Texto publicado na página web http://vforvolos.espivblogs.net.

Páscoa se chama o período na primavera em que as escolas e as universidades estão fechadas. A semana santa é a semana na qual o mercado e as pessoas estão se preparando para o domingo. Como dizem, é o domingo de ressurreição. A semana seguinte é um curto período de digestão.

Para mim, no entanto, a Páscoa é alguma coisa muito concreta que na época da lavagem cerebral não podia determinar.

1. A propaganda pascoal começa no outono nas escolas primárias e nas creches. Cada dois por três a vida do pequeno Cristo vem esmagar a percepção e imaginação infantis sobre o mundo. O pequeno Cristo é o bom e os judeus são os maus. Desta maneira o antissemitismo se mete nas cabeças das crianças de quatro ou cinco anos. Isto, sem dúvida, depende do docente. No entanto, eu pertenço à categoria das crianças as quais se ensinou o antissemitismo. Como menina me desgostava a discriminação entre os cânticos: O cântico de Lázaro é cantado só pelas meninas e o “Hoje o céu está escuro” só pelos meninos. Por isso, nossa professora nos ensinou a todos os alunos os estribilhos de ambos hits pascoais. Já não fazia falta algo mais: O antissemitismo estava consolidado em nossos cérebros infantis antes de que nos inteirássemos disso. Read the rest of this entry »

Re-editamos o comunicado da União Sindical Libertária de Atenas sobre a luta dos trabalhadores do jornal AGR-Clarín (Argentina).

A União Sindical Libertária de Atenas saúda a luta dos trabalhadores da gráfica do jornal AGR-Clarín da Argentina, que está há muito tempo lutando (com ocupação de seu local de trabalho), pedindo a revogação das despedidas ocorridas.

Denunciamos a estratégia reacionária da patronal que imprime a revista dominical no Chile para esmagar a luta obreira. A comissão interna dos trabalhadores da AGR-Clarín enviou uma carta para as centrais sindicais do Chile e aos sindicatos dos gráficos e caminhoneiros deste país pedindo solidariedade e que não imprimam ou transportem nada para este jornal.

A luta dos trabalhadores gráficos do Clarín é parte da luta geral de todo o movimento trabalhador argentino contra as medida de ajuste econômico do governo Macri e dos ataques do empresariado argentino aos direitos dos trabalhadores. O próprio governo Macri ataca as conquistas obreiras e pretende retirar direitos e liberdades conquistadas com lutas. Uma amostra a mais da agressividade do governo está na intenção de oprimir e dissolver o hotel autogerido Bauen, de Buenos Aires. Read the rest of this entry »

Na “quarta-feira santa”, 12 de abril de 2017, o coletivo político de Ioánnina Sempreviva, espalhou pelas ruas da cidade um cartaz, cujo o conteúdo reproduzimos neste post.

A máfia eclesiástica (religiosa) sagrada da Grécia

Queridas irmãs submetidas a Cristo:

A diocese de Ioánnina lhes agradece de coração por levar 2.000 anos enchendo os cofres da Igreja S.A., deixando as suas doações ao comprar pedacinhos de chinelos de santos, reservas inesgotáveis de madeira da cruz da crucificação de Cristo, rosários, terços e água benta da torneira.

O vosso dinheiro e as vossas jóias serão investidos de uma maneira correta: Carros de luxo, iates, helicópteros, lagos (por exemplo, Bistónide), campos de golf (por exemplo, mosteiro de Toplé), parcelas, lotes de terra de cultivo, apartamentos, ações de bancos e empresas offshore (em paraísos fiscais), etc.

O nosso marketing completa-se com ações de promoção bem pensadas (por exemplo, comida, obras de caridade, jantares de gala), usando para estes fins tão só uma pequena parte do lucro sagrado.

Sabemos muito bem que tens medo da morte. Tirando partido deste medo continuaremos celebrando cerimônias de bendição de todo o tipo, assim como confissões, naturalmente a qualquer preço. Read the rest of this entry »

A seguir, texto da “Coordenação de comunidades de luta anarquista e antiautoritária auto-organizadas pela sabotagem aos sistemas de controle social e de vigilância” sobre a destruição massiva de máquinas validadoras de bilhetes em Àtica (província de Antenas).

As novas “reformas” de funcionamento e uso dos meios de transporte massivos constituem a continuação da aplicação por parte do Estado e do Capital de medidas penosas que supostamente contribuem para a recuperação econômica, mas na realidade conduzem para o empobrecimento. Preços de bilhetes mais caros, barras de controle (desde o início de 2016), bilhete eletrônico, câmeras de vigilância, um novo grupo de policiais-revisores em todos os veículos e nas estações dos meios de transporte massivos: Tudo isto é apenas uma pequena amostra das intenções do Estado de impor o controle absoluto do nosso cotidiano, e do isolamento social e de classe dos débeis, dos de baixo e dos que não queremos pagar o bilhete ou não temos dinheiro para o pagar.

Além das nossas necessidades pessoais, para nós, os obreiros, os estudantes e os desempregados, a circulação nos meios de transporte massivos desde os locais de trabalho, educação, consumo e diversão constituem uma necessidade imprescindível, pois são grandes as distâncias nas cidades. As novas proibições nos meios de transporte massivos constituem uma guerra diária contra a solidariedade que está emergindo entre os passageiros, intercambiando bilhetes. Ao mesmo tempo perpetuam o peso e o medo através de revisores, de multas e de seus valentões. Os novos “olhos que não dormem” das câmeras de vigilância que estão sendo instaladas até dentro dos vagões do metrô e dentro dos ônibus, e os policiais que os vigiam, têm como objeti vo a criação de zonas de controle total. Read the rest of this entry »

Atenas, 8 de abril de 2017: Manifestação antifascista em resposta à agressão neonazi contra estudanteAtenas, 8 de abril de 2017: Manifestação antifascista em resposta à agressão neonazi contra estudanteAtenas, 8 de abril de 2017: Manifestação antifascista em resposta à agressão neonazi contra estudante
Segue o texto da Organização de Antifascismo Combativo sobre a manifestação antifascista realizada no sábado 8 de abril no bairro de Ampelokipi, próximo do centro de Atenas, por causa da agressão que havia realizado uns dias antes um batalhão de assalto neonazi contra um estudante universitário.

Em 8 de abril de 2017, pela manhã, milhares de lutadores se manifestaram no bairro de Ampelokipi contra a organização criminosa Aurora Dourada. Expressaram sua indignação pela surra dada por um batalhão de assalto fascista a um estudante, em 31 de março, e pela tentativa dos fascistas de semear o terrorismo no bairro.

Uma vez mais vimos a cara dura do fascismo. Enquanto estão desaparecidos durante os últimos tempos, tendo recebido uma série de golpes por parte dos antifascistas, não duvidaram em pôr no ponto de mira a um cidadão inocente, tratando de jogar o papel dos combativos, tanto como resposta às queixas que há em seu interior, como para mostrar seus “dentes” a nosso grupo político. Fracassaram uma vez mais, e se afundaram em sua inexistência.

Estão tratando de tirar partido do ambiente internacional que promove a extrema-Direita como uma alternativa à crise política e econômica a nível mundial. No entanto, na realidade política grega as coisas são diferentes. O movimento antifascista de classe não só não foi esmagado, senão que está reivindicando e está marcando vitórias. Anulou todas as tentativas do Aurora Dourada de aparecer na rua, e constantemente surgem oportunidades de seguir fazendo-o. Read the rest of this entry »

Desde 12 de abril de 2017 está em andamento na praça principal de Atenas (Syntagma) a greve de fome de curdos que vivem em Atenas, em solidariedade com os 13 presos políticos curdos que estão em greve de fome desde 15 de fevereiro. Além disso, outros 174 presos políticos nas prisões da Turquia estão em greve de fome em solidariedade com a luta deles. Neste sábado, 15 de abril, vai acontecer em Atenas uma marcha à embaixada turca. Publicamos esta notícia como mínima mostra de solidariedade com a luta dessas pessoas tão sofridas. A seguir, o breve comunicado do Centro Cultural do Curdistão (em Atenas).

Como vocês sabem, neste momento estão sendo realizadas greves de fome em muitas prisões turcas pelos direitos dos presos e os direitos humanos dos povos da Turquia e do Curdistão, assim como para conseguir o fim do isolamento ilegal que foi imposto ao líder do povo curdo Abdullah Öcalan.

Nós, em solidariedade e protesto contra o governo fascista de Erdogan realizaremos uma greve de fome e uma manifestação na praça Syntagma (praça principal de Atenas). De quarta-feira, 12 de abril, das 10h às 21h, e cada dia (até sábado, 15 de abril) os participantes da greve de fome, assim como os curdos e os democratas que vivem em Atenas, estarão na praça Syntagma. Read the rest of this entry »

Segue um breve texto informativo da União Sindical Libertária de Emacia (norte da Grécia) sobre uma concentração realizada faz uns dias do lado de fora da cafeteria Mikel em Berea, assim como o texto do folheto que se distribuiu durante a concentração.

Na quinta-feira 23 de março de 2017 realizamos uma intervenção do lado de fora da cafeteria Mikel no centro de Berea, por causa da morte do jovem de 22 anos que trabalhava nesta empresa. A morte aconteceu faz umas duas semanas enquanto o trabalhador estava trabalhando. Foram jogados folhetos, e distribuíram centenas de folhetos a clientes e transeuntes, e claro aos trabalhadores e as trabalhadoras que naquele momento se encontravam na cafeteria.

Segue o texto que se distribuiu:

Contra o terrorismo dos patrões. A fazer de novo o sindicalismo perigoso para os patrões

Uma vez mais as condições laborais miseráveis que prevalecem em todos os lugares de trabalho, e concretamente no setor dos entregadores, conduziram à morte do entregador de 22 anos que trabalhava na loja da cadeia de cafeterias Mikel, localizada no bairro de Colono, Atenas. O entregador foi lesionado gravemente enquanto estava trabalhando na quinta-feira 2 de março, e depois de estar muitos dias hospitalizado faleceu em 10 de março. Read the rest of this entry »

Tessalônica, 4 de abril de 2017: Manifestação em defesa das okupasTessalônica, 4 de abril de 2017: Manifestação em defesa das okupasTessalônica, 4 de abril de 2017: Manifestação em defesa das okupas
O seguinte texto da coletividade anarquista de Tessalônica “Negro e Vermelho”, é uma breve informação sobre a manifestação realizada na cidade em defesa das okupas.

Ontem (4 de abril) foi realizada a manifestação em defesa das okupas, da memória de classe e do antifascismo combativo, com a participação de uns 300 companheiros.

A concentração aconteceu às 18 horas em Kamara, onde se montou um sistema de megafone e foram lidos textos contra os ataques do Estado às okupas e a favor dos refugiados e dos imigrantes. Também, foi lido um comunicado sobre o caso de Mohamed A., cuja solicitação de asilo passará de novo à fase da resolução estes dias, assim como um comunicado sobre os assassinatos de trabalhadores na rede de cafés Mikel, nas obras do metrô de Tessalônica e na Speedex.

A manifestação estava auto-salvaguardada. Percorreu todo o centro da cidade. Durante a marcha vários lemas foram pichados e se repartiu material político anarquista. Antes da manifestação foram colados cartazes no centro da cidade, estudantes do secundário haviam pichado lemas em suas escolas, uma intervenção no concerto dos eventos antifascistas celebrados durante dois dias na velha Escola Politécnica, foi feito propaganda dela por megafone no evento em solidariedade com Mohamed A., enquanto que companheiros e companheiras haviam participado em uma intervenção (ação) na Universidade durante um evento contra as políticas antimigratórias. Read the rest of this entry »

Texto da coletividade do bairro de Atenas Nikea “Bloqueio ao Poder”, publicado em sua página web.

O plano de estruturação da Companhia de Ônibus Urbanos inclui muitíssimas disposições (medidas) e “novas ideias” sobre a repressão dos “passageiros sem bilhete” e o controle de todos os passageiros: Barras giratórias, entrada só pela porta dianteira dos ônibus, pontos de controle nas entradas e saídas das estações de metrô, corpo de revisores com a participação da Polícia, assim como câmeras de vigilância dentro e fora dos vagões do metrô e dos ônibus.

Desta maneira se vai formando um ambiente de controle intensivo e de registro de nossa cotidianidade. Nossos translados constituem uma mercadoria e uns dados que poderão ser processados no futuro.

Aos que lhes ocorram não pagar o preço do translado (que irá aumentando segundo o itinerário) os espera um corpo de guardas (uniformizados ou não), vigilantes na Terra do santo processo de picar o bilhete. Estes estarão prontos para perseguir e castigar os que cometam o pecado mortal de não pagar o bilhete (a memória do assassinado Thanasis Kanautis em Peristeri, por não ter bilhete, está sempre viva). Também, os espera o acessório indispensável de todo Poder que tem respeito a si mesmo: Câmeras de vigilância. Read the rest of this entry »

Em 5 de abril de 2017, as forças repressivas da Polícia realizaram uma operação para desalojar a ocupação de teto Albatroz na Cidade Alta de Tessalônica. A operação policial ocorreu na madrugada da última quarta-feira, como é usual em tais operações. O desalojo foi antecedido por uma demanda do proprietário do edifício da okupa e uma ordem judicial emitida no dia anterior. Registramos que no dia anterior tinha sido feita uma marcha em defesa das okupas.

A Polícia procedeu a treze detenções de pessoas de vários países, a maioria europeus e africanos. De acordo com informações publicadas em sites de contrainformação solidários com a okupa, ontem, quinta-feira, 6 de abril, os detidos compareceram diante de um promotor. Os detidos são acusados ​​de “perturbar a paz pública” e “danos materiais em propriedade alheia”. Um deles, além desses encargos, foi acusado de resistência, e outro de ter contribuído para tentativa de fuga.

Após o desalojo, do lado de fora do edifício da okupa, foi realizado um protesto. A Polícia não deixou de fazer retenções preventivas. No entanto, algumas horas depois todos os detidos foram liberados. Read the rest of this entry »

Arquivo