Nesta postagem publicamos o chamado da Organização Política Anarquista a uma manifestação contra a visita do presidente turco à Grécia, o regime de emergência na Turquia, e em solidariedade com os lutadores contra a barbárie do atroz regime turco. O título do texto original em grego é “7 de dezembro: Manifestação contra a guerra, o fascismo e o regime de emergência”.

O convite ao presidente turco pelo Estado grego para ir à Grécia em 7 e 8 de dezembro constitui mais uma ação de legalização e reconhecimento do regime autoritário de Erdogan, que, depois do referendo recente, concentrou ainda mais poderes em suas mãos. Ao mesmo tempo, tentando consolidar seu poder, vai intensificando as operações militares fora das fronteiras do Estado turco e impondo um regime de emergência no interior da Turquia.

Durante os últimos anos, a campanha repressiva do Estado turco foi se manifestando com operações militares nas zonas dos curdos, com encarceramentos e perseguições massivas, e com ataques assassinos a movimentos de resistência e a organizações revolucionárias. Nesta medida, anarquistas, comunistas, jornalistas, artistas, ativistas e os que de qualquer maneira põem em dúvida o fato de que o Regime seja todo poderoso, são processados, torturados e encarcerados.

Além disso, no mesmo ambiente estão violando direitos fundamentais, são proibidas as manifestações e as concentrações, é suspenso o funcionamento de jornais, de emissoras de rádio e de canais televisivos, são aplicadas censura e bloqueios na Internet, partidos e organizações são qualificados como grupos terroristas, são realizadas batidas em casas de lutadores e ataques a espaços sociais políticos e sociais. A rede férrea do controle e a repressão que se estende em todos os campos da vida social no interior da Turquia se completa com a política do Estado turco na zona do Oriente Médio, a qual abarca operações de extermínio de comunidades curdas, intervenções militares do exército turco no norte da Síria e em outras zonas geográficas, colaborações oportunistas, no marco da OTAN, com a União Europeia, assim como com o próprio ISIS.

A atual gestão política do Syriza no marco dos acordos repressivos e “anti”terroristas dos dois Estados, segue sem cessar a colaboração estreita com os aparatos do Estado turco, com o fim de reprimir e aniquilar os lutadores curdos e turcos. Neste contexto, na terça-feira 28 de novembro de 2017, uns dias antes da visita de Erdogan, o Estado grego deteve, torturou, bateu e encarcerou nove lutadores, refugiados políticos da Turquia.

Contra a barbárie estatal e capitalista, contra o totalitarismo moderno, a única esperança dos oprimidos é sua conexão, para poder confrontar em comum a ofensiva que estão recebendo. Só através da chama das lutas e das resistências internacionais existe a possibilidade de satisfazer as necessidades sociais reais por uma sociedade livre e justa.

Liberação imediata dos nove lutadores, refugiados políticos da Turquia. Solidariedade com os que lutam contra o regime de emergência na Turquia. Contra a guerra, a indigência e o totalitarismo moderno, organização e lutas internacionalistas pela revolução social mundial, pela anarquia e o comunismo libertário.

Manifestação na quinta-feira 7 de dezembro de 2017, às 18 horas, nos Propileos da antiga Universidade de Atenas.

Coordenação local de Atenas – Organização Política Anarquista

Tradução: Agência de Notícias Anarquistas.

O texto em gregocastelhano.

Leave a Reply

*

Arquivo