Poucas horas atrás, um grupo de pessoas, membros do Encontro Autônomo de Luta contra o desvio do rio Aqueloo, ocupou a central hidrelétrica de Glystra, Tríkala, no fluxo alto do rio. Segue o primeiro comunicado da assembleia da ocupação.

Depois do 2 de agosto de 2017, data na qual o ministro de Meio Ambiente Famelos anunciou, como um Heróstrato moderno, a destruição definitiva do rio Aqueloo, depois da celebração de uma série de eventos políticos e culturais em Mesojora, e depois da realização da marcha da gente lutadora do povoado e de solidários contra a represa da Companhia de Eletricidade, no domingo 13 de agosto e na segunda 14 de agosto, às 15h00, uns membros do Encontro de Luta Autônomo, o qual tem mais de dez anos defendendo o rio e o povoado de sua destruição iminente, ocupamos a central hidrelétrica da Companhia de Eletricidade em Glystra.

O objetivo da ocupação é informar quanto seja possível, e despertar consciências sobre o fato silenciado de que aqui, no fluxo alto do rio Aqueloo, por um lado se está realizando uma destruição do meio ambiente e da sociedade local, através das obras técnicas faraônicas que estão construindo, e por outro lado desde faz muitos anos os habitantes da zona e solidários de todo o país conseguiram uma resistência de várias formas. Read the rest of this entry »

Segue o comunicado da Coordenadora de Ierissós contra a extração de ouro e cobre, emitido por causa do anúncio da empresa mineradora Eldorado Gold da celebração da inauguração de uma fábrica em Olimpiada, Calcídica, sem licença de funcionamento. Como se denuncia no texto do comunicado, o governo esquerdista (que quando era Oposição estava contra a extração de ouro) prometeu à empresa mineradora dar-lhe esta licença, fazendo a vista grossa ante as consequências desastrosas que terá a extração para o meio ambiente e a vida humana, e ante as sucessivas violações por parte da empresa da legislação da democracia burguesa.

Nós não temos as ilusões falsas que tem os partidários do regime da democracia burguesa e os que creem que possam mudar algo pela via institucional. As leis são feitas para servir aos interesses do Capital. Seus títeres políticos tem duas opções quando em algum momento uma lei não é de todo concordante com estes interesses: Fazer a vista grossa ante sua violação ou mudá-la segundo como sejam estes interesses nesse momento. Os de baixo tem uma opção se querem derrocar e eliminar totalmente este regime: Lutar sem nenhum tipo de mediadores e hierarquias. Isto não é nada claro para uma boa parte dos explorados. Tampouco é claro que esta maioria compartilha nossas aspirações ou sonhos. Isto é algo que muito pouco tem preocupado a quase todos os coletivos anarquistas, antiautoritários ou libertários neste país. Ao contrário, está preocupando muito à maioria das pessoas anarquistas e libertárias, que por uma série de razões que não tocaremos nesta postagem se abstém de tudo o que abarca o termo “movimento”.

A empresa mineradora Eldorado Gold, depois de chantagear e enganar reiteradas vezes o Estado grego e a todos os que estavam dispostos a ser enganados, deu um passo mais, incluindo esta vez em suas vítimas a seus próprios acionistas. Ao mesmo tempo que o valor de sua ação na Bolsa de Nova York vai caindo, havendo chegado a seu nível histórico mais baixo, um pouco menos de dois dólares, está anunciando uma festa para o 15 de setembro, convidando a toda a chusma dos políticos interconectados e os “jornalistas subvencionados”, para inaugurar, como sustenta, a fábrica de Olimpiada, a qual, desde logo o governo não lhe deu permissão (licença) de funcionamento ou Estado grego. Read the rest of this entry »

Segue o breve comunicado emitido por um grupo de anarquistas depois do incêndio da moto de um nazi que havia participado em várias concentrações do Aurora Dourada nos tribunais de Atenas durante o julgamento deste grupo neonazi. Segundo os autores do ataque, em uma destas concentrações o facha não duvidou em insultar a mãe de Pavlos Fyssas, antifascista assassinado faz quatro anos por um batalhão de assalto neonazi, perguntando-lhe onde estava seu filho.

Elias Stathópulos, membro dos ultras do Olympiakos e residente do bairro ateniense de Ano Petralona, rua Dryopon, 37, considerou que é bom participar nas concentrações do Aurora Dourada no tribunal de Atenas. Acreditou que era bom, provavelmente por ganhar algo por insultar a antifascistas e a ofender a mãe de Pavlos Fyssas junto com as demais escórias da organização nazi. Considerou que é bom passar-se por valentão, ocultando-se atrás dos esquadrões dos policiais que protegem e respaldam os fascistas.

No entanto, se equivocou. As relações com os nazis do Aurora Dourada não são algo rentável, nem é algo bom. E demonstramos isso no sábado 30 de julho de madrugada, incendiando sua moto (número de matrícula OMZ 674), a qual estava estacionada fora de sua casa. Lhe enviamos a mensagem que a próxima vez que participe em algum evento organizado pelos fascistas, a meta será sua casa. Read the rest of this entry »

Texto publicado na página web siniparksi.blogspot.gr (coexistência) tratando dos maus-tratos dos burros da ilha de Santorini, usados como meio de transporte turístico para a subida dos 600 degraus íngremes entre um pequeno porto e a capital da ilha. Para nada estamos de acordo com a proposta institucional vegana do texto sobre a ampliação da legislação para confrontar o problema, ou com as constatações da encarregada da Associação Amigos dos Animais sobre a contribuição dos burrinhos ao desenvolvimento da ilha. Tampouco compartilhamos o ponto de vista e/ou estilo de vida claramente pequeno burguês propostos por páginas web, grupos e associações semelhantes. Publicamos o texto por denunciar-se neste uma crueldade cometida e consentida em aras do lucro, com o pretexto de uma tradição inexistente.

Todos conhecem os valores éticos dos veganos, segundo os quais é inaceitável perceber os animais como alimentos, roupa ou entretenimento. A causa da dependência de muitas pessoas da comida, parece que entre os três o mais difícil de desprender-se é o primeiro, porque para a maioria das pessoas a comida é algo como santo gral. Estas pessoas não querem que lhes falem ou lhes julguem por isto, ainda que tenhas dois milhões de argumentos.

Com respeito ao segundo e ao terceiro, no entanto, os “onívoros” estão de acordo com os veganos. Alguns estão de acordo com que as peles forradas são inaceitáveis, outros estão de acordo com que os circos tem que ser abolidos, outros creem que os espetáculos com golfinhos ou com baleias são repelentes, etc. Desde já, se alguém está de acordo com a constatação de que não devemos nem explorar os animais, nem escravizá-los, terão que estar de acordo com que estas noções incluem mais atividades que as pessoas não consideram más. As lojas de mascotes (animais), os jardins zoológicos e os canários enjaulados são alguns exemplos. Read the rest of this entry »

Texto da iniciativa de trabalhadores no setor do comércio Orthostasía (Trabalhar de Pé) sobre as mobilizações recentes no marco da luta contra os planos da patronal de eliminar o caráter festivo do domingo.

O domingo 23 de julho de 2017 foi o primeiro domingo no qual os empregadores no setor do comércio aplicaram a “legislação beneficiosa” do governo sobre os 32 domingos laborais em umas zonas supostamente turísticas. Não temos ilusões falsas: Os 32 domingos laborais desde maio até outubro criam umas condições infernais para todos os que trabalhamos no setor do comércio: Intensificação asfixiante do trabalho, eliminação do já reduzido tempo livre, extensão excessiva das jornadas laborais, e aumento das horas de trabalho. Já nossos convênios são uns trapos.

Companheiros e companheiras de trabalho, chegou junho e estamos fora das lojas comerciais do centro de Atenas, tratando de bloquear a aplicação da lei. É algo que conseguimos com nossas forças, com nossas lutas. Os sindicatos, as assembleias obreiras e as coletividades que participamos na “Coordenadora de ação contra a eliminação do domingo como dia festivo e contra os horários liberalizados”, com nossas mobilizações contínuas demos umas freada à violência do grupo de empresas multinacional Inditex, e os obrigamos a retroceder, junto com outros patrões que supostamente estão na “vanguarda” (por exemplo, H&M). Demostramos a nós mesmos que tudo é possível, basta tomar o assunto em nossas mãos. Read the rest of this entry »

Segue o texto de um grupo de pessoas da província de Eubea que se opõe à destruição do pantanal de Kolovrejtis (Eubea) em solidariedade com a luta contra o desvio do rio Aqueloo. Deixando de lado o uso da palavra “cidadãos” no título do grupo e no texto, as inexatidões sobre a participação dos habitantes de Mesojora e os povos vizinhos na luta combativa e desde baixo contra o desvio do rio, os lemas altissonantes e genéricos ao final do texto, assim como a falta de qualquer referência (não só neste texto, senão também em textos de várias iniciativas e coletividades políticas e ecológicas) a atitude da maior parte destes habitantes a favor do marco constitucional da legalidade e a mediação, o texto constitui uma das pouquíssimas vozes de solidariedade, ainda que seja teórica, com a luta contra a destruição do meio ambiente da serra de Pindos.

O grupo de cidadãos do pantanal de Kolovrejtis expressa sua solidariedade com a luta que se está dando durante muitos anos contra o desvio do rio Aqueloo. Durante os últimos trinta anos os habitantes de Mesojora, Tríkala, e cidadãos solidários do resto da Grécia estão lutando com fervor contra o desvio do rio, planificado pelos lobbies das empresas construtoras e da agricultura intensiva. Estão lutando contra o funcionamento da central hidroelétrica faraônica que foi construída no alto fluxo do rio, no coração da serra de Pindos.

O potencial funcionamento deste monstro de cimento de 150 metros, promovido durante o último tempo pelo ministério do Meio Ambiente, lhe dará o golpe de graça ao rio Aqueloo, no curso do qual já estão em funcionamento três represas. Como assinala a Rede “Mesojora-Aqueloo SOS” “o Estado e a Companhia de Eletricidade percebem o rio, as águas e em geral os recursos naturais, como algo que tem que ser explorado, como um meio que pode ser usado para explorar os recursos naturais. Estão aplainando o caminho à privatização das águas e da energia. Não lhes importa que seu novo plano continue tendo enormes consequências ambientais e que conduza à desaparição de Mesojora”. Read the rest of this entry »

Nesta postagem tocamos no tema da iminente destruição ecológica da ilha de Samotracia, com a construção de dois parques eólicos compostos por trinta e nove aero-geradores gigantescos. Segue um comunicado relativo de iniciativa de habitantes da ilha “Samotracia contra a construção do parque eólico”.

Alguns dias atrás nos informamos que em Samotracia, em Anemómetra e Luludi (Flor), no cume da segunda mais alta das montanhas da ilha depois de Saos, foram instaladas três e trinta e seis aerogeradores respectivamente. Quer dizer, que nossa ilha se converterá em uma indústria de fontes de energia renováveis.

Os grandes investidores Bóbolas e Kopeluzos, os quais operam como mediadores dos colossos energéticos franceses e alemães que tem dezenas de centrais nucleares nestes países, estão tentando destroçar de maneira irreversível nossa montanha de vegetação arcaica e de beleza única, tirando partido de umas leis aprovadas em 2014 e 2015, adaptadas a suas necessidades.

Para fazê-los entender o tamanho da catástrofe, dizemos que para a instalação dos aerogeradores gigantescos de 90 metros, terão que abrir caminhos de 30 ou 40 metros de largura até os cumes. Uma vez feitos os caminhos, construirão as bases dos trinta e nove aerogeradores. Cada um deles pesará 1,3 toneladas de cimento, ou seja, colocarão 47 toneladas de cimento sobre os cumes das montanhas. Isto significa a morte de todos os bosques das montanhas, que já estão sofridas pelo pastoreio excessivo durante muitos anos. Com os caminhos (pistas) franqueados se pavimentará o caminho para o corte ilegal das árvores dos bosques das montanhas. Read the rest of this entry »

Este comunicado da Organização Política Anarquista, em solidariedade com a okupa Mundo Nuevo, foi publicado em sua página web em sequência a uma publicação em um meio de desinformação digital, através da qual os aparatos repressivos do Estado puseram a okupa no ponto de mira. Esperamos poder difundir logo mais notícias sobre este caso.

Solidariedade com a okupa Mundo Nuevo. Tirem as mãos das okupas

Continuam os ataques a okupas políticas e a lugares ocupados para oferecer alojamento a refugiados e imigrantes, através de contínuas publicações na imprensa. A mais recente delas foi um artigo contra a okupa Nuevo Mundo, escrito obviamente pela Polícia Secreta, e publicado em uma página web de Tessalônica. Recentemente o Centro Social Ocupado Sxoleio (Escola) recebeu ameaças por parte da prefeitura de Tessalônica. Ao mesmo tempo a okupa Rosa Nera em Chania está ameaçada com desalojo, devido aos acordos de caráter lucrativo entre a Escola Politécnica de Creta e empresários da indústria turística. O reitor da Universidade, jogando o papel de homem de negócios, declarou descaradamente que a repressão iminente será “para o bem da sociedade”. Durante o último tempo foi se intensificando a propaganda repressiva contra as okupas.

As referências (em vários artigos publicados) a ordens fiscais de desalojo das okupas de Papoutsadiko, do hotel City Plaza e da okupa de teto para imigrantes na rua Zoodoxou Pigis, 119, em Atenas, assim como a pressão exercida nos casos nos quais os donos dos edifícios das okupas são universidades, como os casos das okupas Lelas Karagianni 37 e Vankouver, em Atenas, e Evangelismos, em Heraclión, são feitas para penalizar o caráter anarquista e antiautoritário destes projetos, assim como a solidariedade na prática com os refugiados e os imigrantes. Read the rest of this entry »

Em 13 de julho de 2017 realizou-se nas ruas do centro de Atenas a marcha que havia sido convocada pela “Coordenadora de ação contra a abolição do domingo como dia festivo e contra os horários ‘liberalizados'”. Esta mobilização aconteceu três dias antes da greve a nível nacional convocada no setor do comércio para o domingo 16 de julho.

A marcha durou duas horas e meia e percorreu uma boa parte do centro de Atenas, passando pelas ruas mais comerciais, informando às pessoas e os trabalhadores nas lojas sobre a greve, oralmente ou com folhetos distribuídos. Terminou na praça do bairro turístico de Monastiraki. Além dos membros da Coordenadora, na marcha participaram membros de sindicatos de base, coletividades e assembleias. Segue o texto que liam por megafone, os membros da iniciativa de trabalhadores no setor do comércio “Orthostasía” em cada parada realizada durante a marcha.

“Colegas,

A nova lei sobre os 32 domingos ao ano de lojas abertas, não concerne só ao setor do comércio. Concerne a todos os trabalhadores, seu objetivo é eliminar nosso tempo livre e nossos direitos. Read the rest of this entry »

Texto da Iniciativa Libertária de Tessalônica, publicado em sua página web, por causa do suicídio de uma trabalhadora na rede de supermercados Karypidis, após quinze meses sem receber seus salários. Faz uns dias a Iniciativa realizou uma ação de protesto fora de um dos supermercados da empresa em Tessalônica. Notamos que esta concentração foi a única reação coletiva realizada após o suicídio-assassinato da trabalhadora.

Não nos acostumaremos à morte. Lutaremos pela vida.

Na terça-feira, 11 de julho de 2017, uma mulher de 42 anos, trabalhadora na rede de supermercados “Karypidis” na cidade de Giannitsá, pôs fim a sua vida. A trabalhadora estava a 15 meses sem receber seus salários. O trabalho sem receber durante muito tempo e o estado de indigência no qual se encontrava por causa disso, a conduziram ao suicídio.

A empresa “Karypidis” tem uma longa tradição em fraudes, arbitrariedade e exploração dos trabalhadores. Para começar, em 2004 os irmãos Karypidis compraram a rede de supermercados “Arvanitidis” que corria o perigo de fechar por causa de suas enormes dívidas ao Fundo de Seguridade Social dos Trabalhadores. Uma vez completada a transação da rede, a dívida dos donos anteriores ao Fundo, que chegavam aos 18.250.000 de euros, foram “presenteadas” ao devedor, com a intervenção direta do ex-secretário do Fundo de Seguridade Social, R. Spyrópulos. Queremos assinalar que Spyrópulos foi absolvido por um tribunal desta “iniciativa”. Com a assinatura do contrato de franquia entre Karypidis e Carrefour-Marinopoulos (caducou em fevereiro de 2016), Karypidis entrou forte no mercado sob o nome de “Carrefour-Marinopoulos”, com o fim de recuperar a confiança perdida ante seus provedores quando a rede de supermercados funcionava com o nome “Karypidis”. Read the rest of this entry »

Arquivo