A seguir, publicamos o cartaz-chamado da “Assembleia aberta de solidariedade com os ativistas processados pela luta contra a extração de ouro” para duas concentrações do lado de fora dos tribunais de Tessalônica, em solidariedade com as centenas de ativistas processados pela luta anti-mineração em Calcídica, em 20 e 21 de setembro de 2017, ao começar os julgamentos dos processados.

Os jogos comunicativos do Estado e da empresa mineradora são uns jogos de pressão e de negociação das condições sob as quais avançarão as obras de extração de ouro. Nós não substituímos a luta pela delegação, não temos expectativas institucionais, não ficamos de braços cruzados ante a fragmentação de nossas comunidades.

Não à extração de ouro. A solidariedade é nossa arma.

Pela autonomia e a dignidade das lutas, concentrações do lado de fora dos tribunais de Tessalônica em 20 e 21 de setembro de 2017, às 9 horas. Depois da concentração de 21 de setembro se realizará uma marcha.

Assembleia aberta de solidariedade com os ativistas processados pela luta contra a extração de ouro

O texto em castelhano.

A seguir, publicamos o cartaz-chamado do Coletivo de anarquistas dos bairros orientais, de Tessalônica, para duas concentrações do lado de fora dos tribunais de Tessalônica, em solidariedade com aqueles acusados pela luta anti-mineração em Calcídica, cujos julgamentos ocorrerão em 21 de setembro de 2017.

Defendemos a natureza do saque do Capital

A luta contra a extração de ouro é um exemplo em que se vê claramente que as leis podem ser modificadas para servir os interesses do Capital. Isso é feito, por um lado, buscando formas de legalizar a empresa de mineração e, por outro lado, reprimindo uma das lutas mais combativas e multifacetadas dos últimos anos. Além da sua forma direta, presença da chamada polícia antidistúrbios em todos os lugares, disparo de gás lacrimogêneo dentro das escolas, incursões em casas, tiro de balas de borracha e substâncias químicas, a repressão se estruturou a nível jurídico.

No caso de Skuriés, luta anti-mineração em Calcídica, são mais de 450 ativistas acusados, muitas das acusações basearam-se na obtenção de material genético sem o consentimento dos acusados, em chamadas telefônicas interceptadas e no uso da lei 187 sobre organizações criminosas. Read the rest of this entry »

Texto e cartaz do Comitê de luta de Tessalônica contra a extração de ouro, publicado em sua página web por causa da realização de duas manifestações em Ierissós (Calcídica) e em Tessalônica, contra a extração de ouro em Calcídica.

Desde o momento em que Eldorado Gold ameaçou terminar seu “investimento” e sair da Grécia, o partido da oposição Nova Democracia e os meios de desinformação de massa iniciaram uma campanha de mentiras. Os jornalistas porta vozes da empresa mineradora reproduzem diariamente vários disparates, e dia após dia andam dizendo que vão aumentar os postos de trabalho e o dinheiro que se supõe que contribuirá a empresa para a economia.

Nós sabemos que após a palavra mágica “investimento” empregada como uma panaceia, se esconde um saque: Uma empresa que comprou os terrenos em Calcídica nos quais se pretende fazer a extração de ouro por umas migalhas, que está lucrando sem pagar impostos, que está destruindo o meio ambiente e os recursos naturais da região, que ameaça com conduzir ao desemprego a dezenas de milhares de trabalhadores nos setores da agricultura, da apicultura, da pesca, do turismo, da pecuária e em todos os trabalhos associados com estes setores, em Calcídica e em Tessalônica. Read the rest of this entry »

A seguir, publicamos o chamado do grupo anarquista de Patras Dissinios Ippos (Cavalo Indomável) e da Organização Política Anarquista a uma concentração e marcha nesta cidade, em 18 de setembro, quatro anos depois do assassinato do músico antifascista Pavlos Fyssas por um batalhão de assalto neonazista em um bairro de Pireus. Várias manifestações antifascistas serão realizadas entre os dias 16 e 18 de setembro em Atenas e em várias cidades do território do Estado grego.

Quatro anos depois do assassinato de Pavlos Fyssas pelos batalhões de assalto do Aurora Dourada…

O julgamento do Aurora Dourada ainda está em andamento, sendo seu principal objetivo a imposição da “normalidade democrática” e a consolidação da teoria dos dois extremos. Ao mesmo tempo, está sendo preparado o reaparecimento dos batalhões de assalto paraestatais, o assassino Rupakiás saiu da prisão, e se pretende ilegalizar e reprimir a luta social e antifascista nas ruas, com os ataques e acusações contra várias mobilizações antifascistas e com constantes perseguições de ativistas anarquistas e antifascistas. Read the rest of this entry »

Texto da União Sindical Libertária de Tessalônica, publicado em sua página web.

Os operários mortos de nossa classe não procedem somente dos setores da construção e da alimentação, nos quais houve muitos “acidentes” mortais no inverno passado. Este verão, por conta de milhões de euros dos lucros dos patrões, apenas no setor turístico, nós tivemos mortos em todos os setores de trabalho. Limpadores, silvicultores, motoristas de caminhões, empregados em aeroportos, pessoas que trabalham com empilhadeiras, assim como trabalhadores em portos, foram alguns dos casos dos trabalhadores que nunca retornaram para casa, ou que por 300 ou 600 euros perderam suas vidas em valas, ruas, aeroportos, portos, fábricas e minas.

No capitalismo todos os trabalhadores são cifras recicláveis, seja em períodos de “crise” ou de “desenvolvimento” econômicos. Na crise econômica os patrões usam o pretexto dos lucros “reduzidos” e além de cortar os salários eliminam qualquer medida de segurança que possa existir. No cobiçado desenvolvimento, por eles, o aumento dos lucros está por cima de qualquer possibilidade de assegurar medidas de segurança para os trabalhadores. Read the rest of this entry »

YouTube Preview Image

 

Em 13 de setembro de 2017, uma ação em solidariedade com os professores Nuriye Gülmen e Semih Özakça foi realizada na cidade de Tessalônica. Eles estão na prisão há 115 dias e 191 dias em greve de fome contra o regime fascista turco. A ação foi realizada no pavilhão da Câmara de Comércio greco-turca, na Feira Internacional de Tessalônica. Read the rest of this entry »

Atenas, 13 de setembro de 2017: Marcha em solidariedade com os ativistas em greve de fome contra o regime fascista na TurquiaAtenas, 13 de setembro de 2017: Marcha em solidariedade com os ativistas em greve de fome contra o regime fascista na TurquiaAtenas, 13 de setembro de 2017: Marcha em solidariedade com os ativistas em greve de fome contra o regime fascista na Turquia
Em 13 de setembro de 2017, foi realizada uma marcha à embaixada da Turquia (fotos) no centro de Atenas, em solidariedade com Nuriye Gülmen e Semih Özakça, que estão presos há 114 dias e 190 dias em greve de fome contra o estado de emergência imposto na Turquia no ano passado e, em geral, contra o regime militar e fascista do governo de Erdogan. Os dois ativistas serão julgados hoje, 14 de setembro de 2017. A seguir, publicamos um dos chamados à marcha, assinado por vários grupos.

Após a tentativa de golpe de Estado de 15 de julho de 2016, o Poder, através do partido AKP, declarou o estado de emergência em todo o país e guerra ao povo. Com vários decretos demitiu e continua demitindo milhares de trabalhadores que estão contra Erdogan. O objetivo do AKP é aproveitar esta situação para lançar todo aparelho repressor do Estado contra todos os que se opõem ao seu regime, e intimidar ao povo com pressões e chantagens. Milhares de esquerdistas, democratas e funcionários foram demitidos sem que ninguém explique o porquê.

Os professores Nuriye Gülmen e Semih Özakça iniciaram uma greve de fome em 9 de março de 2017 contra as ações arbitrárias e ilegais de Erdogan e de seu partido. Eles foram detidos no 76º dia de sua greve de fome, quando o estado de saúde de ambos se deteriorou e a notícia da greve de fome estava se espalhando por toda a Turquia. Em 14 de setembro de 2017, 190º dia da greve de fome, serão realizados seus julgamentos em Ankara. Eles continuarão lutando até recuperar seus empregos e seus direitos, mesmo que a saúde esteja piorando. Read the rest of this entry »

Nos dias 15 e 16 de setembro de 2017, o “Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água” organiza um festival na cidade de Stagiates, com projeções de filmes e documentários, debates e concertos. O tema do festival é a luta contra o saque e a mercantilização dos recursos naturais e da água em particular. Em alguns posts anteriores, você pode ler notícias sobre esta luta na província de Magnesia, especificamente no povoado de Monte Pelion, onde o Capital e as autoridades locais estão tentando cortar o acesso às fontes de água da montanha e de privatizar o abastecimento de água.

Resistências ao saque sem fronteiras: Projeções de documentários sobre os movimentos ambientais e sociais da América Latina. Debates com a participação de movimentos e coletividades da Grécia contra extrações, barragens, turbinas eólicas e privatização da água.

Sexta-feira, 15 de setembro de 2017, às 18 horas: Debateremos sobre a ofensiva do desenvolvimento “verde”. Participam os grupos Aqueloo-Mesojora SOS, Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água.

Sábado, 16 de setembro de 2017, às 20 horas: Debateremos sobre a criminalização das lutas das sociedades locais com a participação de representantes e solidários do movimento contra a extração de ouro em Calcídica, e com o Movimento de cidadãos de Pelion e Volos pela água. Read the rest of this entry »

Texto da União Sindical Libertária de Tessalônica, publicado em sua página web.

Em um verão muito quente na Grécia da crise, algumas pessoas passam muitos meses em uma ilha, não de férias mas sim tentando sobreviver. Parece que neste âmbito (entorno) de plena dissolução, com o desemprego dos jovens chegando já a 50%, o setor turístico pode absorver uma pequena parte do potencial operário, sobretudo aos jovens. Os especialistas levam anos dizendo que o futuro da Grécia passa obrigatoriamente pelo turismo.

Mas, o quê se esconde por detrás desta vitrine que nós vemos como “clientes”? O quanto sincero é este sorriso com o qual nos dão a boa-vinda os trabalhadores no negócio turístico em que trabalham? E por último, quanto custa para os patrões a dignidade e a necessidade de sobreviver dos trabalhadores?

Muitos trabalhadores, sobretudo os jovens, no verão não tem férias. Tratam de economizar dinheiro para poder sobreviver no inverno. Trabalham e sofrem a violação de seus direitos por parte dos patrões. Estes últimos costumam explorar ao máximo aos trabalhadores que vão (aos lugares turísticos) a trabalhar na temporada, pensando que os trabalhadores que trabalham para eles são parte de sua propriedade e não tem direito a ter vida privada. Read the rest of this entry »

Em pleno verão, a empresa Media Markt anunciou aos seus escravos assalariados as novas medidas trabalhistas que os impõem muito em breve. Aproveitando a legislação anti-obreira e a falta de qualquer tipo de organização ou reação dos obreiros, o empregador decidiu mudar os contratos de trabalho individuais, naturalmente agravando a situação dos trabalhadores ainda mais, contemplando a violação de suas vidas como se vissem um filme, permanecendo inertes, sem a menor vontade de organizar-se coletivamente, esperando pateticamente por sua morte lenta.

Dos chamados contratos a tempo integral, os novos contratos a tempo parcial serão obrigatórios. Seria dizer que a decisão foi tomada unilateralmente. De que outra forma poderia ser tomada? Todos que trabalhavam oito horas por dia, cinco dias por semana (e mais alguns sem cobrar…) trabalharão seis horas por dia, cinco dias por semana, com horário seguido, ou oito horas por dia, três dias por semana, com uma agenda dividida. Quando estas novas regras começarem a se aplicar, os salários dos trabalhadores serão reduzidos ainda mais. Em outras palavras, se eles até agora pagaram as migalhas do salário mínimo que lhes permitiu sobreviver sem dignidade, a partir de agora aqueles que assinam o novo contrato vão dar uma prorrogação à sua breve aniquilação. Se alguém não concordar em assinar o novo contrato, eles serão demitidos. Read the rest of this entry »

Arquivo