A seguir, comunicado do grupo anarquista que realizou três ataques a supermercados da cadeia Market In em Atenas, em solidariedade com os trabalhadores deste grupo de empresas em Ioánnina, que estão há muitos meses sem receber o dinheiro de seus salários.

Como todos sabemos, durante os últimos tempos em Ioánnina há um clima de terrorismo. Nos referimos, claro, aos fatos associados com a cadeia de supermercados Market In, a qual comprou alguns dos supermercados da cadeia Karypidis (ex Arvanitidis).

Os trabalhadores em ditas lojas estão há mais de 25 meses sem receber e estão em estado de cativeiro, pois não estão certos de que vão manter seus postos de trabalho, nem de que vão receber seus salários. Um exemplo ilustrativo da situação em que estão os trabalhadores é o suicídio de uma trabalhadora de 42 anos em um supermercado desta cadeia na cidade de Giannitsá em 11 de julho de 2017. A trabalhadora estava há 15 meses sem receber e deu fim a sua vida, não aguentando mais esta situação.

A empresa que sucedeu a de Karypidis, ou seja o grupo Market In, cujo dono é Ramos, deseja (e com o apoio do Estado está conseguindo) ficar com a propriedade dos supermercados de Karypidis sem ficar com as obrigações pré-existentes à compra. Aparte da lei que protege os trabalhadores em caso de transferência de empresas, instalações, partes de empresas ou instalações (a qual por agora não se aplicou neste caso) em Ioánnina se observou alguns fatos que recordam outras épocas.

Brevemente mencionamos a carga [investida] do Estado e dos policiais contra uma concentração de trabalhadores em greve, realizada em 26 de outubro de 2017 fora de um supermercado de Market In. Três trabalhadores e três sindicalistas foram detidos dentro de suas casas no domingo 29 de outubro de 2017 após uma demanda que havia apresentado a empresa contra eles.Também, mencionamos a carga policial contra a concentração realizada fora de um supermercado da mesma cadeia em Ioánnina, em 29 de novembro de 2017, dia de greve. Esta carga acabou com doze detenções.

Depois das cargas do Estado coube ao para-estado jogar. Em 14 de dezembro de 2017, dia de greve geral, se utilizou um grupo de 15 valentões (muitos dos quais são membros do partido neonazi Aurora Dourada) para o ataque a um piquete. Este grupo das escórias para-estatais foi repelido com êxito pela salvaguarda do piquete. Na madrugada do dia seguinte, o Centro Sindical de Tendências Horizontais (em cujo edifício se albergam os escritórios da União Sindical Libertária de Ioánnina) recebeu um ataque com coquetéis molotov.

Como uma mínima mostra de solidariedade com os trabalhadores da cadeia e com os lutadores da União Sindical Libertária de Ioánnina optamos por atacar a três supermercados da cadeia Market In (em Atenas). Concretamente:

1.Atacamos com tintas aos supermercados de Nova Filadélfia e Neo Iraklio

2. Atacamos e causamos estragos ao supermercado de Galatsi (Grava).

A solidariedade é a arma dos obreiros. Guerra contra a guerra dos patrões.

Anarquistas dos bairros do noroeste

O texto em grego, castelhano.

Leave a Reply

*

Arquivo