada dos narcotraficantes de intimidar o movimento e a comunidade local. Estes, em colaboração com a Polícia, querem converter o bairro em um gueto.

Vale a pena mencionar que doze horas depois do ocorrido, temos recolhido os cacos do ataque que recebemos, assim como o que aconteceu em outros casos de conflitos armados entre mafiosos no bairro, quando os cacos os recolhiam os habitantes do bairro, já que a Polícia, que colabora com os ciclos mafiosos, nestas situações têm uma atitude de inércia provocadora.

K*Vox, desde o primeiro dia de sua existência, se opôs à aliança entre a Polícia e a máfia no bairro de Exarchia, e a transformação do bairro em um gueto. Muitas vezes, companheiros do espaço Vox se colocaram no ponto de mira da Polícia e das máfias, assim como, por uma grande parte dos meios de desinformação massivos. Ademais, não se passou muito tempo, desde que três companheiros do Vox foram citados pela Direção Geral da Polícia de Atenas, como suspeitos, tendo como único indício uma “chamada anônima” que os relacionava com uma intervenção anarquista em Exarchia contra o tráfico de drogas.

Como não conseguiram aterrorizar-nos com o cerco policial no edifício (abril de 2012), com os cercos a nossas casas (janeiro de 2014), as citações (abril de 2014) e as ameaças constantes contra nós, agora se valem das balas de uns pistoleiros covardes.

Nada do anteriormente citado pode aterrorizar o movimento.

Chamamos as pessoas lutadoras e solidárias à concentração e marcha, na praça de Exarchia, na quinta-feira, 5 de junho de 2014, às 18h.

Nenhum passo atrás!

O texto em grego, espanhol.

Tradução: Agência de Notícias Anarquistas.

Leave a Reply

*

Arquivo